ESTILO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: Um Estudo com Profissionais de Educação a Distância

DORA MARIA CLEMENTE DE SIQUEIRA SIQUEIRA

Resumo


Esta dissertação consiste numa pesquisa de natureza qualitativa, que visa a analisar o estilo e qualidade de vida no trabalho de profissionais que atuam com educação a distância na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). A fundamentação teórica para desenvolvimento do trabalho envolveu três construtos teóricos: a Educação a Distância, a Qualidade de Vida no Trabalho e o Estilo de Vida. As possíveis interações desses três pilares teóricos possibilitaram maior entendimento da temática, permitindo inferir aspectos relevantes da dinâmica de trabalho e qualidade e estilo de vida no trabalho dos profissionais de EAD. Para a elaboração do instrumento de investigação, utilizaram-se os critérios e indicadores de Qualidade de Vida no Trabalho propostos por Walton (1973). Para complementar o estudo, buscou-se, no Pentáculo do Bem Estar (PBE), de Nahas (2001), algumas variáveis para entender se as atividades de educação a distância se refletem no estilo de vida desses profissionais. Para analisar as percepções dos profissionais que atuam na educação a distância, realizaram-se entrevistas com diferentes atores que exercem atividades no ambiente virtual: gestores, professores, tutores, pedagogos, funcionários administrativos e de apoio. Com essa finalidade, utilizou-se, na coleta de dados, o método de grupo de foco, em que os participantes dialogam sobre um tema em particular, ao receberem estímulos apropriados para o debate. Os dados coletados foram submetidos à análise de conteúdo, um conjunto de técnicas de comunicação que estabelecem procedimentos práticos e sistemáticos. A análise foi realizada levando em consideração nove dimensões da qualidade de vida no trabalho (QVT): salários e benefícios; respeito aos direitos estabelecidos; condições do ambiente de trabalho; desenvolvimento de capacidades no desenvolvimento do trabalho; oportunidades de crescimento profissional; relações interpessoais; equilíbrio entre o trabalho e a vida cotidiana; reconhecimento do trabalho executado. Para a pesquisa do estilo de vida, foram identificadas quatro dimensões: aspectos nutricionais; atividades físicas realizadas; incidência de comportamentos preventivos; possibilidades de ampliação das relações sociais; equilíbrio com atividades de lazer. Os resultados do estudo demonstram que tanto o grupo de gestores e tutores, quanto o grupo de funcionários estão satisfeitos com o trabalho realizado na EAD. O problema está em como administrar bem o mesmo espaço-tempo para a realização das atividades do trabalho e para se dedicar à família, ao lazer e ao descanso. A análise feita revela uma defasagem quanto aos componentes de Nutrição e Atividade Física por parte do grupo de professores e tutores.

Palavras-chave: Educação a distância. Qualidade de Vida. Estilo de Vida.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ALMEIDA, L. P. M. Qualidade de vida no trabalho: uma avaliação da percepção dos do-centes do curso de administração. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Rural do Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2013.

ALMEIDA, M. A. B.; GUTIERREZ, G. L.; MARQUES, R. Qualidade De Vida: definição, conceitos e interfaces com outras áreas de pesquisa. São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades - EACH/USP.2012. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2013.

ALMEIDA, M. I. et al. Pesquisa Fecundando a Prática Docente: Abordagens Emancipatórias. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO - ENDIPE, 10., 2006, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ENDIPE, 2006.

ALVES, D. A. Gestão, produção e experiência do tempo no teletrabalho. 2008. 246 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

ALVES, J. R. M. A Educação a Distância no Brasil: síntese histórica e perspectivas. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação, 1994.

ALVES, J. R. M. A História da EAD no Brasil. In: LITTO, F. M. e FORMIGA, M. (Org.). Educação a Distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education, 2009.

ALVES, L. Educação a Distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Brasi-leira de Aprendizagem Aberta e a Distância, [S. l.], v. 10, p. 83-92, 2011.

ANDRADE, A. Ocorrência e controle subjetivo do stress na percepção de bancários ati-vos e sedentários: a importância do sujeito na relação “atividade física e saúde”. 2001. Tese (Doutorado Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação do Centro Tecnológico, da Universidade Federal de Santa Catarina, [S. l.], 2001.

ANDREASSI, Tales. Virtualização das Organizações: O Caso de Teletrabalho em Uma Con-sultoria. Revista de Administração, [S. l.], v. 32, n. 4, p. 77-83, out./dez. 1997.

ANDUJAR, A. M. Modelo de qualidade de vida dentro dos domínios bio-psico-social para aposentados. 2006. 206 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Floria-nópolis. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/88517/229433.pdf?sequence=1. Acesso em: 25 de set. 2013.

ANTUNES, A. R.; OLIVA, E. C. Qualidade de Vida no Trabalho de Comissários de Bordo no Brasil. Facef Pesquisa, [S. l.], v. 13, n.1, p. 1-15, 2010.

ARETIO, L. Educación a distancia hoy. Madrid: Universidad Nacional de Educación a Dis-tancia, 1994.

ARETIO, L. G. Passado y Presente de la Acción Tutorial en la UNED. Madrid: UNED, 1999.

AZEVEDO, A. B. Tutoria em EAD para além dos elementos técnicos e pedagógicos. In: SEMINÁRIO EAD – UFES – FORMAÇÃO DE PROFESSORES, TUTORES E COORDENADORES DE POLOS PARA UAB, 3., 2008. [S. l.: s. n.], 22-24 set. 2008.

BARDIN, L. Analise de Conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BARROS, M. G.; CARVALHO, A. B. G. As concepções de interatividade nos ambientes virtuais de aprendizagem. Campina Grande: EDUEPB , 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2013.

BARROS, V. A. O trabalho do docente virtual: análise jurídica das condições de trabalho decorrentes do sistema de educação a distância. In: CONPEDI, 2007, Manaus. Anais... [S. l.]: Conpedi, 2007.

BITTAR, C. A. Direito de autor. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

BENEDIKT, Michael. Cyberspace: First Steps. Boston: The MIT Press, 1992.

BRAUER, Marcus. Resistência à Educação a Distância na Educação Coorporativa. São Paulo, 2008. 188 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Programa de Pós-graduação da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas de São Pau-lo, São Paulo, 2008.

CAMARGOS, L. M. M. Governança de recursos hídricos: um estudo das percepções dos stakeholders sobre a gestão das águas no Estado de Minas Gerais. 2008. 172 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade FUMEC-FACE, Belo Horizonte, 2008.

CAPLAN, S. Using focus group methodology for ergonomic design. Ergonomics, [S. l.], v. 3, n. 5, p. 527-3, 1990.

CARNEIRO, T. C. J; WROBEL, J. S. Pesquisa em Educação a Distância: análise dos anais dos dois principais congressos no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA, 8., 2011, Ouro Preto. Anais... [s. n.], 2011.

CARVALHO, T. de et al. Posição oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: atividade física e saúde. Revista Brasileira Medicina do Esporte, [S. l.], v. 2, n. 4, 1996. Disponível em: Acesso em: 28 set. 2013.

CATAPAN, A. H. TERTIUM: o novo modo do ser, do saber e do apreender (construindo uma taxionomia para mediação pedagógica em tecnologia de comunicação digital). 2001. 289 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós graduação em Enge-nharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

CATERALL, M.; MACLARAN, P. Focus group data and qualitative analysis programs: cod-ing the moving picture as well as the snapshots. Sociological Research Online, [S. l.], v. 2, n. 1, mar. 1997. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2013.

CENSO EAD. BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2011. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012. Disponível em . Acesso em: 11 nov. 2014.

CENSO EAD. BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2012. Curitiba: Ibpex, 2013.

CORRÊA, R. A. A. Qualidade de vida, qualidade do trabalho do atendimento público e com-petitividade. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 27, n. 1, p. 113-123, 1993.

DELORS, J. Os quatro pilares da educação. Disponível em . Acesso em: 10 set. 2014.

DIAS, C. A. Grupo focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Informação & Sociedade: estudos, João Pessoa, v. 10, n. 2, p. 141-158, 2000.

DOMINGUES, M. R.; ARAUJO, Cora L. P. Conhecimento e percepção sobre exercício físico em uma população adulta urbana do sul do Brasil. Caderno Saúde Pública, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 204-215, 2004. Disponível em: Acesso em: 06 set. 2013.

DUARTE, A. B. S. Grupo Focal online e offline como técnica de coleta de dados. 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2013.

DUTRA, J. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2006.

DUTRA, D. O desafio do e-learning: vencer as barreiras comportamentais. Disponível

. Acesso em: 15 set. 2013.

FARIA, A. A.; SALVATORI, A. (2010). A educação a distância e seu movimento históri-co no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2013.

FAYOL, H. Administração Industrial e Geral. 8. ed. São Paulo: Atlas, 1970.

FLAUSINO, N. H. A.; NOCE, F. B.; MELLO, M. T. A.; FERREIRA, R. M. C. D.; PENNA, E. P. D.; COSTA, V. T. D. R. Estilo De Vida De Adolescentes De Uma Escola Pública E De Uma Particular. Min. Educ. Fís., Viçosa, n. 1, p. 491-500, 2012. Edição Especial. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2014

FERNANDES, E. C. Qualidade de Vida no Trabalho – como medir para melhorar. Sal-vador: Casa da Qualidade, 1996.

FISCHER, G. Individuals and Environment: a Psychosocial Approach to Workspace. Ber-lin: De Gruyter, 1997.

FRANCHI, K. M. B.; MONTENEGRO, R. M. J. Atividade física: uma necessidade para a boa saúde na terceira idade. RBPS, [S. l.], v. 18, n. 3, p.152-156, 2005.

FRANTZ, G. L.; KING, J. The Distance Education Learning Model (DEL). Educational Technology, p. 33-39, maio/jun. 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia – saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREEMAN, R. The Commonwealth of Learning – COL: Planejamento de sistemas de edu-cação à distância: um manual para decisores. Vancouver, Canadá: The Commonwealth of Learning, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2007.

GERALDES, C. B. et al. Nível de qualidade de vida dos colaboradores da diretoria de espor-tes e lazer do SESI. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, [S. l.], v. 5, 2006.

GOLDBERG, L. O poder da cura dos exercícios: guia para prevenir e tratar diabetes, de-pressão, atrite, pressão alta. Tradução de Ana Beatriz Rodrigues. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

GONÇALVES, A.; VILARTA, R. (Org.). Qualidade de vida e atividade física: explorando teoria e prática. Barueri: Manole, 2004. Revista Conexões da Faculdade de Educação Físi-ca, [S. l.], v. 2, n. 2, 2004. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2013.

GREENBAUM, T. Using focus group to add depth to your focus on quality. Quality Obser-ver, Apr. 1977. Disponível em: <[http://w.groupsplus.com/pages/articles.htm]>. Acesso em: 10 set. 2013.

GRONROOS, C. Marketing: Gerenciamento e Serviços. Tradução de Arlete Simille Marques. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

GUAREZI, R. C. M.; MATOS, M. M. Educação a distância sem segredos. Curitiba: Ibpex, 2009.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. P. Exercício físico na promoção da saúde. Londrina: Midiograf, 1995.

GUEST, R. Quality of Work: learning from Tarrytown. Harvard Business Review, [S. l.], p. 76-87, July/Aug. 1979.

GUIMARÃES, G. P. Estado do Conhecimento sobre Formação de Professores (2003 – 2002): A Educação da Distância e o Uso de TIC Democratizam do Saber? Goiânia, 2007. 174 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação Stricto Sensu, Univer-sidade Católica de Goiás, 2007.

HACKMAN, J. R.; OLDHAM, G. R. Future of job redesign research. Journal of organiza-tional behavior, [S. l.], v. 31, p. 463-479, 2010.

HARPER, A.; POWER, M. (THE WHOQOL GROUP). Development of the World Health Organization WHOQOL - BREF Quality of Life Assessment. Psychological Medicine, [S. l.], v. 28, n. 3, p. 551-558, 1998. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2003.

KANNANE, R. Comportamento humano nas organizações: o homem rumo ao século XXI. São Paulo: Atlas, 1999.

KILIMNIK, Z. M.; MORAIS, L. F. R. O conteúdo significativo do trabalho como fator de qualidade de vida organizacional. Revista da Angrad Região Sudeste, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 64-74, jul./dez. 2000. (Edição especial de lançamento).

KILIMNIK, Z. M.; SANT’ANNA, A. S.; BARROS, D. T. R. Equilíbrio entre vida pessoal e trabalho: expectativas em relação à transição profissional e metáforas sobre carreira e compe-tências para carreira docente. In: SANT’ANNA, A.S.; KILIMNIK, Z. M. (Org.). Qualidade de vida no trabalho: abordagens e fundamentos Rio de Janeiro: Elsevier; Belo Horizonte: Fundação Dom Cabral 2011.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. 5. ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1993.

LANDIM, C. M. M. F. Educação a distância: algumas considerações. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 1997.

LÉVY, P. Cibercultura. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

LÉVY, P. O que é o virtual. São Paulo: Ed. 34, 1996.

LÉVY, P. O que é virtual? São Paulo: Ed. 34, 1998.

LIMA, V. Atividade Física no ambiente de trabalho. São Paulo: Editora Phorte, 2003.

LOVELOCK, C.; WRIGHT, L. Serviços: marketing e gestão. São Paulo: Saraiva, 2003.

MACHADO, S. P. S. A educação a distância: conquistas e desafios. Revistas Lentes Peda-gógicas, [S. l.], v. 1, p. 1-39, 2011. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2013.

MADUREIRA, S. A.; FONSECA, S. A.; MAIA, M. F. Estilo de vida e Atividade Física Habitual de Professores de Educação Física. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 54-62, 2003.

MAIA, C.; MATTAR, J. ABC da EAD: a educação a distância hoje. São Paulo: Pearson, 2007.

MARINHO, C. S. Estilo de vida e indicadores de saúde de estudantes universitários da UNIPLAC. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-graduação em Educação Física Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

MARTELLI, Ivana. EAD: uma alternativa de políticas educacionais para a formação de professores. 2003. 132 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2003.

MATOS, L. P. A. Qualidade de vida no trabalho: uma avaliação da percepção dos docentes do curso de Administração. 2007. Tese (Doutorado) - Instituto de Ciências Humanas e Soci-ais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

MAZO, G. Z. Atividade física e qualidade de vida de mulheres idosas. 2003. Tese (Douto-rado) - Programa de Ciências do Desporto, da Faculdade de Ciências do Desporto e da Edu-cação Física, Universidade do Porto, Porto, 2003.

MCEWEN, B. S.; LASLEY, E. Carga alostática: quando a proteção dá lugar ao dano. In: MCEWEN, B. S.; LASLEY, E. (Org.). O fim do estresse como nós o conhecemos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

MEIRELLES, F. S.; MAIA, M. C. O uso da tecnologia de informação para a educação a

distância no ensino superior: estudo dos cursos de administração de empresas. RELATÓRIO DE PESQUISA Nº 12/2004, FGV-EAESP/GVPESQUISA, 2004.

MELLO, A. Teletrabalho (telework): o trabalho em qualquer lugar e a qualquer hora. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.

MENDES, R. A.; LEITE, N. Ginástica laboral: princípios e aplicações práticas. Barueri: [s. n.], 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2014.

MILL, D. R. Educação a distância e trabalho docente virtual: sobre tecnologia, espaços, tempos, coletividade e relações sociais de sexo na Idade Mídia. 2006. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

MINAYO, M. C. S. Avaliação do Processo de Implantação e Implementação do Programa de Redução de Acidentes de Trânsito. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, Rio de Ja-neiro, 2003.

MINAYO, M. C. S. A saúde em estado de choque. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1992.

MINAYO, M. C. S.; HARTZ, Z. M. A.; BUSS, P. M. Qualidade de Vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 7-18, 2000.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Educação Superior a Distância. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2013.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 16,4% dos brasileiros praticam atividade física. Brasília: Vi-gitel Brasil, 2008. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2013.

MION, J. D.; PIERIN, A. M. G.; GUSMÃO, J. L. de. Desafios no controle da pressão arterial no Brasil: a qualidade de vida e a terapêutica anti-hipertensiva. Hipertensão, [S. l.], v. 8, p. 22-29, 2005. Disponível em: . Acesso em: 06 set. 2013.

MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. Distance Education - a systems view. [S. l.], Wadsworth Publishing Company, 1996.

MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

MORAN, J. M. O que é educação a distância. 2003. Disponível em: . Acesso em: 16 dez. 2012.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pe-dagógica. Campinas: Papirus, 2000.

MOREIRA H. R.; FARIAS G. O.; BOTH, J.; NASCIMENTO, J. V. Qualidade de vida no trabalho e síndrome de Burnout em professores de educação física do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira Atividade Física Saúde, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 115-122, 2009.

MOREIRA, H. R.; NASCIMENTO, J. V; SONOO, C. N.; BOTH. J. Qualidade de vida do trabalhador docente em educação física de diferentes regiões do estado do Paraná, Brasil. Estilo de Vida da Educação Física/UEM, [S. l.], v. 22, n. 2, 2011.

MORGAN, David L. Focus groups as qualitative research. 2. ed. Califórnia: Sage Publica-tions, 1997.

MOW. MEANING OF WORK INTERNATIONAL RESEARCH TEAM. The meaning of working. London: Academic Press, 1987.

NADLER, D. A.; LAWLER, E. E. Quality of work life: perspectives and diretions. Organi-zational Dynamics, [S. l.], Winter 1983.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 4. ed. Londrina: Midiograf, 2006.

NAHAS, M. V. O Pentáculo do Bem Estar. Boletim do Núcleo de Pesquisa em Atividade Física & Saúde CDS/UFSC, [S. l.], v. 2, n. 7, p.1-1, 1996.

NAHAS, M. V.; BARROS, M. V. G.; FRANCALACCI, V. O Pentáculo do Bem Estar; Base Conceitual para Avaliação do Estilo de Vida de Indivíduos ou Grupos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, [S. l.], v.5, n. 2, 2000.

NAHAS, M. V.; MÁRQUESE, E. C. Hábitos e motivos para a atividade física em universitá-rios da UDESC. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE, 3., 2001, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2001.

NIEMAN, D. C. Exercício e saúde: como prevenir de doenças usando o exercício como seu medicamento. São Paulo: Manole, 1999.

NILLES, J. M. Fazendo do teletrabalho uma realidade: um guia para telegerentes e teletra-balhadores. São Paulo: Futura, 1997.

NUNES, Ivônio Barros. A história da EAD no mundo. In: LITTO, Frederic M.; FORMIGA, Marcos. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson, 2009.

OLIVEIRA, M. A. C. E agora, José? São Paulo: SENAC, 1999.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE - OMS. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde, 2005

PALLOFF, R., & PRATT, K. Building learning communities in cyberspace: effective strategies for the online classroom. San Francisco: Jossey-Bass, 1999.

PARASURAMAN, A. Marketing research. Toronto: Addison-Wesley Publishing, 1986.

PARDINI, D. J.; MATUCK, P. J. P. Mudanças nas práticas organizacionais com a implemen-tação do programa de gerenciamento da cadeia de suprimentos (GSC) em uma multinacional do setor siderúrgico. In: SYMPOSIUM ON PRODUCTION, LOGISTICS AND INTERNA-TIONAL OPERATIONS, 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Simpoi/Poms, 2007. 1 CD-ROM.

PARDINI, Daniel Jardim; GONCALVES, Carlos Alberto; PAIVA, Ângela Maria Martins; DIAS, Alexandre Teixeira. Os significados da virtualização do trabalho: manifestações dis-cursivas das percepções tecnológicas, processuais e pessoais nas relações intraorganizacio-nais. Cad. EBAPE.BR [online], [S. l.], v.11, n. 1, p. 85-103, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2014.

PARDINI, R. et al. Validação do questionário internacional de nível de atividade física (IPAQ – versão 6): Estudo piloto em adultos jovens brasileiros. Revista Brasileira Ciência e Movimento, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 45-51, 2001.

PEDROSO, B. Desenvolvimento do TQWL - 42: um instrumento de avaliação da quali-dade de vida no trabalho. 2010. Dissertação (Mestrado). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2010. Disponível em: Acesso em: 25 mar. 2014.

PEREIRA, E. W.; MORAES, R. A. História da educação a distância e os desafios na forma-ção de professores no Brasil. In: SOUZA, A. M.; FIORENTINI, L. M. R. (Org.). Educação superior a distância – comunidade de trabalho e aprendizagem em rede (CTAR). Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2009. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2013.

PERIAGO, M. R.; STEPK, F. L. A globalização e os dilemas da saúde universal. ETHOS GUBERNAMENTAL, 2007. Disponível em: Acesso em: 28 set. 2013.

PERRENOUD. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

REVISTA NOVA ESCOLA. Edições diversas.

PENTÁCULO DO BEM ESTAR. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2014.

PHILIPPI, S. T. Nutrição e técnica dietética. São Paulo: Manole, 2003.

PIMENTEL, M. H. C. R. Qualidade de Vida no Trabalho: concepções práticas adotadas em empresas do Polo Petroquímico de Camaçari. 2003. 95 f. Dissertação (Mestrado em Adminis-tração) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

PRETI, O. Educação a distância e globalização: desafios e tendências. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 79, n. 191. p. 19-30, jan./abr. 1998.

PRETI, O. Educação a Distância: uma prática educativa mediadora e mediatizada. In: PRETI, Oreste (Org.). Educação a Distância: inícios e indícios de um percurso. NEAD/IE/UFMT. Cuiabá: UFMT, 1996.

QUEIROZ, A. Influências do Layout de Escritórios: privacidade e territorialidade na ótica do usuário de espaços modificados. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 28., Curitiba. Anais... Rio de Janeiro: ENANPAD, 2004.

ROSENBERG, M. J. E-learning: strategies for delivering knowledge in the digital age. New York: McGraw-Hill, 2001.

ROVILSON, Dias da Silva. O papel das tecnologias de informação e comunicação no processo ensino- aprendizagem: Um Estudo do Ensino Superior nas Modalidades Presencial e a Distância. São Paulo, 2012. 125 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Programa de Pós-graduação da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, São Paulo, 2012.

SABA, F. Aderência à prática do exercício físico em academias. São Paulo: Manole, 2001.

SAKUDA, L. O.; VASCONCELOS, F. C. Teletrabalho: desafios e perspectivas. Organiza-ção & Sociedade, Salvador, v. 12, n. 33, p. 39-49, abr./jun. 2005.

SAMULSKI, D.; NOCE, F.; CHAGAS, M. Estresse. In: SAMULSKI, D. (Ed.). Psicologia do esporte: um manual para a educação física, fisioterapia e psicologia. São Paulo: Manole, 2002.

SAMPAIO, J. R. Qualidade de vida no trabalho: perspectivas e desafios atuais. Revista Psi-cologia, Organização e Trabalho, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 121-136, 2012.

SANCHES, P. T.; FERNANDEZ, M. D. Modalidades de práctica de actividad física en el estilo de vida de los escolares. Revista Digital, Buenos Aires, Ano 5, n. 24, Ago. 2000. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2013.

SANT’ANNA, A. S.; KILIMNIK, Z. M.; BARROS, D. T. R. Equilíbrio entre a vida pessoal e trabalho: expectativas em relação à transição profissional e metáforas sobre carreira e compe-tências para carreira docente. In: KILIMNIK, Z. M.; SANT’ANNA, A. S. (Org.). Qualidade de Vida no Trabalho: abordagens e fundamentos. Rio de janeiro: Elsevier; Belo Horizonte: Fundação Dom Cabral, 2011.

SANT’ANNA, A. S.; KILIMNIK, Z. M.; MORAES, L. F. Antecedentes, origens e evolução do movimento em torno da qualidade de vida no trabalho. In: SANT’ANNA, A. S.; KILIM-NIK, Z. M. (Org.). Qualidade de vida no trabalho: abordagens e fundamentos. Rio de janeiro: Elsevier; Belo Horizonte: Fundação Dom Cabral, 2011.

SANTOS, E. O. Desafios e competências para uma gestão em rede na EAD: Gestão da Educação a Distância. Belo Horizonte: SENAC, 2007.

SANTOS, G. L. A.; VENÂNCIO, S. E. Perfil do estilo de vida em acadêmicos concluintes em Educação Física do Centro Universitário Do Leste De Minas Gerais – MG. Revista Mo-vimentum Digital de Educação Física, Ipatinga, v. 1, n. 1, 2006.

SANTOS, J. S.; ALMEIDA, L. F. O. Diagnóstico dos perfis estilos de vida e qualidade de vida no trabalho de docentes da cidade de General Maynard-SE. Sergipe: [s. n.], 2007.

SANTOS, M. S. Um mundo sem empregos ou desemprego: relações possíveis entre ho-mem e trabalho para o século XXI. 1999. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

SCHLOSSER, R. L. A atuação dos tutores nos cursos de educação a distância. Colabor@ – Revista Digital da CVA – Ricesu, [S. l.], v. 6, n. 22, fev. 2010. Disponível em: Acesso em: 17 set. 2014.

SCHUMACHER, G. et al. Qualidade de Vida no Trabalho em uma Organização Pública Fe-deral do Rio Grande do Sul. In: SEMEAD - SEMINÁRIO EM ADMINISTRAÇÃO, 15., 2012. Anais... [S. l.: s. n.], 2012.

SECOND LIFE. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Second_Life> Acesso em: 17 set. 2013.

SESI, 2006. Cartilha de qualidade de vida e bem estar. Disponível em: . Acesso em: 15 abr.2013.

SILVA, M. G. R. Competências gerenciais dos coordenadores/orientadores do curso de gra-duação em Administração de Empresas – um caso na Universidade de Caxias do Sul. XXIV ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 24., Campinas. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2002.

SILVA, R. Características do estilo de vida e da qualidade de vida de professores do en-sino superior público em Educação Física. 2006. Tese (Doutorado) - Programa De Pós-Graduação Em Engenharia De Produção Universidade Federal De Santa Catarina, Florianópo-lis, 2006.

SIQUEIRA, F. V. et al. Atividade física em adultos e idosos residentes em áreas de abrangên-cia de unidades básicas de saúde de municípios das regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cader-no Saúde Pública: Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 39-54, 2008. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100005> Acesso em: 18 ago. 2013.

SMITH, M. A. Communities in Cyberspace. New York: Routledge, 1999.

SOUSA, D. Grupo Focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Disponível em: < http://www.ebah.com.br/content/ABAAAew54AB/coleta-dados >. Acesso em: 02 out. 2013.

SOUSA, R. P.; MIOTA, F. M. C. S. C.; CARVALHO, A. B. G. (Org.). Tecnologias digitais na educação [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2013.

TROPE, A. Organização virtual – impactos do teletrabalho nas organizações. Rio de Ja-neiro: Qualitymark, 1999.

TURBAN, E.; RAINER, R. Kelly; POTTER, Richard E. Administração de Tecnologia da Informação: teoria e prática. Tradução de Daniel Vieira. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

VALENTE, J. A. Mudanças na sociedade, mudanças na educação: o fazer e o compreender. In: VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: NIED/UNICAMP, 1999.

VALENTE, José Armando. Aprendizagem por computador sem ligação à rede. In: LITTO, Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Org.). O estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2008.

VASCONCELOS, A. F. Qualidade de vida no trabalho: origem, evolução e perspectivas. Caderno de pesquisas em Administração, [S. l.], v. 8, n. 1, São Paulo, jan./mar. 2001.

VIANNEY, J. A. Universidade Virtual no Brasil - Os números do ensino superior a distância no país em 2002. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE UNIVERSIDADES VIR-TUAIS NA AMÉRICA LATINA E CARIBE, 2007, Caracas. Anais... Caracas: [s. n.], 2007.

VIEIRA, D. F. V. B.; HANASHIRO, D. M. M. Visão introdutória de qualidade de vida no trabalho. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 41-46, 1990.

WALTON, R. E. Quality of working life: What is it? Sloan Management Review, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 11-21, Dec. 1973.

WEBCAST. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2013.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. Porto Alegre: Artmed, 2001.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Ottawa Charter for Health Promotion. Geneva: World Health Organization, 1986.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)