AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO EIXO INTERDISCIPLINAR NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO

Luiz Henrique Pimentel Gomes

Resumo


A cada momento, as tecnologias de informação e comunicação (TIC) vêm se destacando como um instrumento auxiliar em todas as áreas de ação. No ambiente escolar não é diferente, seja como ferramenta técnica (secretarias, bibliotecas, etc.) seja dentro das salas de aula. No mundo em que vivemos, é quase impossível não estar diretamente em contato com alguma tecnologia, por isso, a disciplina Noções de Informática, inclusa na parte diversificada no Ensino Médio, vem sendo vista de forma atraente aos estudantes. Este trabalho tem como objetivo identificar fatores que têm impedido a utilização das tecnologias de informação e comunicação como instrumento motivacional e de promoção do conhecimento pelos docentes do Ensino Médio Integrado do Instituto Federal de Minas Gerais do campus Governador Valadares em aplicações interdisciplinares. Para atingir esse objetivo, foi feita uma análise dos Planos de Ensinos das disciplinas ministradas no Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente; em seguida, um questionário foi aplicado para identificar a percepção de docentes sobre o uso das TIC no apoio ao processo de ensino/aprendizagem. O estudo traz contribuições para outras instituições de ensino público ou privado, por meio de informações sobre a utilização das tecnologias de informação e comunicação como eixo interdisciplinar para integração do Ensino Médio com o profissionalizante

Texto completo:

PDF

Referências


AOKI, Jane Maria Nóbrega. As tecnologias de informação e comunicação na formação continuada dos professores. EDUCERE, Revista da Educação, p. 43-54, vol. 4, n. 1, jan./jun., 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2015

BRASIL. Casa Civil, Decreto 5.145 de 23 de julho de 2004; Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL. Casa Civil, Lei º 11.195 de 18 de novembro de 2005; Criação do plano de expansão da educação profissional do Governo Federal.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013a.

BRASIL. Lei 11.741 de 16 de julho de 2008; altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica.

BRASIL. Lei nº 11.892 de dezembro de 2008. Dispõe sobre a instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

BRASIL. MEC/CEB, Resolução 02 de 30 de janeiro de 2012. Define as Diretrizes curriculares do Ensino Médio.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCNEM). Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Profissional e Tecnológicas, Resolução 034 de 03 de Outubro de 2013b. Dispõe sobre a alteração do Estatuto do IFMG com vista a desvincular a Auditoria Interna do Gabinete do Reitor para vinculá-la ao Conselho Superior da Instituição. E publica na integra o estatuto do Instituto Federal de Minas.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnológica de Minas Gerais. Gabinete do Reitor. Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais. Anexo à resolução 034 do conselho superior, de 03 de outubro de 2013d. Disponível em:

ATUALIZADA%20-%20setembro%202013.pdf>. Acesso em: 22 nov. 2015

BRASIL Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFMG 2009-2013, MEC, IFMG, 2009.

BRASIL. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Meio Ambiente. Governador Valadares: MEC, IFMG/GV, 2013c.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

BELLONI, Maria L. Educação a distância. Campinas, São Paulo: Associados, 2005.

BLONDIN, Fernanda. A importância das redes sociais na educação. Disponível em Acesso em: 06 maio 2011.

BRIGNOL, Sandra Maria Silva. Novas tecnologias de informação e comunicação nas relações de aprendizagem da estatística no ensino médio. 2004. 68f. Monografia. Faculdade Jorge Amado, Salvador. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2012.

CASTELLS, Manuel, A galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Orgs.). O ensino médio integrado. Concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

CONFORTO, Debora; SANTAROSA, L. M. C. Acessibilidade à Web: Internet para Todos. Revista de Informática Teórica e Aplicada, v. 5, n. 2, p. 87-102, 2002.

CORDEIRO, Valdete Jane. Prática pedagógica no processo ensinoaprendizagem: um estudo de caso na escola profissionalizante Senac/Concórdia, SC. B. Téc. Senac: a R. Educ. Prof., Rio de Janeiro, v. 36, n. 3, set./dez. 2010.

DORNELES, Darlan Machado. A formação do professor para o uso das tics em sala de aula: uma discussão a partir do projeto piloto uca no Acre. Texto Livre – Linguagem e Tecnologia, v. 5, n. 2, 2012. Disponível em:

textolivre>. Acesso em: 14 maio 2013.

FAVA, Rui. EDUCAÇÃO 3.0: Aplicando o PDCA nas instituições de Ensino. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

FREIRE. Educação e Mudança. 25. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

GADOTTI, Moacir. A boniteza de um sonho: aprender e ensinar com sentido. Abceducatio, Ano III, n. 17, 2002, p. 30-33.

GALLO, Silvio. Disciplinaridade e transversalidade. In: ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith et al. Linguagens, espaços e tempos no ensinar e aprender. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

GALLO, Sílvio. Educação e Interdisciplinaridade. Impulso, v. 7, n. 16. Piracicaba: Ed. Unimep, 1994, p. 157-163.

GATTI, Bernadete A. Os agentes escolares e o computador no ensino. Revista de Educação e Informática, São Paulo, ano 4, dez. 1993.

GOMES, Henriette Ferreira. O ambiente informacional e suas tecnologias na construção dos sentidos e significados. Ci. Inf., Brasília, v. 29, n. 1, p. 61-70, jan./abr. 2000.

GONÇALVES, Marluce Torquato Lima; NUNES, João Batista Carvalho. Tecnologias de informação e comunicação: limites na formação e prática dos professores. GT – Educação e Comunicação, n. 16, 2006.

GOULART, Guilherme Damasio. O Impacto das Novas Tecnologias nos Direitos Humanos e Fundamentais: O Acesso à Internet e a Liberdade de Expressão 2012. Revista Direitos Emergentes na Sociedade Global, v. 1, n. 1, p. 145, 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2015.

IFMG. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2014.

KENSKI, Vani. Moreira. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2008.

KLEIN, Julie Thompson. Ensino interdisciplinar: didática e teoria. In: FAZENDA, I. C. A.(org.). Didática e interdisciplinaridade. 6. ed. Campinas: Papirus, 2001, p. 109-132.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Maria de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas 2003.

LÉVY, P. Cibercultura. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1999.

LOPES, José Julio. A introdução da informática no ambiente escolar. Clube do professor. 2004. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2014.

LORIERI, Marcos. Antônio. Complexidade, Interdisciplinaridade, Transdisciplinaridade e Formação de Professores. 2010. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2014.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENDES, Alexandre. TIC – Muita gente está comentando, mas você sabe o que é?, Revista Abril, s. n. imasters, artigo de n. 8278, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2012.

MORAN, J. M. Mudar a forma de ensinar e de aprender com as tecnologias: transformar as aulas em pesquisas e comunicação presencial-virtual. 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2016.

MORAN, José Manuel. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n. 12, p. 13-21, Mai/Ago 2004. Quadrimestral.

MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas Tecnologias e mediação pedagógica. 17. ed. São Paulo: Editora Papirus, 2010.

OEI. A integração das TIC na escola: indicadores qualitativos e metodologia de pesquisa. Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), 2010. Disponível em . Acesso em: 15 jan. 2015.

PACHECO, Eliezer. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília: MEC/SETEC, 2011.

PARCIANELLO, Leudemila; KONZEN, Paulo Cezar. Docência no Ensino Superior: O uso das Tecnologias na formação de professores em Licenciatura. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2014.

PEÑA, Maria de los Dolores Jimenez. Ambientes de aprendizagem virtual: O desafio a prática docentes. São Paulo: Editora Senac, 2004.

PERES, Heloisa Helena Ciqueto; KURCGANT, Paulina. O ser docente de enfermagem frente à informática. Rev. Latino-am Enfermagem. Ribeirão Preto. v. 12, n. 1, jan./fev. p. 101-108. 2004.

POMBO, Olga, Epistemologia da Interdisciplinaridade. In: PIMENTA, Carlos (Coord.). Interdisciplinaridade, Humanismo Universidade. Porto: Campo das Letras, 2004, p. 93-112.

POMBO, Olga. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em Revista, v. 1, n. 1, março 2005, p. 3-15. Disponível em:

view/23>. Acesso em: 20 jan. 2015.

PRENSKY, Marc. Não me atrapalhe, mãe – estou aprendendo! Como os videogames estão preparando nossos filhos para o sucesso no século XXI – e como você pode ajudar! São Paulo: Phorte, 2010.

SETTE, Sonia Schechtman; AGUIAR, Márcia Angela; SETTE, José Sérgio Antunes. Formação de professores em informática na educação: um caminho para mudanças. In: Coleção Informática para a mudança na educação – Ministério da Educação/ Secretaria de Educação à Distância e Programa Nacional de Informática na Educação. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2012.

SHAVELSON, R. J.; MCDONNELL, L.; OAKES, J. What are educational indicators and indicators systems? 1991. Practical assessment. Research & Evaluation, 2 (11). Retrieved May 3, 2008. Disponível em: Acesso em: 20 out. 2011.

SILVA, J. C. A integração das TIC no ensino secundário em Cabo Verde. 2014. 180f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Educacional), Universidade Aberta, Lisboa.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 5-17, janeiro-abril, 2004.

SUNKEL, G. Las TIC en educación en América Latina: Visión panorámica. In: CARNEIRO, R. et al. (Coord.). Los desafíos de las TIC para el cambio educativo. Madrid/São Paulo: OEI – Fundación Santillana, 2011.

TARJA, Sanmya Feitosa. Informática na educação: Novas ferramentas pedagógicas para o professor da atualidade. 2. ed. São Paulo: Ed. Érica, 2000. 143 p.

VALENTE, José Armando. Informática na educação no Brasil: análise e contextualização histórica. In: VALENTE, José Armando (org.). O Computador na Sociedade do Conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED, 1999, p. 01-27.

VALENTE, José Armando. O uso inteligente do computador na educação. Pátio, Ano 1, n. 1, Ed. Artes Médicas Sul, 1997, p. 19-21.

VASCONCELLOS, C. S. Elaboração do Plano de Ensino-aprendizagem e projeto educativo. São Paulo: Libertad, 1995, p. 118-141.

XAVIER, Cínthia Oliveira; VIANA, Vanessa Faria; MAIA, Luiz Cláudio Gomes. As tecnologias e sua atuação na comunicação e nos processos educativos. SynThesis Revista Digital, 2012, p. 77-85.

YIN, R. K. Case study research: Design and methods. Newbury Park. CA: Sage, 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)