A EFETIVIDADE DA GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

CLÁUDIA REIS DE PAULA KLEINSORGE

Resumo


O domínio da informação sempre teve fundamental importância para as organizações do ponto de vista estratégico e empresarial. Dispor da informação correta, na hora adequada, significa tomar uma decisão de forma ágil e eficiente. Existem múltiplas dimensões relacionadas com o uso de sistemas de informação que podem ser quantificadas e este estudo, através de uma pesquisa descritiva, de abordagem quantitativa, com coleta de dados através de questionário survey, em uma empresa brasileira de grande porte, visa identificar os fatores que interferem em na efetividade da gestão dos sistemas de informação nas organizações e é esperado que este estudo contribua para a busca do aperfeiçoamento contínuo da gestão dos sistemas de informação que proporcione agilidade e qualidade no processo da tomada de decisão das organizações e possa prover os clientes com produtos e serviços de valor.  


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, D., Melhores Práticas para Classificar as Informações. Módulo e-Security Magazine. São Paulo: Agosto, 2001.

ANDRADE, M. M., Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. Ed São Paulo: Atlas, 2002.

AROUCK, O. Avaliação de Sistemas de informação: revisão da literatura. Transinformação, v.13, n.1, janeiro/junho, 2001, p.7-21

BALLONI, A. J. Why Management in System and Information Technology? France: PRO-VE’04, 2004.

BATISTA, Emerson de Oliveira. Sistema de Informação: o uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. São Paulo: Saraiva, 2004.

BEAL, Adriana Gestão Estratégica da Informação: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2014.

CARVALHO, K. Disseminação da Informação e Informação de Inteligência Organizacional - DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.2 n.3 - 2001.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2003.

DAVENPORT THOMAS H.; MARCHND Donald A.; DICKSON T. Dominando a Gestão da Informação, Porto Alegre: Bookmam, 2004.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento Empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DE SORDI, J. O. Administração da Informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento, São Paulo: Saraiva, 2008.

DE SORDI, J. O.; COSTA, M. A. M.; GRIJÓ, R. N. Gestão da Qualidade da Informação no Contexto das Organizações: percepções a partir do experimento de análise da confiabilidade dos jornais eletrônicos. Perspectivas em Ciências da Informação, v 13, n. 2, Rio de Janeiro ,maio/agosto 2008.

DERESKY, Helen. Administração Global: estratégica e interpessoal. Porto Alegre: Bookman 2004.

FARIAS, S. A.; SANTOS, R. C. Modelagem de Equações Estruturais e Satisfação do Consumidor: uma investigação teórica e prática. EnANAPAD, 1999.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1999.

HAIR JR., J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise Multivariada de Dados. 5.ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

LAUNDON, K. C.; LAUNDON, J. P. Sistemas de Informação Gerenciais. 9.ed.- São Paulo: Pearson Pratice House, 2013.

MACHADO, C. P.; OLIVEIRA, V. Sistemas integrados de gestão: efetividade e evolução. ENEGEP,26.Anais... Fortaleza, CE, 9 a 11 de Outubro de 2006.

MARCHIORI P. Z. Gestão da Informação e do Conhecimento – práticas e reflexões - Leonardo Fernandes Souto – Organizador – Editora Interciência - Cap. 2 – Gestão da Informação: Fundamentos, Componentes e desafios contemporâneos. UFPR, 2014.

MAROCO, J. Análise de Equações Estruturais – fundamentos teóricos, software e aplicações. Report Number. Pero Pinheiro, 2010.

MARTIN, James. Engenharia da Informação – Introdução. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

MATTIODA, R. A.; FAVARETTO, F. Qualidade da Informação em Duas Empresas que Utilizam Data Warehouse na Perspectiva do Consumidor de Informação – um estudo de caso. Universidade Federal do Paraná, 2009.

McGEE, JAMES, PRUSAK, Laurence. Gerenciamento Estratégico da Informação: aumente a competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica, Rio de Janeiro: Elsevier, 1992.

MORAES, G. D. A.; FILHO, E. E. A Gestão da Informação Diante das Especificidades das Pequenas Empresas. EESC/USP, 2006.

MOTA, A. G.; AMORIM, J. A. M. A Empresa na Economia do Conhecimento. In: Revista Uniandrade, revista científica do Centro Universitário Campos de Andrade. Ano 2001.

O’BRIEN, JAMES A. Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais na Era da Internet – São Paulo: Saraiva, 2004.

PAIM, NEHMY e GUIMARÃES. Problematização do Conceito Qualidade da Informação: perspectivas em ciência da informação. Perspectiva Ciência da Informação. Belo Horizonte, v. 1, n. 1, janeiro./junho 1996.

REZENDE, D. A. Engenharia de Software e Sistemas de Informação. Rio de Janeiro: Brasport, 2005.

SANTOS, L. D.; AMARAL, L. Determinantes do Sucesso de Adoção e Difusão de Serviços de Informação. Conferência da Associação Portuguesa de Sistemas de Informação. Lisboa, 2004.

STAIR, R. M.; REYNOLDS, G. W. Princípios de Sistemas de Informação. Anais...São Paulo: CENGAGE, Tradução da 9. ed.Americana, 2010.

TEMIN, P. Inside the Business Enterprise: historical perspectives on the use of information. Chicago: University of Chicago Press, 1991.

WILKINSON, JOSEPH W.; CERULLO, MICHAEL J. Accounting Information Systems: essential concepts and applications, 3 rd ed. New York: John Wiley & Sons, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)