O USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM CURSOS SUPERIORES

LUCIANE BARBOSA CASTILHO

Resumo


Os processos educacionais, utilizados hoje nas universidades, não são suficientes às condições de aprendizagem da sociedade, a qual possui a necessidade de independência na busca de informações e construção do conhecimento. Este requisito de mudança se dá pelas rápidas transformações tecnológicas a que está submetido o homem moderno. Não podemos mais pensar em ensinar, como na forma tradicional, sem correr o risco de estar desatualizado e oferecer recursos, técnicas que já não funcionam. Assim, este estudo tem por objetivo analisar o uso das tecnologias de informação e comunicação pelo professor e pelo aluno com foco no ensino e aprendizagem no ensino superior brasileiro. A pesquisa é quantitativa e descritiva. A coleta de dados foi realizada de forma estruturada pela internet, utilizando e-survey. Teve como universo e amostra uma população escolhida por conveniência do pesquisador, considerando jovens universitários e também professores independentes do sexo e também independente do período em que estejam cursando e/o que os professores estejam ministrando aulas. Com a análise dos dados, observou-se que os alunos possuem o perfil pragmático, que o método de ensino mais utilizado pelos professores é a exposição oral. Quanto ao uso da TIC entre professores e alunos, destacou-se: que os professores não estão aptos a trabalharem com as tecnologias, considerando as opiniões dos alunos. Quanto ao grau de interesse dos professores e alunos no uso de TIC, os professores deram mais importância no uso de intranet e murais próximos a sala de aula, já os alunos deram mais importância em tecnologias como o whatsapp. Espera-se que os resultados obtidos sejam motivos para novas publicações, produzir informações sobre o ganho do uso de tecnologia da informação e comunicação no ensino superior. 


Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA, E. A. Recurso da tecnologia da informática no ensino aprendizagem: a visão dos professores das escolas estaduais de ensino médio de Porto Alegre. (Dissertação) Mestrado em Administração, UFRGS, Porto Alegre, 1999.

ABBEY, B. (Ed.) Instructional and Cognitive Impacts of Web-Based Education. Hershey (USA): Idea Group Publishing, 2000.

ALBERTIN, A. L.; MOURA, R. M. Informática e a educação básica: elaboração de cenários alternativos. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 18., 1994, Curitiba. Anais. Curitiba: ANPAD, 1994.

ALMEIDA, R. Q. de. O ensino aprendizagem em tempos de internet. Disponível em http://alb.com.br/arquivo-morto/anaisjornal/jornal4/palestrasPDF/rubensqueiroz.pdf. Acesso em 02/07/2014.

ALMEIDA, N. V. F. (1995). Papel do pesquisador como mediador no processo de construção de conhecimento do professor. Temas de Psicologia, 1, 1-10.

ARAUJO, J. ; Naito, L.; Amaral, L.H.; Turine, M.A.S. Metodologia para Seleção de Tecnologias para Educação a Distância Mediada por Computador (EDMC), In: WISE99- Workshop Internacional Sobre Educação Virtual, Atas..., Fortaleza, Ceará, 1999, p. 266-275, 1999.

AMORIM, J. S. O perfil do aluno na educação a distância: um estudo sobre inclusão digital na Polícia Militar de Santa Catarina. (Dissertação) Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, 2012.

AUSUBEL, David P. Educational Psychology: A Cognitive View. New York: Holt, Rinehert end Winston, 1968.

BATCH, T. M., DOMINGUES, M. J. C. S., WALTER, S. As Tecnologias da Informação e Comunicação: um estudo bibliométrico e sociométrico de 1997-2011. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 18, n. 2, p. 393-416, jul. 2013.

BELLONI, M. L. O que é mídia educação. 2 ed. Campinas: Autores associados, 2005.

______________ Tecnologia e Formação de Professores: Rumo a uma Pedagogia Pós Moderna. Educação & Sociedade, Campinas, n. 65, 1998.

_____________Educação a Distância. Campinas, SP : Associados, 1999.

BETZ, F. Managing technological innovation. New York: John Wiley & Sons, 1997.

BEYER, Otto Hugo. O Fazer Psico-Pedagógico: a abordagem de Reuven Feuerstein a partir de Vygotsky e Piaget. Porto Alegre: Mediação, 1996.

BOHN, C. S. A mediação dos jogos eletrônicos como estímulo do processo de ensino-aprendizagem. (Dissertação) Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, Florianópolis, 2011.

BOHN, C. S; DA LUS, A. M. L.; DA LUZ, S. S. Mídia, gestão do conhecimento e cognição como um guia para uma gestão empreendedora na inclusão social e educação digital. In: Mídia, educação e subjetividade. Florianópolis: Tribo da Ilha, 2010.

BRAGA, M. C. G. Estratégia online para capacitação de professores em aprendizagem por meio das HQS: abordagem centrada na educação através do design (EDaDE). (Dissertação) Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, 2007.

Brauer, M. Resistência à educação a distância na educação corporativa. (Tese – Doutorado) em Administração de empresa, FGV, São Paulo, 2008.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

CISLAGHI, Renato; LUZ FILHO, Sílvio Serafim da. Balanced Scorecard em Instituições Públicas do Ensino Superior: Benefícios, Limitações e Desafios. Anais., VI Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária na América do Sul, Blumenau, 2006.

CHUÍ, Michael et al. Six ways to make Web 2.0 work. Disponível em: www.mckinseyquartely.com/Six_ways_to_make_web_20_work_2294. Acesso jun 2014.

Coll, C. & Miras, M. (1996). Características individuais e condições de aprendizagem: A busca de interações. Em: C. Coll; J. Palácios & A. Marchesi (Orgs.), Desenvolvimento psicológico e educação. Psicologia da educação (p. 353-373). Artes Médicas: Porto Alegre, vol. 2.

DERNTL, M.; MOTSCHNIG-PITRIK, R. (2005). The rule of structure, patterns, and people in blended learning. The Internet and Higher Education, v. 8, n. 2, p. 111-130.

DRAVES. W. A. Teaching Online. River Falls: Learn Books, 2000.

FELICIANO, A. M. Contribuições da gestão do conhecimento para ações empreendedoras de inclusão digial. (Dissertação) Mestrado em Engenharia e Gestão do conhecimento, UFSC, Florianópolis, 2008.

FRANTZ, M. B. F. Criação e compartilhamento artístico e cultural em ambiente virtual interativo. (Tese – Doutorado) em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, Florianópolis, 2011.

FUSARI, M. Multimídias e formação de professores. Papel, V. Endipe, 1994.

GALASKIEWICZ, Joseph; WASSERMAN, Stanley. Advances in social network analysis: research in the social and behavioral sciences. London: Sage, 1994.

GOECKS, Rodrigo. Educação de Adultos: uma abordagem Andragógica. Disponível URL. http://www.andragogia.com.br. 2007.

GROHAMNN, M. Reflexões sobre uma aprendizagem organizacional (parcialmente?) construtivista. In: XXVII Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Atibaia / SP, 2003.

HOWARD, S. Accreditation of prior learning: andragogy in action or a ‘cut price’ approach to education? Journal of Advanced Nursing, v.18, p. 1817-1824, 1993.

KALATIZIS, A. C. Aprendizagem baseada em problemas em uma plataforma de ensino a distancia com o apoio dos estilos de aprendizagem: uma análise do aproveitamento dos estudantes de engenharia. (Dissertação) Mestrado em Engenharia de Produção e Gestão do conhecimento e sistema de informação, UFSCA, São Carlos, 2008.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e Ensino Presencial e a Distância - Campinas, SP: Papirus, 2003 – ( Série Prática Pedagógica)

KNOWLES, Malcon. ; HOLTON,Elwood; SWANSON, Richard. The adult learner: the definitive classic inadult education and human resource development. 5. Ed. Texas: Gulf Plublishing Company-houston, 1997.

KNOWLES, M. The modern practice of adult education: from pedagogy to andragogy. Chicago: Follet Publishers, 1980.

LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Sistemas de informação gerenciais. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

LÈVY, Pierre O que é o virtual. São Paulo: Ed. 34, 1996.

LIMA, M. V.; SOARES, T. C.; DELBEI, L. H. H.; BACKER, C. C. Fatores críticos de sucesso na educação superior brasileira. Revista GUAL, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 245-263, dez. 2012.

LUDOJOSKI, Roque L. Andragogia O educacion Del Adulto. Buenos Aires: Guadalupe, 1972.

MACIAS-CHAPULA, Cesar A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e international. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n.2, p. 134-140, 1998.

MEIRIEU, P. Aprender... sim, mas como? Tradução de Vanise Pereira Dresch. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MENDELSOHN, P. (1999). Technologies de l’Information et de la Communication et construction du Savoir. Disponível em: Acesso: em 12 jul. 2015.

MERRIAM, S. Andragogy and self-directed learning: pillars of adult learning theory. New Directions for Adult and Continuing Education. n.89, p. 03-13, spring.2001.

MORAN, J. M. Mudanças na comunicação pessoal. São Paulo: Paulinas, 2000.

MORAN, J. M. (2004). Propostas de mudanças nos cursos presenciais com a educação online. In Anais do XI Congresso Internacional de Educação a Distancia da ABED. Disponível em www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/153-TCD2/htm. Acesso em 15/08/2014.

MORAN J. M. (2006). Mudar a forma de ensinar e de aprender com tecnologias: transformar as aulas em pesquisa e comunicação presencial-virtual. Disponível em: www.eca.usp.br . Acesso em 15/08/2014.

MOREIRA, Daniel. Didática do Ensino Superior: Técnicas e Tendências . São Paulo: Pioneira, 1997.

NERI, M. C. (Org.) Mapa da inclusão digital no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2012. Disponível em: http://www.cps.fgv.br/cps/bd/mid2012/MID_sumario.pdf. Acesso em 02/07/2014.

NOVAK, Joseph D. Uma Teoria da Educação. São Paulo: Biblioteca Pioneira de Ciencias Sociais, 1981.

NOVAK, Joseph David. Apreender, criar e utilizar o conhecimento: Mapas conceptuais como ferramentas de facilitação nas escolas e empresas. Lisboa: Plátano edições técnicas, 1998.

PEREZ, C. Technological revolutions and techno-economic paradigms. TOC/TUT Working Paper, Tallinn, n. 20, p. 1-15, 2009.

PIAGET, Jean. A representação do Mundo na Criança. Trad. de Rubens Fiúza. Rio de Janeiro: Record, 1926.

PIAGET, Jean. A Construção do Real na Criança. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1970. 360p.

PIAGET, Jean. Psicologia e Pedagogia. 6.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

PIMENTEL, N. M. Educação a distância na formação de professores. 2000. Dissertação (mestrado) – Programa de pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

PIMENTEL, Nara Maria. Educação a Distância: projeto de implantação de curso na modalidade a distância. Florianópolis. PPGEP. 2000

PRETTO, N. A universidade e o mundo da comunicação – análise das práticas audiovisuais das universidades brasileiras. (Tese Doutorado). São Paulo: ECA, 1994.

RACHAL, J. Andragogy’s detectives: a critique of the present and a proposal for the future. Adult Education Quarterly, v.52, n.3, p. 210-227, may.2002.

RAMOS, D. K. Aspectos pedagógicos e tecnológicos na concepção e desenvolvimento de propostas de E-learning. Revista Colabora, v. 3, n. 9, p. 1-13. 2005.

ROGERS, Carl R. Liberdade para Aprender em Nossa Década. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

SABBAG, Paulo Yazigi. Espirais do conhecimento: ativando indivíduos, grupos e organizações. São Paulo: Saraiva, 2007.

SAMPAIO, M. N. Alfabetização tecnológica do professor. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANTOS, E. F. G. CRUZ, D. M., PAZZETTO, V. T. (2002) Amiente educacional rico em tecnologia: a busca do sentido. Disponível em www.abed.org.br . Acesso em 03/07/2014.

SANTOS, Francisco de Araújo. A Emergência da Modernidade. Petrópolis: Vozes, 1990.

SEABRA, Gerson dos Santos. Universidade Estácio de Sá: 1970 - 2000: Onze Fatores Críticos de Sucesso, Um Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado. Universidade Estácio de Sá, 2006.

SHAPIRO, C.; VARIAN, H. R. A economia da informação: como os princípios econômicos se aplicam à era da Internet. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

SILVA, J. A. M., FERNANDES, N. L. R. Tecnologias da informação e comunicação na educação de jovens e adultos. http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/tcc_tecnologias.pdf. Acessado em 02/06/2014.

SILVA, F. M. Mediação computacional como fator de motivação e de aprendizagem significativa no ensino de ciências do 9º ano: Tópicos de astronomia. 2010. Dissertação (Mestrado) – Programa de PósGraduação em Educação em Ciências e Matemáticada Pró-Reitoria de Pesquisa e PósGraduação da Universidade Federal de Goiás.

SIQUEIRA, M. B., ALFINITO, S. Análise Bibliométrica das TICS na Educação. SIED (Simpósio Internacional de Educação a Distancia. UFSCAR, 2014.

SCREMIN, S. M. B. Educação a distância: uma possibilidade na educação profissional básica. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

SCHRUBER JUNIOR, J. Competências do docente do curso de graduação a distancia do nordeste de Santa Catarina. (Dissertação) Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, Florianópolis, 2009.

SOPHER, M. An historical biography of Malcom Knowles: the re-making of an adulteducator. 273 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – University of Wiscosin, Madison, 2003.

TAGUE-SUTCLIFFE, Jean. An introduction to informetrics. Information Processing & Management, Lugano, v. 28, n. 1, p. 1-3, 1992.

TORRES, M. L. O compromisso social das escolas públicas com as novas ecnologias da comunicação e da informação. Disponível em: www.educacaopublica.rj.gov.br . Acesso em: 10 de Setembro 2014.

TURBAN, E.; RAINER JUNIOR, R. K.; POTTER, R. E. Administração de tecnologia da informação. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

VALENTE, J. A. (2003). Formação de educadores para o uso da informática na escola. São Paulo: Avercamp Editora.

VILLAS BOAS, Violeta. Relatório da II Conferência Regional da Federação Interamericana de Educação de Adultos, Rio de janeiro: SENAC-DN, 1981.

VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Ícone/Edusp, 1988.

WASSERMAN, Stanley; FAUST, Katherine. Social network analysis: methods and applications. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

WEERT, T. J. Informatics and the Organization of Education. Education & Computing, v.8, nº 2, p.15-24, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)