ALINHAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DO CONHECIMENTO, GESTÃO DA INOVAÇÃO E DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EM UMA EMPRESA DE GRANDE PORTE DO SETOR ELÉTRICO

ISABELA SIMÕES DE AZEVEDO SILVA

Resumo


A Gestão da Inovação e a Gestão do conhecimento são considerados fatores que auxiliam as empresas a criar ou manter uma vantagem competitiva com relação ao mercado. A busca de diferenciais competitivos e constante mudanças faz com que muitas empresas busquem maneiras para contribuir com o seu desenvolvimento.

Nesse sentido, esse projeto tem como objetivo propor uma metodologia de alinhamento estratégico entre a Gestão do Conhecimento, Gestão da Inovação e Desempenho Organizacional. Para isso, através da revisão sistemática, serão estudados os relacionamentos entre os constructos na criação de valor para uma organização. Após esse estudo, será realizado uma análise bibliométrica, com intuito de realizar uma produção bibliométrica dos autores. Em seguida, será identificado, através da análise de redes, como esses autores e constructos estão relacionados. Para comprovar todo o estudo, os dados coletados serão utilizados para criação de um modelo em Design Science e esse modelo será aplicado qualitativamente para um grupo focal. 


Texto completo:

PDF

Referências


Atallah, Alvaro Nagib, e Aldemar Araujo Castro. “Revisão sistemática da literatura e metanálise”. Medicina baseada em evidências: fundamentos da pesquisa clínica. São Paulo: Lemos-Editorial, 1998, 42–8.

ALCARÁ, A. R.; TANZAWA, E. C. L.; DI CHIARA, I. G.; et al. As redes sociais como instrumento estratégico para a inteligência competitiva. TransInformação, v. 18, n. 2. Recuperado setembro 14, 2016, de http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/676, 2012.

ARAÚJO, C. A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em questão, v. 12, n.1. Recuperado setembro 14, 2016, de http://revistas.univerciencia.org/index.php/revistaemquestao/article/viewArticle/3707, 2007.

ANSOFF, I.; McDONNELL, E.J. Implantando a administração estratégica. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1993.

ASSUMPÇÃO, J.; FIGUEIREDO, P. N. Papel das competências técnico-organizacionais na estratégia organizacional: evidências de cinco organizações não governamentais no Rio de Janeiro (1996-2004). Análise–Revista de Administração da PUCRS, v. 18, n. 2. Recuperado setembro 14, 2016, de http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/face/article/viewArticle/323, 2008.

ALAVI, M.; LEIDNER, D. E.: Knowledge Management and Knowledge Management Systems: Conceptual Foundations and Research Issues. MIS Quarterly, v.25, n.1, p. 107- 137, 2001

BATISTA, F. F.; RECH, A. R.; GOMES, C. DE A.; et al. Casos reais de implantação do modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira. . Recuperado setembro 14, 2016, de http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/2877, 2014.

BORTOLASO, I. V.; VERSCHOORE, J. R.; OTHERS. Práticas de gestão de redes de cooperação horizontais: proposição de um modelo de análise. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 16, n. 3. Recuperado setembro 14, 2016, de https://cgg-amg.unb.br/index.php/contabil/article/view/543, 2013.

DE BRITO AMORIM, D. X. Desempenho Organizacional e Eficiência da Conversão dos Investimentos em Tecnologia da Informação no Setor Bancário Brasileiro. . Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enadi244.pdf.

BURLAMAQUI, L.; PROENÇA, A. Inovação, recursos e comprometimento: em direção a uma teoria estratégica da firma. Revista Brasileira de Inovação, v. 2, n. 1 jan/jun, p. 79–110, 2009.

CARMONA, C. U. D. M.; DE AQUINO, J. T.; GOUVEIA, R. L. A. Inovação e agregação de valor: Um estudo das empresas brasileiras mais inovadoras. Exacta, v. 14, n. 1. doi: 10.5585/exactaep.v14n1.6170, 2016.

COSTA, L. F. DA; DUARTE, E. N.; GOMES, J. D. O.; SILVA, A. C. P. DA. A revista Perspectivas em Gestão & Conhecimento (PG&C): Criação, gestão editorial e espectro de temas publicados. Biblios: Journal of Librarianship and Information Science, , n. 56, p. 80. doi: 10.5195/biblios.2014.170, 2015.

CHOO, C. W. (2006) The knowing organization: how organizations use information to construct meaning, create knowledge, and make decisions. New York: Oxford University Press, chap.1, 1-28.

CHOO, C. W.; ALVARENGA, R. C. D. N..; Beyond the ba: managing enabling contexts in knowledge organizations. Journal of Knowledge Management. Vol. 14 no. 4 2010, pp. 592- 610, Q Emerald Group Publishing Limited, ISSN 1367-3270 Doi 10.1108/13673271011059545.2010.

DAGNINO, R. A Relação Universidade-Empresa no Brasil e o“ Argumento da Hélice Tripla”. Revista Brasileira de Inovação, v. 2, n. 2 jul/dez, p. 267–307, 2009.

DALMAU, M. B. L.; PACHECO, A. S. V.; VITAL, J. T.; BENETTI, K. C. Knowledge Management At A Superior Education Institution: Case Study Considering The Offer Of A Distance Graduation Course. International Conference on Information Systems and Technology Management. Anais... . v. 4. Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.tecsi.fea.usp.br/pastcontecsi/index.php/contecsi/article/view/1309, 2007.

DAVENPORT, T. H.; Prusak, L. (1998) Conhecimento Empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.

FARRELL, M. A.; OCZKOWSKI, E.; KHARABSHEH, R. Market orientation, learning orientation and organisational performance in international joint ventures. Asia Pacific Journal of Marketing and Logistics, v. 20, n. 3, p. 289–308. doi: 10.1108/13555850810890066, 2008.

FREIRE, H. J. F.; DE SOUZA, G. M.; PEREIRA, A. L. O CAPITAL IN℡ECTUAL NAS ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS. NEGÓCIOS EM PROJEÇÃO, v. 6, n. 1, p. 259–276, 2015.

DE FREITAS, A. S. A Design Research como método de pesquisa de Administração: Aplicações práticas e lições aprendidas. . Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.anpad.org.br/admin/pdf/2013_EnANPAD_EPQ748.pdf.

GOMES, I. S.; DE OLIVEIRA CAMINHA, I. Guia para estudos de revisão sistemática: uma opção metodológica para as Ciências do Movimento Humano. Movimento (ESEF/UFRGS), v. 20, n. 1, p. 395–411, 2014.

GROSSI, M. G. R.; LOPES, A. M.; JESUS, P. M. DE; GALVÃO, R. R. O. A utilização das tecnologias digitais de informação e comunicação nas redes sociais pelos universitários brasileiros. Texto Digital, v. 10, n. 1, p. 4. doi: 10.5007/1807-9288.2014v10n1p4, 2014.

GUISSONI, L. A.; NEVES, M. F. Ensaio sobre a Análise de Desempenho em Marketing e Aplicação de Métricas. Revista Brasileira de Marketing e-ISSN: 2177-5184, v. 12, n. 4, p. 201–229, 2013.

HENRIQUE ROCHA FERNANDES, B.; TEREZA LEME FLEURY, M.; MILLS, J. Construindo o diálogo entre competência, recursos e desempenho organizacional. Revista de Administração de Empresas, v. 46, n. 4, p. 1–18, 2006.

LAMBERTI, L.; NOCI, G. Marketing strategy and marketing performance measurement system: Exploring the relationship. European Management Journal, v. 28, n. 2, p. 139–152. doi: 10.1016/j.emj.2009.04.007, 2010.

LIAO, Y.; LIAO, K.; TU, Q.; VONDEREMBSE, M. A mechanism for external competence transfer to improve manufacturing system capabilities and market performance. International Journal of Production Economics, v. 132, n. 1, p. 68–78. doi: 10.1016/j.ijpe.2011.03.007, 2011.

LOPES, I. F.; BEUREN, I. M. Evidenciação da Inovação no Relatório da Administração: uma análise na perspectiva da Lei do Bem (Lei No. 11.196/2005). Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 6, n. 1, p. 109–127, 2016.

MACHADO, E. S.; PERERIRA, J. A.; FRANCO, F. G.; DA SILVA, T. A. C. Capital Intelectual e Gestão do Conhecimento: Desafios dos Gestores de Recursos Humanos Diante dos Novos Contextos de Gerenciamento. Revista de Ciências Gerenciais, v. 19, n. 30, p. 3–9, 2016.

MARIA BEUREN, I.; RONCON, A. REDES SOCIAIS EM ARTIGOS SOBRE INOVAÇÃO PUBLICADOS EM PERIÓDICOS INTERNACIONAIS. Revista Gestão Organizacional (RGO), v. 8, n. 3. Recuperado setembro 14, 2016, de http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&profile=ehost&scope=site&authtype=crawler&jrnl=19836635&AN=116665644&h=jzQ%2BDArQY57YIyY5XCrgYXHKaoAd%2FD7epUEqHau4ym%2Fndyf4yOk4xVRXgutdekQJ6wChgrWNu8KRPKuQPWtvrg%3D%3D&crl=c, 2015.

MARINO, A. M.; PASSOS, J. F.; MAGALHÃES, A. L. Redes sociais como mecanismos de otimização no processo de educação a distância (EAD). X SEGeT–Simpósio de excelência em Gestão e Tecnologia. Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.professores.aedb.br/seget/artigos13/28518508.pdf, 2013.

MARTELETO, R. M.; OTHERS. Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação. . Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/2247, 2010.

MARTELETO, R. M.; SILVA, A. B. DE O. Redes e capital social: o enfoque da informação para o desenvolvimento local. Ciência da informação, v. 33, n. 3, p. 41–49, 2004.

MATHEUS, R. F.; PARREIRAS, F. S.; PARREIRAS, T. A. S. Análise de redes sociais como metodologia de apoio para a discussão da interdisciplinaridade na ciência da informação. Ciência da Informação, v. 35, n. 1, p. 72–93, 2006.

DE MATTOS, P. L. C. “ Bibliometria”: a metodologia acadêmica convencional em questão. RAE-eletrônica, v. 3, n. 2, p. 1–6, 2004.

MOORMAN, C.; RUST, R. T. The role of marketing. The Journal of Marketing, p. 180–197, 1999.

MORGAN, N. A. Marketing and business performance. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 40, n. 1, p. 102–119. doi: 10.1007/s11747-011-0279-9, 2012.

MORESI, Eduardo Amadeu Dutra. Inteligência Organizacional: um referencial integrado. Ci. Inf. Vol 30. n. 2, p. 35 – 46. Mai/ago 2001. Brasília.

MORGAN, N. A.; CLARK, B. H.; GOONER, R. Marketing productivity, marketing audits, and systems for marketing performance assessment: integrating multiple perspectives. Journal of Business Research, v. 55, n. 5, p. 363–375, 2002.

MURRAY, J. Y.; GAO, G. Y.; KOTABE, M. Market orientation and performance of export ventures: the process through marketing capabilities and competitive advantages. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 39, n. 2, p. 252–269. doi: 10.1007/s11747-010-0195-4, 2011.

NONAKA, I.; Takeuchi, H. (2008) Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman.

O’CASS, A.; WEERAWARDENA, J. The effects of perceived industry competitive intensity and marketing-related capabilities: Drivers of superior brand performance. Industrial Marketing Management, v. 39, n. 4, p. 571–581. doi: 10.1016/j.indmarman.2009.04.002, 2010.

DE OLIVEIRA, M. A. C.; GARCIA, R. A. M.; MENDES, D. R. F. Ambiente de inovação em micro e pequenas empresas: uma análise sob a ótica do Radar da Inovação. Revista Multitemas, , n. 48. Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.multitemas.ucdb.br/article/view/141, 2015.

DE OLIVEIRA MARCO, C.; SANTOS, S. L. Inovação Tecnológica: O que há de incentivos fiscais na lei 11.196/2005 às empresas que investem em inovação tecnológica. Revista Eletrônica do Curso de Ciências Contábeis, , n. 4. Recuperado setembro 14, 2016, de https://seer.faccat.br/index.php/contabeis/article/view/57, 2014.

PARRY, S.; JONES, R.; ROWLEY, J.; KUPIEC‐TEAHAN, B. Marketing for survival: a comparative case study of SME software firms. Journal of Small Business and Enterprise Development, v. 19, n. 4, p. 712–728. doi: 10.1108/14626001211277488, 2012.

DE PAULA, E. W.; BIGNETTI, L. P. Estudo sobre as práticas de inovação e as estratégias adotadas por empreendedores de alta tecnologia. Revista Economia & Gestão, v. 3, n. 6. Recuperado setembro 14, 2016, de http://periodicos.pucminas.br/index.php/economiaegestao/article/viewArticle/95, 2008.

PIMENTA DA GAMA, A. An expanded model of marketing performance. (A. A. Hines, Org.)Marketing Intelligence & Planning, v. 29, n. 7, p. 643–661. doi: 10.1108/02634501111178677, 2011.

PONCHIROLLI, O.; FIALHO, F. A. P. Gestão estratégica do conhecimento como parte da estratégia empresarial. Revista FAE, Curitiba, v. 8, n. 1, p. 127–138, 2005.

PORTER, M. E. (1996). What is strategy? Harvard Business Review, Boston, 74(6), p. 61-78, Nov/Dec.

PROFILE, O. P. E. Perfil Empreendedor e Desempenho Organizacional Perfil Empreendedor e Desempenho Organizacional. Recuperado setembro 14, 2016, de http://www.scielo.br/pdf/rac/v13n3/v13n3a07, 2009.

RAMOS, M. A. S.; FARIA, P. M. M.; FARIA, Á. F. L. Revisão Sistemática de Literatura: contributo para a inovação na investigação em Ciências da Educação. Revista Diálogo Educacional, v. 14, n. 474, p. 17. doi: 10.7213/dialogo.educ.14.041.DS01, 2014.

RODRIGUES y RODRIGUES, M. V. Gestão do conhecimento: reinventando a empresa para uma sociedade baseada em valores intangíveis. Rio de Janeiro: IBPI Press, 2001.

RODRIGUEZ Y RODRIGUEZ, Martius V. (Org.) Gestão do Conhecimento e Inovação nas Empresas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2011.

SAMPAIO, C. H.; PERIN, M. G. Forms of Market Orientation in the Retail Apparel Industry in Brazil. Available at SSRN 273838. Recuperado setembro 14, 2016, de http://papers.ssrn.com/sol3/Papers.cfm?abstract_id=273838, 2003.

SANTOS, CARNEIRO, Martius V. (Org.) Inovação e desempenho organizacional: um estudo das publicações científicas da base web of knowledge. Revista Pensamento Contemporaneo em Administração, v. 7 * n. 4 * out /dez. 2013 * 58-76*.

SCHREIBER, D. O compartilhamento do conhecimento entre contratante e contratado no processo de externalização de atividades de P&D. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 5, n. 2, p. 127–146, 2015.

SCHUMANN, C. M.; COUTINHO, C. V.; DA ROSA MARINO, E. O USO DAS REDES SOCIAIS NA EAD. REVISTA CESUCA VIRTUAL: CONHECIMENTO SEM FRONTEIRAS-ISSN 2318-4221, v. 2, n. 4, p. 106–116, 2015.

SCHUMPETER, Joseph A. 1961. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura.

SILVA, F. B.; ALVES, M. DE A. R.; DE OLIVEIRA, P. R. M. Práticas Empreendedoras: Uma Análise das Redes Sociais como forma de Impulsionar a Gestão de Vendas e os Negócios das Empresas. Revista Conbrad, v. 1, n. 1, p. 157–190, 2016.

SILVA, P.; SILVA, R. B. Gestão do Desempenho Organizacional numa Empresa Familiar: estudo de caso. CIAIQ2014, v. 3. Recuperado setembro 14, 2016, de http://proceedings.ciaiq.org/index.php/CIAIQ/article/view/512, 2015.

SILVA, S. S. Estudo do processo de aprendizagem e mudança organizacional em micro e pequenas empresas frente à internacionalização dos seus negócios. . Recuperado setembro 14, 2016, de http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/1576, 2013.

SLATER, S. F.; OLSON, E. M.; HULT, G. T. M. Worried about strategy implementation? Don’t overlook marketing’s role. Business Horizons, v. 53, n. 5, p. 469–479. doi: 10.1016/j.bushor.2010.04.001, 2010.

SOUZA, Q.; QUANDT, C. Metodologia de análise de redes sociais. O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, p. 31–63, 2008a.

SOUZA, Q.; QUANDT, C. Metodologia de análise de redes sociais. O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, p. 31–63, 2008b.

TEIXEIRA FILHOS, Jayme. Gerenciando Conhecimento. 2 ed. Rio de Janeiro: SENAC, 2001.

TELLES, André. A Revolução das Mídias Sociais. Cases, Conceitos e Ferramentas. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda, 2011.

TERRA, J. C. C. (2001) Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. 2ª ed. São Paulo: Negócio Editora.

TIDD, Joe; BESSANT, John; PAVITT, Keith. Gestão da inovação. Bookman. 3ed., 2008.

TIGRE, P. B. (2006) Gestão da inovação. A economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Campus.

TRIERVEILER, H. J.; SELL, D.; DOS SANTOS PACHECO, R. C. A importância do conhecimento organizacional para o processo de inovação no modelo de negócio. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 5, n. 1, p. 113–126, 2014.

VALENTIM, C. R. S.; OTHERS. Modelagem de conhecimento estratégico nos processos de negócio: proposta de um modelo suportado pela metodologia CommonKADS. . Recuperado setembro 14, 2016, de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/90978, 2008.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento em ambientes organizacionais: conceitos e compreensões. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 1, n. 1. Recuperado setembro 14, 2016, de http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/viewArticle/110, 2014.

WEERAWARDENA, J.; O’CASS, A.; JULIAN, C. Does industry matter? Examining the role of industry structure and organizational learning in innovation and brand performance. Journal of Business Research, v. 59, n. 1, p. 37–45. doi: 10.1016/j.jbusres.2005.02.004, 2006.

YIN WONG, H.; MERRILEES, B. Multiple roles for branding in international marketing. (J. Small, Org.)International Marketing Review, v. 24, n. 4, p. 384–408. doi: 10.1108/02651330710760982, 2007.

Kaplan, Robert S. e Norton, David P. "A estratégia em ação: Balanced Scorecard". Rio de Janeiro: Campus, 1997, p.25.

YOO, K.; SUH, E.; KIM, K.Y. Knowledge flow-based business process redesign: applying a knowledge map to redesign a business process. Journal of Knowledge Management, v. 11, n. 3, p. 104-125, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)