Agrupamento de documentos eletrônicos por meio de Sintagmas Nominais

RODRIGO SOARES CHAVES

Resumo


Com o desenvolvimento tecnológico a informação passou a ter um papel fundamental em nossas vidas. A forma como a informação é recuperada, tratada e representada passa a ter enorme importância, assim como o tempo necessário para obtê-la. A classificação das informações é, na maioria das vezes, feita por processos manuais que exigem muito esforço por parte de bibliotecários e pesquisadores. A proposta deste trabalho é descrever as atividades experimentais realizadas com base nos sintagmas nominais para a análise, classificação e agrupamento de documentos eletrônicos de forma automática. Por meio de técnicas de agrupamento adotadas em similaridades de documentos, a pesquisa verifica os benefícios alcançados com a distribuição dos trabalhos de cada grupo. Como parâmetro para a realização das buscas é proposto a utilização de um corpus formado por aproximadamente 12.000 resumos de estudos acadêmicos, que serão submetidos a experimentos e análise.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, L. A teoria do conceito revisitada em conexão com ontologias e metadados no contexto das bibliotecas tradicionais e digitais. DataGramaZero–Revista de Ciência da Informação, v. 2, n. 6, 2001. ______. Representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação em tempo e espaço digitais. Encontros Bibli, n. 15, 2003. ISSN 1518-2924. ANTONIOU, G. A semantic web primer. the MIT Press, 2004. ISBN 0262012103. BASKERVILLE, R.; DULIPOVICI, A. The theoretical foundations of knowledge management. Knowledge Management Research & Practice, v. 4, n. 2, p. 83-105, 2006. ISSN 1477-8238. BERNERS-LEE, T.; HENDLER, J.; LASSILA, O. The semantic web. Scientific american, v. 284, n. 5, p. 28-37, 2001. ISSN 0036-8733. CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios ea sociedade; tradução Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. Senac, 2006. ISBN 8573593415. DANTAS, M. Capitalismo na era das redes: trabalho, informação e valor no ciclo da comunicação produtiva. Informação e globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, p. 216-261, 1999. DE VASCONCELOS, E. S. et al. Método alternativo para análise de agrupamento. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 10, p. 1421-1428, 2007. ISSN 1678-3921. DIAS, E. J. W. Biblioteconomia e ciência da informação: natureza e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 5, 2000. ISSN 1981-5344. DIAS, E. W. Contexto digital e tratamento da informação. DataGramaZero-Revista de Ciência da Informação, v. 2, n. 5, 2001. GARCÍA JIMÉNEZ, A. Instrumentos de representación del conocimiento: tesauros versus ontologías. Anales de documentación, 2004. p.79-95. KURAMOTO, H. Uma abordagem alternativa para o tratamento ea recuperação de informação textual: os sintagmas nominais. Ciência da informação, v. 25, n. 2, 1996. ISSN 1518-8353. ______. Sintagmas nominais: uma nova proposta para a recuperação de informação. 2002. ISSN 1517-3801.

LANCASTER, F. W. Toward paperless information systems. Academic Press, Inc., 1978. ISBN 0124360505. LANCASTER, F. W.; WARNER, A. J. Information Retrieval Today. Revised, Retitled. ERIC, 1993. ISBN 0878150641. MAIA, L. C.; SOUZA, R. R. Uso de sintagmas nominais na classificação automática de documentos eletrônicos. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 15, p. 154-172, 2010. ISSN 1413-9936. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413http://www.scielo.br/scielo.p hp?script=sci_arttext&pid=S1413- 99362010000100009&nrm=iso99362010000100009&nrm=iso >. MAIA, L. C. G.; SOUZA, R. R. MEDIDAS DE SIMILARIDADE EM DOCUMENTOSELETRÔNICOS. Escola de Ciência da Informação, UFMG. Artigo apresentado no IX ENANCIB–Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, USP, 2008. MARCO, G.; ESTEBAN NAVARRO, F. On some contributions of the cognitive sciences and epistemology to a theory of classification. Knowledge organization, v. 20, n. 3, p. 126132, 1993. ISSN 0943-7444. MOREIRA, A.; ALVARENGA, L.; OLIVEIRA, A. D. P. O nível do conhecimento e os instrumentos de representação: tesauros e ontologias. DataGramaZero-Revista de Ciência da Informação, v. 5, n. 6, 2004. PERINI, M. A. A gramática gerativa: introdução ao estudo da sintaxe portuguesa. Editora Vigília, 1976. ______. Sofrendo a gramática: ensaios sobre a linguagem. Editora Atica, 2002. ISBN 8508067291.

PETERSEN, K. et al. Systematic mapping studies in software engineering. 12th International Conference on Evaluation and Assessment in Software Engineering, 2008. SETZER, V. W. Dado, informação, conhecimento e competência. DataGramaZero Revista de Ciência da Informação, n. 0, 1999. SOUZA, R. R. Uma proposta de metodologia para escolha automática de descritores utilizando sintagmas nominais. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 10, n. 2, 2008. ISSN 1981-5344. SOUZA, R. R.; ALVARENGA, L. A Web Semântica e suas contribuições para a ciência da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 132-141, 2004. STAAB, S.; STUDER, R. Handbook on ontologies. Springer, 2009. ISBN 3540926739.

STOJANOVIC, L.; STAAB, S.; STUDER, R. eLearning based on the Semantic Web. WebNet2001-World Conference on the WWW and Internet, 2001. p.23-27. VICKERY, B. C. Knowledge representation: a brief review. Journal of documentation, v. 42, n. 3, p. 145-159, 1986. ISSN 0022-0418.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)