INCLUSÃO DIGITAL NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DA TECNOLOGIA NA ESCOLA ES-TADUAL DEPUTADO JOÃO EVARISTO CURVO DA CIDADE DE JAURU - MT

NILCEIA SALDANHA CARNEIRO

Resumo


RESUMO

 

 

 

O presente trabalho pretende identificar quais as dificuldades encontradas para a implementação da inclusão digital no Ensino Médio da Escola Estadual Deputado João Evaristo Curvo, na cidade de Jauru, Mato Grosso. Os objetivos da pesquisa serão: Identificar os principais ambientes de aprendizagem digital dos alunos do Ensino Médio; Descrever as formas de apropriação da tecnologia da informação realizadas pelos educadores, educandos e pela instituição e avaliar a eficácia da tecnologia da informação para a implementação da inclusão digital e social dos mesmos. A metodologia utilizada para a realização do trabalho será a pesquisa caracterizada como qualitativa descritiva, e ela se dará através de observações e questionários. Através da análise dos resultados buscar-se-á pensar e repensar a realidade vivenciada pelo educador em salas no Ensino Médio e na validação de um modo mais viável para a implementação da inclusão digital. Na medida em que a reflexão for realizada esta pesquisa deverá contribuir para facilitar a busca e o interesse dos estudantes pela aprendizagem e pelas inovações tecnológicas, a fim de que os mesmos disponham de um patrimônio intelectual e encontrem condições de autorrealização e crescimento sociocultural, pois a interação escolar exige-se uma postura adequada de todos os envolvidos, e variedades educacionais que devem ser trabalhadas na prática do processo de ensino pedagógico.

 

Palavras-chave: Implementação. Inclusão Digital. Ensino Médio.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ALMEIDA, F. J.; ALMEIDA, M. E. B. Educação à distância em meio digital: novos espaços e outros tempos de aprender, ensinar e avaliar. Virtual Educa 2003, Miami, USA, 2003. In: ALMEIDA, M. E. B. de. Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. Educ. Pesqui., São Paulo , v. 29, n. 2, p. 327-340, Dec. 2003 . Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2015.

ALMEIDA, M.; RUBIM, L. O papel do gestor escolar na incorporação das TIC na escola: experiências em construção e redes colaborativas de aprendizagem. São Paulo: PUC-SP, 2004.

ALMEIDA, M. E. B. de. Desafios e possibilidades da atuação docente on-line. PUC-Viva, São Paulo, n. 24, jul./set. 2005.

ALMEIDA, N. A. et al. Tecnologia na escola: abordagem pedagógica e abordagem técnica. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

ANDRADE, H. Cresce quase 40% o número de domicílios com computador e Internet. UOL. 21 set. 2012. Disponível em: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/09/21/ cresce- quase-40-o-numero-de-domicilios-com-computador-e-Internet-diz-ibge.htm. Acesso em: 14 out. 2015.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa de Almeida. São Paulo: Perspectiva, 1972.

BABIN, P.; KOULOUMDJIAN, M. F. Os novos modos de compreender: a geração do au-diovisual e do computador. São Paulo: Edições Paulinas, 1989.

BAPTISTA, S. G.; CUNHA, M. B. da. Estudos de usuários: visão global dos métodos de coletas de dados. Perspectivas em ciência da informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 2, p. 168-184, maio/ago. 2007.

BECKER, B. Amazônia. São Paulo: Ática, 1994.

BECKER, M. L. Inclusão digital e cidadanias possibilidades e as ilusões da solução tecno-lógica. Ponta Grossa: UEPG, 2009.

BERGMANN, H. M. B. Escola e inclusão digital: desafios na formação de redes de saberes e fazeres. 2006. 392 f. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2015.

BETTS, D. N. Novos paradigmas para a educação. Revista do Cogeime, [S. l.], v.13, 1998.

BIANCHI, P.; HATJE, M. A formação profissional em Educação Física permeada pelas tec-nologias de informação e comunicação no centro de Educação Física e desportos da Universidade Federal de Santa Maria. Pensar a Prática, [S. l.], v. 10, n.2, p. 123-138, 2007.

BONETI, L. W. Exclusão e Inclusão Social: teoria e método. Contexto e Educação, Ano 21, n. 75, p. 187-206, jan./jun. 2006. Disponível em: . Acesso em: out. de 2015.

BORGES NETO, H. Uma classificação sobre a utilização do computador pela escola. Revista Educação em Debate, Fortaleza, ano 21, v.1, n. 27, p. 135-138, 1999.

BONILLA, Maria Helena. Escola aprendente: para além da sociedade da informação. Rio de Janeiro: Quartet, 2005.

BRASLAVSKY, C. As políticas educativas ante a revolução tecnológica, em um mundo de interdependências crescentes e parciais. In TEDESCO, J. C. (Org.). Educação e novas tecno-logias. São Paulo: Cortez; Buenos Aires: Instituto Internacional de Planejamiento de La Educación; Brasília: UNESCO, 2004.

BRASIL. Constituição (1988). São Paulo: Saraiva 2011.

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Metade dos brasileiros acessou a Internet em 2013, aponta IBGE. Quinta 18 Setembro 2014. Disponível em: . Acesso em: out de 2015

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Portaria nº 948, de 09 de Outubro de 2007. Disponível em: . Acesso em: 09 nov. de 2015.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº6. 300, de 12 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o Programa Nacional de Tecnologia Educacional ProInfo. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2015.

BRASIL. IBGE. Metade dos brasileiros estão conectados à internet; Norte lidera em acesso por celular. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

CALDEIRA, A. C. M. Avaliação da aprendizagem em meios digitais: novos contextos. Abril de 2004. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2015.

CAMPOS, F.; ROCHA, A. R. Design instrucional e construtivismo: em busca de modelos para o desenvolvimento de software. In: CONGRESSO RIBIE, 4., 1998. Brasília, DF, 1998. Disponível em: http://www.niee.ufrgs.br/ribie98/TRABALHOS/250M.PDF. Acesso em: 10 jan. 2016.

CAPELATTO, I. Diálogos sobre a afetividade. São Paulo: Papirus, 2007.

CARVALHO, R. E. Escola Inclusiva – a reorganização do trabalho pedagógico. Porto Alegre: Mediação, 2008.

CASTELLS, M. A Galáxia Internet: Reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, Oxford University Press, 2007.

DEMO, P. Questões para teleducação. Petrópolis: Vozes, 1998.

DEMO, P. Participação é conquista: noções de política social participativa. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

DELORS, J. (Coord.). Educação, um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Porto: ASA, 1996.

DIAS, N. de F. O uso das novas tecnologias na formação de professores. Anais CHIP 2008. Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: www.julioaraujo.com/chip/usodasnovastecnologias.pdf. Acesso em: 10 nov. 2015.

DINIZ, E. Governo Digital na América Latina -Relatório Final de Pesquisa, 2002. Disponível em: . Acesso em 22 dez. 2015.

DIZARD JÚNIOR, W. A nova mídia: a comunicação de massa na era da informação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

DORNELES, D. M. A formação do professor para o uso das TICs em sala de aula: uma discussão a partir do projeto piloto UCA no Acre. Texto Livre, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, 2012.

ESTATÍSTICAS DE CELULARES NO BRASIL. 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2016.

FELICETTI, V. L.; MOROSINI, M. C. Do compromisso ao comprometimento: o estudante e a aprendizagem. 2010. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2015.

FREIRE, P. Cartas a Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

FREIRE, P. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’Água, 1996.

FREIRE, P. A pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: UNESP, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Educação e mudança. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, P; PAPERT, S. Diálogos impertinentes: o futuro da escola. São Paulo: TV PUC, 1996.

FONTINATE, M. C. F. Inclusão digital. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 out. de 2015.

FRÓES, J. R. M. Educação e informática: a relação Homem / Máquina e a questão da cognição. Brasília, março de 1996. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2015.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS – FGV. 2004. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2015.

GADOTTI, M. A boniteza de um sonho: aprender e ensinar com sentido. Abceducatio, Ano III, n. 17, p. 30-33, 2002.

GOMES, H. S. Acesso à internet chega a 50% das casas no Brasil. Do G1. São Paulo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 13. dez. 2015.

HAETINGER, M. Informática na educação – um olhar criativo. São Paulo: Papirus, 2003.

HOLANDA, A. Questões sobre pesquisa qualitativa e pesquisa fenomenológica. Análise. Psicologia, Lisboa, v. 24, n. 3, p. 363-372, jul. 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 dez. 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2015.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional. São Paulo: Cortez, 2006.

ISABEL, A. B. B. Ajudas técnicas: inclusão digital? São Paulo, abril de 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2015.

JETRO. História da internet. Blog do Jetro. Disponível em: . Acesso em 20 de dez. 2015.

KEEN, P. G. W. Guia gerencial para a tecnologia da informação: conceitos essenciais e

terminologia para empresas e gerentes. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1996.

KENSKI, V. M. O Ensino e os recursos didáticos em uma sociedade cheia de tecnologias. In VEIGA, I. P. Alencastro (Org.). Didática: o Ensino e suas relações. Campinas: Papirus, 1996.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologia: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2008.

KIESLER, S. Mensagens ocultas nas redes de computadores. In: ARGYRIS, Chris et al. Co-municação eficaz na empresa: como melhorar o fluxo de informações para tomar decisões corretas. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

KONZEN, P. C.; PARCIANELL, L. Docência no ensino superior: o uso das novas tecnologias na formação de professores na licenciatura. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2015.

KOCHHANN, Andréa. Por uma pedagogia psicanalítica: as vicissitudes na formação de professores. Dissertação de mestrado em Educação com área de concentração em Psicanálise.

Goiânia: 2007.

LIMA, A. A.; SOUZA, E. P. Gestão educacional e o uso das tecnologias de informação e comunicação na escola estadual “João de Campos Borges” do município de Barra do Bugres/MT. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2015.

LE COADIC, Y-François. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

LEITE, L. et al. Tecnologia educacional: mitos e possibilidades na sociedade tecnológica, Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 29, n. 148, p. 38-43, jan./mar. 2000.

LEITE, L. S. (Coord.). Tecnologia educacional: descubra suas possibilidades na sala de aula. Petrópolis: Vozes, 2003.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. São Paulo: 2004.

LOPES, J. J. Introdução da informática no ambiente escolar. Clube do professor, 23 de fevereiro de 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2015.

MARÇAL FLORES, A. A Informática na educação: Uma Perspectiva Pedagógica. Universidade do Sul de Santa Catarina. 1996. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2015.

MARQUES, F. P. J. A. Democracia on-line e o problema da exclusão digital. Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 30, p. 93-113, jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2016.

MARTELETO, R. M. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da in-formação. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 71-81, jan./abr. 2001.

MASETTO, M. F. Docência na universidade. Campinas: Papirus, 1998.

MASETTO, M. T.; MORAN, J. M. BEHRENS, M. A. Novas Tecnologias e mediação pe-dagógica. 17. ed. São Paulo: Papirus, 2010.

MATURANA, H. et al. (Org.). Cognição, ciência e vida cotidiana. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

MENDES, D. S.; PIRES, G. L. Educação Física & novas linguagens comunicacionais: sentidos e significados da produção de recursos audiovisuais na formação de professores. Revista Pensar a Prática, [S. l.], v. 9, n 2, 2006. Disponível em: . Acesso em: 18 out de 2015.

MENEGUELLI, F. O novo perfil do professor: usar as novas tecnologias. In: Nova Escola. São Paulo, 2010.

MUCCHIELLI, R. Les méthodes qualitatives. Paris : Presses Universitaires de France, 1991.

MORAES, Â. C. M. de et al. Formação de docentes universitários: adequar a educação a um processo paradigmático holístico. 25 maio 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2014.

MIZUKAMI, M. da G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

MORAN, J. M. O que é um bom curso a distância? 20 set. 2002. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2015.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2007.

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e tele-máticas. São Paulo, 2009.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas Tecnologias e mediação pe-dagógica. 17. ed. São Paulo: Papirus, 2010.

MOURA, R. A. Sistemas e técnicas de movimentação e armazenagem de materiais. 4. ed. São Paulo: IMAM, 1998.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: A. Nóvoa (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Nova Enciclopédia, 1992.

OEIRAS, Jane Y. Y. et al. Desenvolvimento de uma ferramenta de bate-papo com mecanismos de coordenação baseados na linguagem em ação. Novas Tecnologias na Educação, [S. l.], v. 3, n. 2, nov. 2005.

OLHAR DIGITAL. Disponível em: <,http://olhardigital.uol.com.br/noticia/zuckerberg-explica-o-que-e-o-facebook-em-video-de-2004/48265>. Acesso em: 21 jan. 2016.

ORLANDI, E. P. Formação ou capacitação? Duas formas de ligar sociedade e conhecimento. In: FERREIRA, E. L.; ORLANDI, Eni (Org.). Discursos sobre a inclusão. Niterói: Intertexto, 2014.

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PBM. Pesquisa Brasileira de Mídia, 2015. Disponível em: . Acesso em 12 de nov. 2015.

ESTADO DE MATO GROSSO. PEE. Plano Estadual de Educação, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2015.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

POZO, J. I. A Sociedade da aprendizagem e o desafio de converter informação e conhecimento. Pátio-Revista Pedagógica, [S. l.], n. 31, p. 8-11, 2004.

PROPMARK. Governo pesquisa hábitos de mídia dos brasileiros - TV segue como líder, cresce acesso à web e jornais são os mais confiáveis. Publicado em 05 de janeiro, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2015.

RAMOS, P. E. O professor frente às novas tecnologias de informação e comunicação. 2014. Secretaria de Estado de Educação - SEDUC. Cuiabá, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2016.

ROMÃO, J. E. Dialética da diferença: O projeto da Escola Cidadã frente ao projeto político pedagógico neoliberal. São Paulo: Cortez, IPF, 2010.

SABINO, E. Gestão escolar e mídias na escola: transformar para ensinar. 2013.

SAMPAIO, M. N.; LEITE, L. S. Alfabetização tecnológica do professor. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANTOS, R. S. A inclusão digital requer novo pacto social entre governos e sociedade. Inclusão Social, v. 1, n. 1, 2005.

SANTOS, E. O. Articulação de saberes na EAD on-line. In: SILVA, M. (Org.). Educação online. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

SANTOS, E. Educação online para além da EAD: um fenômeno da Cibercultura. In: SILVA, M.; PESCE, L.; ZUIN, A. (Org.). Educação online: cenário, formação e questões didático-metodológicas. Rio de Janeiro: Wak Ed, 2010.

SANTOS, C. P. Políticas públicas de inclusão digital: um olhar discursivo sobre o programa nacional de tecnologia educacional–Proinfo e seus efeitos nas práticas Linguísticas. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Estado de Mato Grosso, Cáceres, 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 jan. 2016.

SERRALHA, F. A socialização democrática na escola: o desenvolvimento sociomoral dos alunos do 1º CEB. 2007. Tese (Doutorado) - Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, 2007.

SILVA FILHO, A. M. Os três pilares da inclusão digital. 2003. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2015.

SILVA, H. et al. Inclusão digital e educação para a competência informacional: uma questão de ética e cidadania. Ci. Inf., Brasília, v. 34, n. 1, p.28-36, jan./abr. 2005.

SILVEIRA, S. A. Exclusão digital: a miséria da era da informação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

SILVEIRA, J. I. Gestão do Trabalho: concepção e significado para o SUAS. In: GESTÃO do Trabalho no Âmbito do SUAS: uma contribuição necessária. Brasília: MDS; Secretaria Nacional de Assistência Social, 2011. Disponível em:

/publicacao/assistencia_social/Livros/gestaodotrabalhosuas.pdf>. Acesso em 24 nov. 2015.

SOARES, I. O. Tecnologias da informação e novos atores sociais. Comunicação e Educação, São Paulo, v. 2, n. 4, p.44, 1995.

SOUZA, E. A. P. tecnologia e educação: Um estudo de caso sobre a inclusão digital de alunos com diagnóstico de autismo. Brasília – DF, 2014.

SOCID – Sociedade Digital. Conferência Internacional sobre Info-Exclusão. Disponível em: . Acesso em: 12 de dez. 2015.

TAJRA, S. F. Informática na educação: novas ferramentas para o professor da atualidade. 2. ed. São Paulo: Érica, 2000.

TAMIS. Rede Nacional de Pesquisa. Popularização da Internet: Introdução ao uso de correio eletrônico e Web. 1997.

TEIXEIRA, A. C. Inclusão digital: novas perspectivas para a informática educativa. Ijuí: Unijuí, 2010.

TORI, R. Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. São Paulo: SENAC, 2010.

TORNAGHI, A. Computadores, Internet e educação à distância. In: MEC. Integração das tecnologias na educação. Brasília: Ministério da Educação - Secretaria de Educação a Distância (SEED), 2005.

VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: Unicamp, 1999.

VASCONCELOS, E. M. Inclusão digital em comunidades. 2010. Disponível em: http:// www.artigonal.com/tec-informação-artigos/inclusao-digital-em comunidades carentes-2456215.html. Acesso em: 11 maio 2015.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. Rio de Janeiro: Atlas, 2000.

VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2001.

VIC BARNETT. Disponível em: . Acesso em: 15 de nov. 2015.

WARSCHAUER, M. Tecnologia e inclusão social: a exclusão digital em debate. São Paulo: SENAC, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)