RECURSOS COMPUTACIONAIS UTILIZADOS COMO FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS: estudo de caso no IFMG

Marcos Vinicius Souza Toledo

Resumo


No ambiente escolar e na vida das pessoas, as ferramentas tecnológicas estão cada vez mais presentes no cotidiano, seja na escola ou no trabalho. Essa evolução dos recursos computacionais permite que a maioria da população tenha acesso à informação, o que traz mudanças profundas em várias áreas do saber, principalmente no campo acadêmico, em que é discutido e construído o conhecimento. A apropriação desses meios computacionais na busca da construção do conhecimento tem mobilizado os educadores na seleção e utilização dessas tecnologias como ferramentas pedagógicas no auxílio ao processo de ensino-aprendizagem dos discentes. Esta dissertação tem por objetivo analisar o resultado do uso dos recursos computacionais pelos docentes com foco no ensino-aprendizagem nas modalidades de ensino técnico integrado ao ensino médio e ensino técnico subsequente, do Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Avançado de Ponte Nova. Para esta pesquisa, foram adotados como ferramentas pedagógicas quatro recursos computacionais: Pacote Office, Facebook, WhatsApp e SLogo em duas disciplinas: Introdução à Informática e Lógica Matemática Aplicada à Computação. O método empregado é um estudo de caso, com caráter de pesquisa descritiva e qualiquantitativa. A coleta de dados foi realizada de forma estruturada, tendo como universo e amostra uma população de docentes e discentes dos Cursos Técnicos Integrados e Subsequentes em Administração e Informática. Como resultado da pesquisa, percebe-se que os docentes e discentes aceitam a utilização dos recursos computacionais como apoio pedagógico nas disciplinas focalizadas. Isso possibilita afirmar que as ferramentas tecnológicas trouxeram avanços no processo de aprendizagem dos discentes, uma vez que permitem que os conteúdos ensinados, despertam a atenção e o interesse dos discentes pela ampliação do conhecimento das atividades propostas em sala de aula e/ou no laboratório de informática.

 


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, E. V. B. As novas tecnologias e o ensino-aprendizagem. Vértices, v. 10, n. 1/3, p. 63-71, jan./dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2016.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Tradução de Lígia Teopisto. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2006.

BELLONI, M. L. O que é mídia educação. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

BEVÓRT, E.; BELLONI, M. L. Mídia-educação: conceitos, história e perspectivas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 109, p. 1081-1102, set./dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 6 out. 2016.

BOHN, C. S. A mediação dos jogos eletrônicos como estímulo do processo de ensino-aprendizagem. 2011. 154 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jul. 2004.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2013.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 dezembro de 2008. Dispõe sobre a instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Diário Oficial da União, Brasília, 30 dez. 2008.

BRASIL. Projeto pedagógico do curso técnico em Informática Integrado. Ponte Nova: MEC/IFMG/PN, 2014.

CORDENONSI, A. Z.; BERNARDI, G. Ambientes virtuais de ensino-aprendizagem e objetos educacionais: o diálogo mediado por tecnologias na educação superior. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 35, n. 2, p. 253-274, jul./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 8 ago. 2015.

COSTA, J. W. da; OLIVEIRA, M. A. M. (Org.). Novas linguagens e novas tecnologias: educação e sociabilidade. Petropólis: Vozes, 2004.

DERNTL, M.; MOTSCHNIG-PITRIK, R. The role of structure, patterns, and people in blended learning. The Internet and Higher Education, v. 8, n. 2, p. 111-130, 2005. Disponível em: . Acesso em: 8 out. 2016.

FISHER, R. A. Statistical methods for research workers. 30. ed. New York: Hafner, 2004.

FREITAS, A. L. P.; RODRIGUES, S. G. A avaliação da confiabilidade de questionário: uma análise utilizando o coeficiente alfa de Cronbach. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (SIMPEP), 12., 2005, Bauru. Anais eletrônicos… São Paulo: UNESP, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2016.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (Org.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

FRUTUOSO, C.; TEIXEIRA, E. de A. Tecnologias de informação e comunicação (TIC) e inclusão digital: o papel dos laboratórios de informática educacional. In: COLÓQUIO DE EDUCAÇÃO ESCOLAR, 1., 2014, Porto Velho. Anais eletrônicos… Rondônia: Unir, 2014. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2015.

GALLO, S. Conhecimento, transversalidade e educação: para além da interdisciplinaridade. São Paulo: Canto Libertário, 2001.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GRAELLS, P. Os métodos didáticos na educação a distância. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GRZESIUK, D. F. Ferramentas de informática usadas na educação. Medianeira: UTFPR, 2008.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2005.

IFMG – Instituto Federal de Minas Gerais. Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2015.

JESUS, L. C. S. de. Mediação tecnológica na educação: mudanças na prática didático-pedagógica. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO, CIDADANIA E EXCLUSÃO: DIDÁTICA E AVALIAÇÃO, 4., 2015, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos… Rio de Janeiro: Ceduce, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2015.

JOHONSON, R. A.; WICHERN, D. W. Applied multivariate statistical analysis. 3. ed. New Jersey: Prentice-Hall, 2002.

JONASSEN, D. Computadores e ferramentas cognitivas. Porto: Porto Editora, 2007.

KENSKI, V. M. Educação e comunicação: interconexões e convergências. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, p. 647-666, 2008. Disponível em: . Acesso em: 8 out. 2016.

LITTLE, R. J. A.; RUBIN, D. B. Statistical analysis with missing data. New York: John Wiley and Sons, 2014.

LOPES, J. J. A introdução da informática no ambiente escolar. Rio Claro: [s.n.], 2004. Disponível em: . Acesso em: 5 ago. 2015.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

MEC – Ministério da Educação e Cultura. Parecer CNE/CEB nº 39/2004. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2015.

MENDES, A. TIC – Muita gente está comentando, mas você sabe o que é? Portal iMaster, mar. 2008. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2015.

MERCADO, L. P. L. Formação continuada de professores e novas tecnologias. Maceió: EDUFAL, 2002.

MICROSOFT. Ferramentas do Pacote Office. Disponível em: . Acesso em: 6 out. 2016.

MORAES, M. C. Informática educativa no Brasil: um pouco de história. Brasília: Lumine, 1997.

MORAN, J. M. Mudanças na comunicação pessoal. São Paulo: Paulinas, 2000.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2008.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 3. ed. Campinas: Papirus, 2010.

MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. 3. ed. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 2009.

MORESI, E. A. D. (Org.). Manual de metodologia da pesquisa. Brasília: Universidade Católica de Brasília, 2003.

NIED – Núcleo de Informática Aplicada à Educação; UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. Super Logo 3.0. Campinas, 2016. Disponível em: < http://www.nied.unicamp.br/?q=content/super-logo-30>. Acesso em: 9 out. 2016.

OLIVEIRA, C. C. de; COSTA, J. W. da; MOREIRA, M. Ambientes informatizados de aprendizagem: produção e avaliação de software educativo. Campinas: Papirus, 2001.

PELIZZARI, A. et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, Curitiba,v. 2, n. 1, p. 37-42, 2001/2002. Disponível em: . Acesso em: 8 out. 2016.

PERES, H. H. C.; KURCGANT, P. O ser docente de enfermagem frente a informática. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 12, n. 1, p. 101-108, jan./fev. 2004. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2015.

PERRENOUD, P. O nó da avaliação. Pátio Revista Pedagógica, Porto Alegre, Artmed, v. 3, n. 50, ano XIII, p. 8-11, maio/jul. 2009. Disponível em:. Acesso em: 6 out. 2016.

POMBO, O. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 3-15, mar. 2005. Disponível em: < http://liinc.revista.ibict.br/index.php/liinc/article/view/186/103>. Acesso em: 14 ago. 2015.

PRETTO, N. De L.; RICCIO, N. C. R. A formação continuada de professores universitários e as tecnologias digitais. Revista Educar, Curitiba, v. 1, n. 37, p. 153-169, maio/ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2016.

QUARTIERO, E. M. As tecnologias da informação e comunicação e a educação. Revista Brasileira de Informática na Educação, Florianópolis, v. 1, n. 4, p. 27-34, nov. 1999. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2015.

REIS, E. Estatística multivariada aplicada. 4. ed. Lisboa: Edições Sílabo, 2009.

ROCHA, M. M. S. da; MOURA, M. Z. da S.; FHILADELFIO, J. A. (Org.). Educação à distância: inclusão e tecnologia. São João del-Rei: UFSJ, 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2015.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 41. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

SABBAG, P. Y. Espirais do conhecimento: ativando indivíduos, grupos e organizações. São Paulo: Saraiva, 2007.

SAMPAIO, M. N. Alfabetização tecnológica do professor. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANCHES, V. J. C. Tecnologia para inovações na didática do ensino: um estudo de caso. Lousa Eletrônica, 2008. Disponível em: . Acesso em: 3 ago. 2015.

SANTOS, E. F. G.; CRUZ, D. M.; PAZZETTO, V. T. (2002). Ambiente educacional rico em tecnologia: a busca do sentido. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2015.

SANTOS, F. F. F. dos. Informática e educação: formação de professores e políticas públicas. 2011. 81 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

SANTOS, J. C. F. dos. Aprendizagem significativa: modalidades de aprendizagem e o papel do professor. Porto Alegre: Mediação, 2008.

SIEGEL, S.; CASTELLAN, J. N. J. Estatística não paramétrica para ciência do comportamento. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SOFFA, M. M.; ALCÂNTARA, P. R. de C. O uso do software educativo: reflexões da prática docente na sala informatizada. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (EDUCERE), 8., 2008, Curitiba. Anais eletrônicos… Curitiba: PUCPR, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2015.

SOUSA, A. V. de; DOURADO, D. L. O. Tecnologias da informação e comunicação na escola: desafios e possibilidades do uso do computador como inovação pedagógica. In: SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA E TECNOLOGIA, 1., 2013, Irecê. Anais eletrônicos… Irecê: UNEB, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2015.

SOUZA, M. C. C. Tecnologias avançadas e mudanças de paradigmas. In: SIMPÓSIO DE DESENVOLVIMENTO, TECNOLOGIAS E SOCIEDADE, 4., 2014, Itajubá. Anais eletrônicos… Itajubá: UNIFEI, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2016.

SPECTOR, P. E. Summated rating scale construction: an introduction. Los Angeles: Sage Age Series, 2002.

TAJRA, S. F. Informática na educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor na atualidade. 9. ed. rev. e ampl. São Paulo: Érica, 2012.

VALENTE, J. A. Projeto Um Computador por Aluno (UCA). Campinas: Nied/Unicamp, 2013.

VALENTE, J. A. O laptop educacional e a educação baseada na investigação: do estudar fatos científicos para o fazer ciência. Campinas: NIED/Unicamp, 2014.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)