SOFTWARE DE AUTOMAÇÃO PARA TANQUES DE COMBUSTÍVEIS: Análise de Aceitabilidade.

ADELSON FELIPE DIAS NOGUEIRA

Resumo


As empresas distribuidoras de combustíveis tem um grande desafio em um futuro próximo, segundo a ANP o mercado brasileiro alcançará no ano de 2020 sua autosuficiência. Assim o setor de distribuição de combustíveis necessitará de ferramentas para auxiliar na gestão dos tanques de combustíveis e controlar o reabastecimento. Diante disso, o objetivo desse estudo consiste em realizar a análise de aceitabilidade de um software para automação para tanques de combustíveis juntos aos clientes de uma empresa de TRR, distribuidora de combustíveis, situada no estado de Minas Gerais. Este software tem a função primordial de gerar indicadores para auxiliar os gestores da empresa na distribuição de combustíveis. O estudo foi realizado utilizando como instrumento o modelo teórico de aceitação de tecnologia TAM. Realizou-se uma pesquisa exploratória e descritiva, com coleta de dados realizada por meio de aplicação de questionário, enviados e respondidos por e-mail pelos clientes e uma distribuidora (TRR). Detectou-se com os resultado os construtos utilidade percebida, facilidade de uso percebida e atitude em relação ao sentimento tiveram um aumento à medida que os usuários utilizam o sistema de informação. Por outro lado também foi confirmada que a facilidade de uso percebida possui um efeito direto e positivo na utilidade percebida. A facilidade de uso é frequentemente citada como fator de satisfação.

 

Palavras Chaves: ANP, TRR, TAM,


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília:

Liber Livro Editora, 2005.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO. ANP. Disponível em:

. Acesso em: 10 de jan de 2013.

ALAVI, M.; JOACHIMSTHALER, E. A. (1992). Revisiting DSS Implementation

Research: A Meta-Analysis of the Literature and Suggestions for Researchers. MIS

Quarterly. 1992.

AKMANA, I.; YAZICIB, A.; MISHRAA, A.; ARIFOGLU, A. “E-Government: A

global view and an empirical evaluation of some attributes of citizens”. Government

Information Quarterly .v.22 , pp. 239–257.2005.

ALTER, S. L. Information System: a management perspective. 2 Ed., Melon Park:

Benjamin Cummings. 1996.

BANDURA. A. Self-efficacy: The exercise of control. New York: Freeman, 1997.

BARKI, H; PINSONNEAULT. Explaining ERP implementation effort and benefits

with organization integration. Cahier du GreSI. Montreal, HEC, n. 02-01, fev, 2002.

BELANCHE, DANIEL; LUIS CASALO; CARLOS FLAVIAN. (2012) “Integrating

trust and personal values into the Technology Acceptance Model: The case of egovernment services adoption.” Journal of Economics and Enterprise Management,

Vol. 15, Issue 4, October–December 2012, p. 192–204.

BERTHOLOTTO, J. F. Técnicas de amostragem: aplicações em estudos populacionais.

Revista de Ciências Gerencias, Vol.4, n.6. Leme: Anhanguera Educacional, out. 2000.

P.20-29.

BEUREN, I. M.; RAUPP, F. M.; Metodologia da pesquisa aplicável às ciências

sociais. In: COLAUTO, R. D.; LONGARAY, A. A.; PORTON, R. A. de B.; RAUPP,

F. M.; SOUSA, M. A. B. de; BEUREN, I. M. (Org.). Como Elaborar Trabalhos

Monográficos em Contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2008. p. 46-97.

BONILLA, L. M.; BONILLA, J. M.; Estudio comparado de las estimaciones de dos

Versiones del modelo de aceptación de la Tecnología (tam) mediante los progamas

amos y pls, Vol. 12, Nº 3, 2006, PP.95-110,

BRUNNER, FRITZ MORRIS. A psychological rendering of consumerism. 1996.

p. Thesis (Ph.D.) — Pacifica Graduate Institute, AAT 3002424, California, USA.

CARTER L, BELANGER F, (2003) Diffusion of innovation & citizen adoption of egovernment. The Fifth International Conference on Electronic Commerce (ICECR-5).

Pittsburg, PA. pp.57-63.

CARTER L, BELANGER F, (2004) The Influence of Perceived Characteristics of

Innovating on e-Government Adoption. Electronic Journal of e-government. 2(1):11-20

CARTER L, BELANGER F, (2005) The utilization of e-government services: citizen

trust, innovation and acceptance factors. Information Systems Journal 15(1):5-25.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: O novo papel dos recursos humanos nas

organizações. 6ª tiragem. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

CUNHA, N.; SANTOS, S. As práticas gerenciais adotadas nas empresas líderes em

inovação para promover o empreendedorismo corporativo. In: XXIV Simpósio de

Gestão da Inovação Tecnológica, 2006, Gramado, Rio Grande do Sul, Anais do XX IV

Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 2006.

DAVILA, T.; EPSTEIN, M.; SHELTON, R. Making innovation work: how to manage

it, measure it and profit from it. Pennsylvania: Warthon School Publishing, 2003.

DAVIS, F. D. User acceptance of information technology: system characteristics, user

perceptions and behavioural impacts. International Journal of Man-Machine Studies 38,

pp. 475-487, 1993.

DAVIS, F. D. Perceived usefulness, perceived ease of use and user acceptance of

information technology. Mis Quarterly, v. 13, n. 3, p. 319-340, 1989.

DAVIS, F. D.; BAGOZZI, R. P.; WARSHAW, P. R. User acceptance of computer

technology: a comparison of two theoretical models.. Management Science, New York,

v. 35, n. 8, p. 982-1003, 1989.

DASGUPTA; GRANGER; MCGARRY. User Acceptance of E-Collaboration

Technology: An Extension of the Technology Acceptance Model. Volume 11, Number

, March 2002 , pp.

DIAS, M. C. Fatores de incerteza em desenvolvimento de sistemas de informação.

Cadernos de Estudos em Administração. Cascavel: EDUNIOESTE, p. 43-66,1998.

DIAS, M. C.; ZWICKER, R.; VICENTIN, I. C. Análise do modelo de aceitação de

tecnologia de Davis. Revista SPEI, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 15-23, jul./dez. 2003.

Disponível em: http://Web.spei.br:8081/faculdades/revista/revista_V4_n2/analise_

modelo.pdf>. Acesso em: 28 fev. 2006.

DILLON, A. I think therefore IA? American Society for Information Science and

Technology, v. 27, n. 2, Dec. /Jan. 2001

EFRON; TIBSHIRANI. An Introduction to the Bootstrap

> Acesso em: 01 jan de 2014.

EWUSI-MENSAH, K.; PRZASNYSKI, Z. On information system project

abandonment: an exploratory study of organizational practices. MIS Quarterly,

march., p. 67-85, 1991.

FLAVIAN, C., M. GUINALIU AND R. GURREA (2006). The role played by

perceived usability, satisfaction and consumer trust on website loyalty. Information &

Management, 43(1), 1-14.

FIDELIS, J. R. F.; BORGES, M. E. N. Conceitos básicos para a gestão da

informação: uma abordagem didática. Doxa, Coronel Fabriciano, v. 1, p. 29-38, 2002.

FISHBEIN, M.; LEHMANN, D.R.; & RYAN, M.J. (1981). Generalizing from

ïmperfect” replication. Journal of Business, 54 597-610.

GELMAN, A. e HILL, J. Data Analysis Using Regression and Multilevel/Hierarchical

Models. New York: Cambridge University Press, 2007.

GEFEN, D., E. KARAHANNA AND D. W. STRAUB (2003). Trust and tam in online

shopping: na integrated model. MIS Quarterly, 27(1), 51-90.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista

de Administração de Empresas. São Paulo: v.35, n.2, p. 57-63, abril 1995.

GONÇALVES, J. E. L. Os impactos das novas tecnologias nas empresas

prestadoras de serviço. Revista Administração de Empresas, v. 34, n. 1, p.63-81, 1993.

HOLLANDER, MYLES; DOUGLAS A. WOLFE. Nonparametric Statistical Methods.

New York: John Wiley & Sons, 1999.

HOSS, O. Uma sistemática de implementação de software em micro e pequenas

empresas comerciais. 2000. Disponível em:

Acesso em: 15 mar de 2013.

HU, PAUL J. et al. Examining the Technology Acceptance Model using physician

acceptance of telemedicine technology. Journal of Management Information Systems,

v. 16, n. 2, p. 91-112, 1999.

JOKELA, T. When good things happen to bad products: where are the benefits of

usability in the consumer appliance market? Interaction, v.1, n.6, p.28-35, Nov./Dec.

KAPLAN, ROBERT S. & NORTON, DAVID P., A Estratégia em Ação: Balanced

Scorecard –. Rio de Janeiro, Campus, 1997.

KATZ, J.E.; SUGIYAMA. 2006. Mobile phones as fashion statements: Evidence from

student surveys in the US and Japan. New Media Society 8: 321-337.

KEAT, K. T., & MOHAN, A. (2004). Integration of TAM based electronic commerce

models for trust. Journal of American Academy of Business, 5(1-2), 404-410.

KUDYBA, S.; DIWAN, R. The impact of information technology on US industry.

Japan and the world economy, v.14, p.321-333, 2002.

KUMAR, K. Da sociedade pós-industrial à pós-moderna: novas teorias sobre o

mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Gerenciamento de sistemas de informação. 3. ed.

Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2001.

LAUDON, K.; LAUDON, J. Sistemas de Informação. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Sistemas de informações gerenciais: administrando

a empresa digital. São Paulo: Pearson Brasil, 2003.

LAUDON K. C. & LAUDON J. P. Sistemas de Informações Gerenciais. São Paulo:

Prentice Hall, 2004.

LEDERER, A. L. et al. The technology acceptance model and the World Wide Web.

Decision Support System, v. 29, p. 269- 282, 2000.

LEGRIS, P. et al. Why do people use information technology? A critical review of the

technology acceptance model. Information & Management, v. 40, p. 191-204, 2003

LEVIN, J. Estatística aplicada a ciências humanas. São Paulo: Harbra, 1985. 392 p.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4 ed. Porto

Alegre: Bookman, 2001.

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e

execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração análise e

interpretação de dados. 3ª edição. São Paulo: Atlas, 1996.

MARTINS, G. A. Estudo de caso: uma estratégia de pesquisa. 2 ed. São Paulo: Atlas,

MARTINELI, R. M. F. Tecnologia da Informação na construção do conhecimento:

Uma abordagem a partir do modelo de Nonaka & Takeuchi. Dissertação de Mestrado:

Florianópolis, 2001.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996

MCGEE, J. V.; PRUSAK, L. Gerenciamento estratégico da informação: aumente a

competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma

ferramenta estratégica. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

MINAYO, M.C.S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 29 ed.

Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MINAYO, M.C. de S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22 ed. Rio de

Janeiro: Vozes, 2003.

MOON M. J. The evolution of e-government among municipalities: Rhetoric or reality?

Public Administration Review. V. 62, pp. 424-433, 2002.

MOORE, G. C., & BENBASAT, I. (1991). Development of an instrument to measure

the perceptions of adopting an information technology innovation. Information

Systems Research, 2(3), 192-222.

NIELSEN, J. Usability Engineering. San Diego : ACADEMIC Press, 1993.

NUNESS, P.; WILSON, D.; KAMBIL, A. The all-in-one market. Harvard Business

Review, Boston, v.78, Issue 3, p.19-20, May/ June 2000.

O'BRIEN, James A. Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da

Internet. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

OLIVEIRA, J. F. Sistemas de informação versus tecnologia de informação: um

impasse empresarial. São Paulo: Érica, 2004.

OLIVEIRA, J. F. Uma reflexão dos impactos da tecnologia de informação no Brasil.

São Paulo: Érica, 2001.

PETROBRAS – http://www.petrobras.com.br/pt/ – acesso em 17 de setembro de 2.013.

PARASURAMAN, A. (2000). Technology-Readiness Index (TRI): A Multiple-Item

Scale to Measure Readiness to Embrace New Technologies. Journal of Service

Research, Vol.2(4): 307-320

PIRES, P. J; COSTA FILHO, B. A. Fatores do índice de prontidão à tecnologia

(TRI) como elementos diferenciadores entre usuários e não usuários de internet

banking e como antecedentes do modelo de aceitação de tecnologia (TAM). RAC,

Curitiba, v. 12, n. 2, p. 429-456, Abr./Jun. 2008.

RICHARDSON, R.J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas,

RODRIGUES FILHO, J.; LUDMER, G. Sistema de informação: que ciência é essa?

JISTEM, São Paulo v. 2, n. 2, p. 151-166, 2005.

ROGERS, E.M.(1995).Diffusion of Innovations. 4th edition. New York : Free Press

SANTOS, L. e AMARAL, L. 2003. O e-Government local em Portugal - estudo da

presença das câmaras municipais portuguesas na Internet em 2002. Guimarães,

Laboratório de Estudo e Desenvolvimento da Sociedade da Informação/Universidade do

Minho/Cadernos Inter.face. [On-line] Acessado em: 06.10.2003, disponível em:

http://www2.dsi.uminho.pt/gavea/downloads/EstCam2002-v3.pdf.

SHACKEL, B. Usability context, framework, definition, design, and evaluation. In B.

Shackel and S. Richardson (eds.). Human Factors for Informatics Usability. Cambridge:

Cambridge University Press, 1991.

SILVA, A. L. M. R. da. A influência do treinamento de usuários na aceitação de

sistemas ERP em empresas no Brasil. 2005. 118 f. Dissertação de Mestrado em

Administração – Instituto COPPEAD de Administração, Universidade Federal do Rio

de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

SILVA, ANTONIO CARLOS RIBEIRO DA. Metodologia da Pesquisa Aplicada à

Contabilidade. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

SINDI TRR – http://www.sindtrr.com.br/– acesso em 18 de novembro de 2.013.

SOUZA, R. V. DE, & LUCE, F. B. (2005). Avaliação da aplicabilidade do

‘technology readiness index’ (TRI) para a adoção de produtos e serviços baseados

em tecnologia. Revista de Administração Contemporânea, 9(3), 121-141.

STAIR, R. M.; REYNOLDS, G. W. Princípios de sistemas de informação: uma

abordagem gerencial. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

STRAUB, K.; BRENNER, W. Testing the technology acceptance model across

ultures: a three country study. Information & Management, Amsterdam, v. 33, n. 1, p.

-11, 1997

TAURION, C. Aprendendo com os erros. Gestão empresarial. p. 24-26, agosto, 1999.

TAYLOR, S.; TODD, P.A. Assessing IT usage: the role of prior experience. MIS

Quarterly, v.19, n.4, p.561-570, Dec. 1995a.

TAYLOR, S. A., CELUCH, K., & GOODWIN, S. (2002). Technology readiness in the

insurance company: an exploratory investigation and development of an agent

technology e-consumption model. Journal of Insurance Issues, 25(2), 142-165.

TAYLOR, S. A., GOODWIN, S., & CELUCH, K. (2005). An exploratory investigation

into the question of direct selling via the internet in industrial equipment markets.

Journal of Business to Business Marketing, 12(2), 39-54.

VENKATESH, V.; DAVIS, F. D. A theoretical extension of the technology

acceptance model: four longitudinal field studies. Management Science, v. 46, n. 2, p.

-204, february, 2000.

VENKATESH, V. Creation of favorable user perceptions exploring the role of

intrinsic motivation. MIS Quarterly, v.23, n.2, p.239-260, June 1999.

VENKATESH, V.; MORRIS, M.G.; DAVIS, G.B.; DAVIS, F.D. User acceptance of

information technology: toward a unified view. MIS Quarterly, v.27, n.3, p.425-478,

Sept. 2003.

VENKATRAMAN, N.; HENDERSON, J. C. Plataformas de negócios para o Século

XXI. In DAVENPORT, T. H.; MARCHAND, D.; A. DICKSON, T. Dominando a

Gestão da Informação. Porto Alegre: Bookman, 2004.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman,

WEST, D. M. Digital Government: Technology and Public Sector Perfomance. Nova

Jersey: Princeton University Press, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)