GESTÃO DE DESEMPENHO PROMOVENDO AS PRÁTICAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO APLICADO NO CONTEXTO DE INOVAÇÃO: ESTUDO DE CASO SEVA

FLÁVIO FERREIRA DE MELO

Resumo


A velocidade das mudanças aplicadas a tecnologia, processos e pessoas estão alterando nosso comportamento social, econômico e empresarial. Podemos inferir este comportamento ao responder a pergunta: qual o percentual de vendas atuais da empresa é representado por produtos com menos de três anos de idade? A tendência deste comportamento força as empresas a entender o significado das informações que influencia as tomadas de decisões, rumo ao novo e inesperado cenário da inovação. Este cuidado é importante pois de uma hora para outra os produtos e serviços podem assumir um novo significado com conceitos totalmente diferentes, alterando toda a sua cadeia de valor. Estes fatores reforçam a necessidade de um processo continuo de controle de desempenho aplicado na correlação das práticas de gestão do conhecimento no contexto de inovação que potencialize os processos de transformação do conhecimento e agilize as entregas das equipes de pesquisa, desenvolvimento e inovação. A presente pesquisa tem por objetivo identificar, por meio de um estudo de caso, de abordagem qualitativa e natureza aplicada a relação e grau de influência das práticas de gestão de desempenho, gestão do conhecimento e inovação. A coleta de dados será realizada por meio de questionários e entrevistas junto aos profissionais da área de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) da SEVA Engenharia Eletrônica S.A, localizada na grande Belo Horizonte - MG. A análise dos dados utilizará o método de comparação e triangulação das informações dos questionários e entrevistas aplicados.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA NETO, R. C. D. Gestão do conhecimento em organizações: proposta de mapeamento conceitual integrativo. 2006 (Doutorado em Ciência da Informação) – PPGCI, Escola de Ciência da Informação da UFMG, Belo Horizonte.

BANDURA, A. Social foundations of thought and action: a social-cognitive view. Englewood Chiffs: Prentice Hall, 1986.

BRACKEN, D. W. Advancing the state of the art of 360- degree feedback – Editors’ comments. Group & Organization Management, v.22, nº 2, p.149-161, June 1997.

CAMELO; PIMENTÃO; VASCONCELOS; CUNHA, Pessoas, Inovação e Qualidade Organizacional: Um projecto para a Gestão de Desempenho FFP/UFP, 2008.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Ed. do Senac, 2003

CHURCH, A. H. First rate multirater feedback. Training & Development, p. 42-43, Aug. 1995.

CORRÊA; JUNIOR, Sistemas de mensuração e avaliação de desempenho organizacional: Estudo de casos no setor químico no Brasil, Salvador: 30º Encontro ANPAD 2006.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as empresas gerenciam seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1998.

DAVILA, As Regras da Inovação. Porto Alegre: Bookman, 2007.

DAFT, R.L; MARCIC,D. Understanding Management. Versailles:Thomson – South – Western,2004, p.573

DRUCKER,P.F The pratice of management. Nova Iorque: Harper& Brothers (Publishers,1964, p.440)

GERMANO, O processo de mudança nas organizações. Confederação Nacional de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. 2010. Disponível em http://www.comicro.org.br/artigo1.html. Acessado em 08 de Abril de 2010.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GODOY, Arilda. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades, In Revista de Administração de Empresa, V.35, n.2, Mar. Abr. 1995ª, p. 57- 63.Pesquisa qualitativa.- tipos fundamentais, In Revista de Administração de Empresas, v.35, n.3, Mai./Jun. 1995b, p. 20-29.

KARDEC, Gestão Estratégica e Avaliação do Desempenho. Rio de Janeiro: QUALITYMARK: ABRAMAN, 2002.

LEOPARDI, M. T. Fundamentos gerais da produção científica. In: LEOPARDI, M. T. et al. (Org.). Metodologia da pesquisa em Saúde. 2. ed. rev. e atual. Florianópolis: UFSC/Pós-Graduação em Enfermagem, 2002. p. 108-149.

LEPSINGER, R. How to get the most out of 360º feedback. Training, p. 45-50, Dec.1995.

LONDON, M, SMITHER, J.W. Can multi-score feedback change perceptions of goal accomplishment, self-evaluations, and performance-related outcomes? Theory-based applishment and directions for reserch. Personnel Psychology, nº 48, p. 803-838, 1995.

LOPES, Gestão Estratégica de Desempenho. Rio de Janeiro: QUALITYMARK, 2009.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MAANEN, John, Van. Reclaiming qualitative methods for organizational research: a prefase, In Administrative Science Quarterly, vol.24, no.4, December 1979ª pp 520-526.The fact of fiction in organizational ethnography, In Adminitrative Science Quarterly, Vol.24, no. 4, December 1979b, pp.539-550.

MARRAS, TOSE, Avaliação de desempenho Humano. Rio de Janeiro: ElSEVIER, 2012.

MINTZBERG, Safári de Estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2000.

NEVES, José Luís. Pesquisa Qualitativa – Características, usos e possibilidades. Caderno de pesquisas em Administração, v. 1, n. 3, p. 1-5, 1996. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2013.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação do conhecimento na empresa. São Paulo: ELSEVIER, 1997.

Oliveira, P. H., Gonçalves, C. A., Paula, E. A. M., & Santos, K. A. (2012). Gestão do conhecimento orientada para a estratégia de inovação de produtos tecnológicos: o caso da Invent Vision. Revista de Administração e Inovação, 9(4), 153-176.

OTLEY, D.Performance management: a framework for management control systems research. (Management Accounting Research, v.10, p.363-382, 1999)

PULAKOS, Gestão de Desempenho - Como aplicar processos bem-sucedidos para aumentar a performance da equipe. São Paulo: Gente, 2011.

REIS, Avaliação 360° Graus Um Instrumento de Desenvolvimento Gerencial. São Paulo: Atlas, 2010.

RODRIGUES, Gestão de Conhecimento e Inovações nas Empresas. Rio de Janeiro: QUALITYMARK, 2011.

SCHERER; CARLOMAGNO, Gestão da Inovação na Prática. São Paulo: ATLAS, 2009.

SOUZA, Gestão de Desempenho: Julgamento ou Diálogo? Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

TERRA, 10 Dimensões da Gestão da Inovação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

Teh, C. C., & Marx, R. (2012). A relação entre competências organizacionais e os resultados dos processos de inovação. Revista Brasileira de Estratégia, 5(2), 141-155.

TERRA, J. C. C. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial: uma abordagem baseada no aprendizado e na criatividade. São Paulo: Negócio, 2000.

TIDD, Gestão da Inovação. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TORNATZKY, Louis G.; FLEISCHER, Mitchell. The Processes of Technological

Innovation. Lexington: Lexington Books, 1990.

YUKL, G Leadership in organizations. Englewood Cliffs: Prentice Hall,1994.

ZANINI, Georgia Barreto; PINTO, Marli Dias Souza; FILIPPIM, Eliane Salete. ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA APLICADA À GESTÃO DO CONHECIMENTO. Conhecimento Interativo, v. 6, n. 2, p. 124-140, 2013.

WERKEMA, Métodos PDCA e DMAIC e suas Ferramentas Analíticas. Rio de Janeiro: CAMPUS, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)