GERENCIAMENTO DE PROJETOS: Uma análise da maturidade do setor de mineração com base nas empresas de projetos de engenharia da região metropolitana de Belo Horizonte

Daniel Rago Cardoso

Resumo


O perfil singular dos projetos de engenharia caracterizados por diferenças geográficas e culturais, impactos no meio ambiente e vultosos recursos financeiros e humanos exercem pressão para o eficaz gerenciamento dos projetos nas organizações. A quebra de paradigmas está ocorrendo gradativamente na medida em que avança a maturidade na gestão de projetos dessas empresas, e diante desse contexto a mineração apresenta campo fértil nas práticas empregadas para o gerenciamento de projetos. Contudo, pesquisas recentes têm demonstrado diversos problemas e causas de fracassos na condução de projetos, instigando esforços para analisar como o grau de maturidade em gerenciamento de projetos determina o sucesso de empresas de projetos de engenharia do setor de mineração da região metropolitana de Belo Horizonte.  Esta pesquisa utilizará o Modelo de Maturidade em Gerenciamento de Projetos - MMGP Setorial para identificar dentre os cinco níveis e seis dimensões disponíveis no modelo o grau de maturidade das empresas pesquisadas. A realização de uma análise crítica associada aos resultados obtidos com a aplicação do modelo apresentará uma resposta para a correlação entre a maturidade em gerenciamento de projetos e o sucesso das organizações.


Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, L. H.; ALMEIDA, A. T.; MOTA, C. M. M. Sistemática proposta para

seleção de fornecedores em gestão de projetos. Gestão & Produção, São Carlos, v.

, n. 3, set./dez. 2007. Disponível em:

&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 19 set. 2014.

ANDRADE, J. C. S.; PAIVA D. S. Implantação do Sistema de Gestão Integrada: Um

Estudo de Caso. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 6.,

, Niterói. Anais…Niterói: CNEG, 2010.

ALVES, A. J.O planejamento de pesquisas qualitativas em educação. Cadernos de

Pesquisa, São Paulo, v. 77, p. 53-61, maio, 1991.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. & GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências

naturais e sociais.São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

AUBRY, M.; HOBBS, B.A Fresh Look at the Contribution of Project Management

to Organizational Performance. Project Management Journal.WileyInterScience, vol.

, n. 1, p. 3-16, 2011.

BABBIE, Earl. Métodos de Pesquisas de Survey. Tradução Guilherme Cezarino. Belo

Horizonte: Ed. UFMG, 1999, 519 p.

BARRETO, Maria Laura. Mineração e Desenvolvimento Sustentável: Desafios para o

Brasil. Rio de Janeiro: CETEM/MCT, 2001. 216 p.

BARTUNEK, J. M. & SEO, M. Qualitative research can add new meanings to

quantitative research. Journal of Organizational Behavior, v. 23, n.2, , mar., 2002.

BAUMOTTE, A. C.Como se tornar um Profissional em Gerenciamento de

Projetos.3. ed. SãoPaulo: Qualitymark, 2010.

BAUTISTA, R. (2006). Propuesta de una Metodología de Ayuda a laDecisión para

los Procesos de Dirección y Gestión de Proyectos. (Unpublishedmaster’sthesis).

Universidad Politécnica de Valencia.

BOYD, H. W. J.; WETFALL, R. Pesquisa mercadológica: texto e caso. Rio de

Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1964.

BRYMAN, Alan. Research Methods and Organization Studies. Great Britain:

Routledge, 1989, 283 p.

BYDE, D. J. Is construction different? A comparison of perceptions of project

management performance and practices by business sector and project type.

Construction Management and Economics, n. 26, 2008.

BULMER, M. Sociological research methods. London: Macmillan, 1977.

CHEN, J.; DAMANPOUR, F.; REILLY, R. R. Understanding antecedents of new

product development speed: A meta-analysis. Journal of Operations Management,

article in press, 2009.

CHENG, C., CHANG, J., &KUO, C. (2011). A CMMI appraisal support system

based on a fuzzy quantitative benchmarks model. Expert Systems With

Applications, Vol. 38, p. 4550 e 4551.

CLELAND, David et al. Field Guide to Project Management. 2. ed. Nova York: John

Wiley& Sons, 2004.

CLELAND, David; & IRELAND, L. R. Gerenciamento de Projetos. Rio de Janeiro:

LTC, 2007.

CMMI Product Team. Capability maturity model integration (CMMI).Version 1.1.

Pittsburgh, PA: Carnegie Mellon Software Engineering Institute, 2002.

COOKE-DAVIES, T. J.; ARZYMANOW, A. The maturity of project management

in different industries: an investigation into variations between project

management models. International Journal of Project Management, n. 21, p. 471-

2003. Disponível em:

Acessoem 02/06/2015.

CRAWFORD,J. L. Senior management perceptions of project management

competence. International Journal of Project Management, n. 23, 2005.

CRAWFORD, J. K., 2006. The Project Management Maturity Model. Information

Systems Management,Volume 23 (4), pp. 50-58.

DAYCHOUM, Merhi. Gerência de projetos: programa delegacia legal. Rio de

Janeiro: Brasport, 2005.

DAVIES, T., &ARZYMANOW, A. (2003). Projectos de garis. Journal of Project

Management, Vol. 21, p. 472.

DENZIN, N. K. & LINCOLN, Y. S. Handbook of Qualitative Research. Thousand

Oaks: Sage, 2005.

DINSMORE, Paul Campbell. Transformando estratégias empresariais em

resultado. Rio de Janeiro: Qualimark, 1999.

DINSMORE, Paul. C. Como se tornar um profissional em gerenciamento de

projetos. 3. ed.São Paulo: Qualitymark, 2010.

DUARTE, Luiz Otávio Borges ;LIMA, R. D. . Ações de Conversão de Conhecimento

aplicadas à Gestão de Projetos na Construção Civil. 2014. Disponível em:

http://www.isssbrasil.usp.br/ocs/index.php/cbs/10cbs/paper/view/41/31 Acesso em:

/09/2015.

FONSECA, S.U.L. Benefícios da adoção do modelo PMBOK no desenvolvimento e

implantação do projeto de tecnologia da informação de um operador logístico: um

estudo de caso da Word Cargo. 2006. Disponível em:

tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=30>. Acesso em: 17/04/2015.

FORTUNE, J.; WHITE, D. Framing of project critical success factors by a systems

model. International Journal of Project Management. n. 24. 2006.

FREITAS, H. et al. O método de pesquisa Survey. Revista de Administração da USP,

São Paulo, v. 35, n. 3, p.105-112, jul./set. 2000.

GIL, A .C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

______. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1987.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

CLELAND, D. I., IRELAND,L. R. Gerência de Projetos. Rio de Janeiro: Reichmann

& Affonso Editores, 2002.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista

de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr., 1995a.

______. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de

Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-9, maio/jun., 1995b.

GOLDENBERG, M.A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências

Sociais. Rio de Janeiro: Record, 1999.

GORGES, Eduardo. A lei de Murphy no gerenciamento do projetos. Rio de Janeiro:

Brasport, 2007.

GRANT, K. P.; PENNYPACKER, J. S. Project management maturity: an assessment

of project management capabilities among and between selected industries. IEEE

Transactions of Engineering Management, v. 53, n. 1, 2006. Disponível em:

Acesso em 13/07/2015.

GUEDES R. M. et al. Maturidade de gestão de projetos de sistemas de informação:

um estudo exploratório quantitativo no Brasil. Production, v. 24, n. 2, p. 364-378,

Apr./June 2014. Disponívelem

>.Acessoem 13/07/2015.

HAYATI, D; KARAMI, E. & SLEE, B. Combining qualitative and quantitative

methods in the measurement of rural poverty. Social Indicators Research, v.75,

p.361-394, springer, 2006.

HILLSON, D. (2003). Assessing organizacional project management capability.

Journal of Facilities Management. (2)3, pp. 298 - 311.

IBBS, C. William; KWAK, Young H (2002).Assessing Project Management Maturity.

Project Management Journal 31.1. pp 32-43.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO – IBRAM. 2012. Gestão para a

sustentabilidade na mineração: 20 anos de história. Disponível em

. Acesso em 20/11/2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO – IBRAM. 2014. Relatório anual.

Disponível em < http://www.ibram.org.br/>. Acesso em 20/11/2014

JENKINS, G.D.; TABER, T.D.A Monte Carlo study of factors affecting three indices of

composite scale reliability. Journal of Applied Psychology.v.62, n. 4, p. 392-398,

JIANG, J. J. et al. An exploration of the relationship between software development

process maturity and project performance. Information& Management, v. 41, p. 279-

, 2004. http://dx.doi.org/10.1016/S0378-7206(03)00052-1. Acesso em 13/07/2015.

KERZNER, H. Management: A Systems Approach to Planning, Scheduling and

Controlling.7th edition, John Wiley & Sons, Inc., USA, 2001.

KERZNER, H. Gestão de Projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman,

KERZNER, H. (2006) Gestão de Projetos: As Melhores Práticas. São Paulo:

Bookman.

KERZNER, H. Gestão de Projetos - As Melhores Praticas. 2.ed. Porto Alegre:

Bookman, 2010.

KUIVEN, Claudio M. Gerenciamento de projetos segundo o PMI. Porto Alegre: PMI

RS, 2006.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology.

v. 22, n. 140, p. 44-53, 1932.

LISSITZ, R.W.; GREEN, S.B. Effect of the number of scale points on reliability: a

Monte Carlo approach. Journal of Applied Psychology. v. 60, n. 1, p. 10–13, 1975.

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e

execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e

interpretação de dados. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

MARTINS, L.; (2003). Gestão Profissional de Projetos.

Disponível em:

_10_0 003.2xt/-template_interna>. Acesso em 21/02/2014.

MERRIAM, S. B. Qualitative research and case study applications in education.

São Francisco (CA): Jossey-Bass, 1998.

MEREDITH, Jack R.; MANTEL, Samuel J. Jr. Project management: a managerial

approach, ed. 4. New York, John Wiley&Sons, 2000.

MINTZBERG, H. et al. Safári de Estratégia: um roteiro pela selva do

planejamento. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MOLINARO, L. F. R., SOUTO, G. P., RAMOS, K. H. C., & ABDALLA, H. (2010).

Maturity model for IT enterprise architecture. In Information Systems and Technologies

(CISTI), 2010 5th Iberian Conference, p. 1 - 5.

MORAES, R. O.; KRUGLIANSKAS, I. Projetos de TI: Maturidade x Desempenho.

RAI – Revista de Administração e Inovação. São Paulo, vol. 7, n. 2, p. 22-33. 2010.

MOTTA, P. R.A ciência e a arte de ser dirigente. Rio de Janeiro: Record, 2002.

MULLALY, M. Longitudinal analysis of project management maturity. Project

Management Journal, v. 36, n. 3, p. 62-73, 2006.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Cadernos de

pesquisas em Administração, v. 1, n.3, 2º sem., 1996.

PATTON, M. Qualitative research and evaluation methods. London, Thousand

Oaks: Sage Publications, 2002.

PETERS, Tom. Revista Você S.A., São Paulo, v.2, n. 14, p. 2-14, Ago.1999.

PRADO, D. Maturidade em gerenciamento de projetos. Nova Lima: INDG

Tecnologia e Serviços Ltda, 2008.

PRADO, D. Maturidade em Gerenciamento de Projetos, 2ª Edição, Nova Lima,

Editora Falconi, 2010, 210p.

PRADO, D. ; ARCHIBALD, Russel. D. Pesquisa Maturidade em Gerenciamento de

Projetos 2014. Disponível em:. Acessado em:

/05/2015.

PRADO, D.; ARCHIBALD, Russel. D. Maturidade Brasil 2008: Pesquisa sobre

maturidade em gerenciamento de projetos. Versão completa, 2009. Disponível em:

. Acesso em: 09 ago. 2015.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um Guia do Conjunto de Conhecimentos

do Gerenciamento de Projetos - PMBOK. Pennsylvania, EUA, 2004.

PMI (Project Management Institute). Estudo de benchmarking em gerenciamento de

projetos Brasil.Chapters Brasileiros, 2011.

PMI (Project Management Institute). Estudo de benchmarking em gerenciamento de

projetos Brasil.Chapters Brasileiros, 2012.

PMI (Project Management Institute). Estudo de benchmarking em gerenciamento de

projetos Brasil.Chapters Brasileiros, 2013.

PMI (Project Management Institute). Estudo de benchmarking em gerenciamento de

projetos Brasil.Chapters Brasileiros, 2014.

PMI (Project Management Institute) Chapter São Paulo (2010). Site oficial do PMI

São Paulo. Disponível em :. Acesso em 08/09/2014.

PMI (Project Management Institute). Site oficial do PMI

.

Acesso em: 01/03/2015.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Organizational Project Management

Maturity Model (OPM3): Knowledge Foundation. Newtown Square, Pennsylvania:

Project Management Institute Inc; 2003.

PUGH, D. S.; HICKSON, D. J. Os teóricos das organizações. Rio de Janeiro:

Qualitymark, 2004.

RABECHINI JR., R. MÜLLER, S.; RACZ, A.; SILVA, A. C. P. Maturidade e

Sucesso em Projetos sob a Perspectiva do Binômio Fornecedor e Cliente. RBGN –

Revista Brasileira de Gestão de Negócios. São Paulo: FECAP, vol. 12, n. 34, p. 56-72.

RABECHINI JR., R.; PESSOA, M. S. P. Um modelo estruturado de competências e

maturidade em gerenciamento de projetos. Produção, 2005, vol.15, no.1, p.34-43.

ROSEMANN;, M. e T. D. B. T. HUEFFNER. A Model for Business Process

Management Maturity.2004.

ROSEMANN, M., de Bruin, T., & HUEFFNER, T.A model for business process

management maturity.Conference Proceedings of ACIS 2004. Hobart, Tasmania,

Australia, University of Tasmania.

SANTOS, L. A. Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos

OPM3Research Team, Alpha QualityAssuranceGroup. São Paulo, 2003.

SHENHAR, A.; DVIR, D. Reinventando gerenciamento de projetos: a abordagem

diamante ao crescimento e inovação bem-sucedidos. Tradução R. Brian Taylor. São

Paulo: M.Books, 2010. 260 p.

SILVA, A. K. F. Como as formas e ferramentas de transferência de conhecimento

podem agregar valor na gestão de projetos: Um estudo de caso. 2007. 132 f.

Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão) - Universidade Federal Fluminense -

UFF,Niterói, 2007.

SILVEIRA, Victor N. S.. Modelos Multiestágios de Maturidade: um Breve Relato de

sua História, sua Difusão e sua Aplicação na Gestão de Pessoas por meio do People

Capability Maturity Model (P-CMM)”, RAC, Curitiba, v. 13, n. 2, art. 4, pp. 228-246,

Abr./Jun.; 2009.

SILVEIRA, G. A. Fatores contribuintes para a maturidade em gerenciamento de

projeto: um estudo em empresas brasileiras. 2008. Tese (Doutorado)-Universidade de

São Paulo, São Paulo, 2008.

SIMÕES, S.; PEREIRA, M. A. M. A arte e a ciência de fazer perguntas: aspectos

cognitivos da metodologia de Survey e a construção do questionário. In: AGUIAR, N.

(Org.). Desigualdades sociais, redes de sociabilidade e participação política.Belo

Horizonte: Editora UFMG, 2007.

SISK, T.; (1998) History of Project Management. Disponível em:

.Acesso em 27/02/2014.

SCHLICHTER, J.; FRIEDRICH, R.; HAECK, B.The history of OPM3. In: PMI’s

Global Congress Europe 2003, Den Haaz – Netherlands. Disponível em

http://www.pmforum.org/library/ papers/thehistoryofopm3.htm. Acessado em:

/09/2015.

SOFTWARE ENGINEERING INSTITUTE (SEI).Capability Maturity Model® for

Development Version 1.2 (CMMI-DEV v1.2).Carnegie Mellon University, Pittsburg,

United States, 2006.

SPENCE, M. Job market signaling. The Quarterly Journal of Economics, v. 87, n.

,p. 355-374, 1973.

SWINK, M. Completing projects on-time: how project acceleration affects new

product development. Journal of Engineering and Technology Management, v. 20, p.

-344, 2003.

TRIVIÑOS, A. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em

educação. São Paulo: Atlas, 1987.

TREVOR,C. O.; NYBERG, A. J., 2009. Depois do corte, ajude quem sobrou a ser

mais eficiente. Harvard Business Review, Vol. 87, no. 06, Jun. 2009, p. 11.

VALLE, A. B.etal. Fundamentos do gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro:

FGV, 2007.

VARGAS, Ricardo V. Gerenciamento de projeto:Estabelecendo diferenciais

Competitivos. 6. ed. Rio de Janeiro:Brasport, 2005.

VARGAS, Ricardo V. Gerenciamento de projetos. 7. ed. Rio de Janeiro: Brasport,

VAZ, J. C.; MIYAKE, D. I. Avaliação da função manutenção em organizações

produtivas com base num instrumento derivado do CMM. Anais do XXIII Encontro

Nacional de Engenharia de Produção (ENEGEP) – Ouro Preto, outubro de 2003.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo:

Atlas, 1997.

VERGARA, Sylvia C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 2. ed. São

Paulo: Atlas, 1998.

VERGARA, Sylvia C. Métodos de pesquisa em administração. 2. ed. São Paulo:

Atlas, 2005.

WINCH, G.M., 2004.Managing project stakeholders. In: Morris, P.W.G., Pinto,

J.K. (Eds.), The Wiley Guide to Managing Projects. Wiley, New York, NY,

pp. 321–339.

XAVIER, Carlos Magno da Silva. Gerenciamento de Projetos - Como definir e

controlar o escopo do projeto. São Paulo: Editora Saraiva, 2006.

XAVIER, C. M. S. etal.Metodologia de Gerenciamento de Projetos – Methodware –

Abordagem prática de como iniciar, planejar, executar, controlar e fechar

projetos. Rio de Janeiro: BRASPORT, 2010.

ZIRGER, B. J.; HARTLEY, J.The effect of acceleration techniques on product

development time, IEEE Transactions on engineering management, v. 43, n. 2, 1996.

ZWIKAEL, O.; GLOBERSON, S. Benchmarking of project planning and success in

selected industries. Benchmarking: An International Journal, v. 13, n. 6, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)