TRANSFERÊNCIA DE INFORMAÇÕES NO PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO EMPRESARIAL: DESAFIOS E ENTRAVES

Nicole Seroa da Motta

Resumo


A transferência do conhecimento é um fator fundamental nas empresas para que as atividades possam ser continuadas, independente de reestruturações. Ela proporciona a qualidade na execução e o crescimento de ideias inovadoras.

Sem a transferência do conhecimento, cada novo funcionário que entra na Empresa, possui dificuldades em adquirir as aptidões necessárias para a execução de seu trabalho. Cada área acredita que está fazendo seu trabalho da melhor maneira possível sem verificar se existem formas melhores para a execução das tarefas.

O objetivo desta pesquisa foi verificar quais são os principais entraves à transferência do conhecimento, analisar quais destes entraves se aplica ao setor de TI de uma empresa seguradora e propor melhorias para diminuir estes pontos.

Esta pesquisa analisou os principais entraves de transferência do conhecimento, verificou quais destes fatores ocorriam em uma Empresa Seguradora e propôs melhorias para diminuir estes pontos de dificuldades.

Para levantamento dos principais entraves, a pesquisa se embasou da organização dos fatores de transferência feita por Lemos (2008) e buscou na literatura outros autores que amparassem este levantamento.

Na etapa de análise dos fatores que dificultam a transferência na Empresa Seguradora, foi a campo através de entrevistas e questionários para validar quais dos fatores levantados na etapa de revisão da literatura eram mais relevantes para a Empresa. Neste momento a pesquisa apontou vários fatores de entrave que estavam prejudicando a transferência do conhecimento dentro do setor de TI.

Como finalização da pesquisa, houve a proposição de inúmeras melhorias para cada item de entrave. 


Texto completo:

PDF

Referências


BAKER, Kathryn A.; BADAMSHINA, Ghuzal M. Knowledge Management. In: Management Benchmarking Study, edited by the Washington Research Evaluation Network, 2002. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2015.

BOYD, H. W. et al. Marketing research: text and cases. Homewood: R. D. Irwin, 1989.

CESAR, A. M. R. V. C. and ROUXVALENTINI, Ana Maria. Método do Estudo de Caso (Case studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. REMAC Revista Eletrônica Mackenzie de Casos, São Paulo-Brasil, v. 1, n. 1, 2005.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento. São Paulo: SENAC, 2003.

COVEY, S. R. First Things First - Como definir prioridade num mundo sem tempo. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

DAFT, Richard L.; LENGEL, Robert H.; TREVINO, Linda K. Message Equivocality, Media Selection and Manager Performance: Implications for Information Systems. MIS Quarterly, sep. 1987, p. 355-366.

DAVENPORT, Thomas H. et al. Conhecimento empresarial. Elsevier Brasil, 1992.

DAVENPORT, Thomas; PRUSAK, Laurence. Conhecimento Empresarial: Como as Organizações Gerenciam Seu Capital. 12. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DEGENT, Ronald Jean. A importância estratégica e o funcionamento do serviço de inteligência empresarial. Revista de Administração de Empresas, v. 26, n. 1, p. 77-83, 1986.

DISTERER, George. Fostering Knowledge Sharing: Why and How? In: REIS, Antonio; ISAIAS, Pedro (Ed.). Anais ... IADIS International Conference e-Society 2003, Lisbon, 2003, p. 219-226

DRUCKER, Peter. Melhor de Peter Drucker: Homem, Sociedade, Administração. Brasil: Nobel, 1999.

DUTRA, J. S. Gestão de Pessoas: modelos, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.

FACHIN, Odília. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Saraiva. 2001.

FAHEY, L.; PRUSAK, L. The eleven deadliest sins of knowledge management. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 265-276, 1998.

FERREIRA, Camila Lopes; RAMOS, Bruno Schmidt. O aumento da produtividade através da valorização dos colaboradores: uma estratégia para a conquista de mercado. Revista de Engenharia e Tecnologia, v. 2, n. 2, p. 71-80, 2010.

GATES, Bill. A empresa na velocidade do pensamento: com um sistema nervoso digital. Rio de Janeiro: Companhia Das Letras, 1999.

HALDIN-HERRGARD, Tua. Difficulties in Diffusion of Tacit Knowledge in Organizations. Journal of Intellectual Capital, v. 1, n. 4, p. 357-365, 2000.

HANSEN, Morten; NOHRIA, Nitin; TIERNEY, Thomas. What’s your Strategy for Managing Knowledge? Harvard Business Review, mar./apr. p. 1-10, 1999.

JOIA, Luiz Antonio. Knowledge Management Strategies: Creating and Testing a Measurement Scale. International Journal of Learning and Intellectual Capital, v. 4, n. 3, p. 203-221, Inderscience, 2007.

______. Distributive Knowledge Transfer Processes in G2G Endeavours: A Heuristic Frame. In: TRAUNMÜLLER, R. (Ed.) Knowledge Transfer for e Government: Seeking Better e Government Solutions. TraunerVerlagUniversität, Linz, Austria, p. 170-183, 2006.

LEMOS, Bernardo Noronha. Fatores Relevantes de Sucesso à Transferência do Conhecimento Tácito: Evidências Empírico-Exploratórias em uma Empresa Petrolífera Brasileira, 2008.

LEONARD-BARTON, D.; SENSIPER, Sylvia. The Role of Tacit Knowledge in Group Innovation. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 112-132, Spring 1998.

MALHOTRA, N. K. Marketing research: an applied orientation. New Jersey: Prentice-Hall, 1993.

MENDES, Celson Guimarães. Transferência do conhecimento em empresas de base tecnológica. Celson Guimarães Mendes. Belo Horizonte, 2015

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Tradução de Ana Beatriz Rodrigues e Priscilla Martins Celeste. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

OBREGON, Rosane de Fátima Antunes; DZIEKANIAK, Gisele Vasconcelos; VANZIN, Tarcizio, A Emergência da Gestão do Conhecimento para Ancorar a Excelência Organizacional. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 2, n. 1, p. 218-227, jan./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2015.

O’DELL, Carla; GRAYSON, C. Jackson. If Only We Knew What We Know: Identification and Transfer of Internal Best Practices. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 154-174, Spring 1998. R. Nelson & S. Winter, An Evolutionary Theory ef Economic Chan9e, cit., p. 104.

ROBERTS, Joanne. From Know-How to Show-How? Questioning the Role of Information and Communication Technologies in Knowledge Transfer. Technology Analysis and Strategic Management, v. 12, n. 4, p. 429-443, 2000.

SUN, Peter; SCOTT, John. An investigation of barriers to knowledge transfer. Journal of Knowledge Management, v. 9, n. 2, p. 75-90, 2005.

SVEIBY, Karl Erik. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento. Tradução de Luiz Euclides Trindade Frazão Filho. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

SZULANSKI, Gabriel. "Exploring internal stickiness: Impediments to the transfer of best practice within the firm." Strategic Management Jornal, v. 17, S2, p. 27-43, 1996.

TARAPANOFF, Kira. Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), 2006.

TERRA, José Cláudio Cyrineu. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. Editora Negócio, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)