A INFLUÊNCIA DAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA NO DESEMPENHO DOS CURSOS SUPERIORES: ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE BELO HORIZONTE

JOHNNY VICTOR MATOS ABJAUD

Resumo


A qualidade do ensino nos cursos de graduação das Instituições de Ensino Superior brasileiras vem sendo alvo de discussões em função do elevado número de entidades criadas nos últimos anos ofertando uma diversidade de cursos. Os níveis de qualidade destas instituições também são uma preocupação da administração das organizações e do Governo. As práticas de Governança Corporativa busca a geração de valor, a criação de riqueza e a maximização do retorno dos investimentos da organização, estratégias e diretrizes corporativas para os negócios e das questões operacionais. Também é uma premissa da Governança Corporativa o monitoramento dos resultados da organização, isto implica em ajustar os meios para que esta qualidade seja garantida. Portanto este trabalho tem como objetivo principal analisar a influência das práticas de governança corporativa no desempenho dos cursos superiores, através de estudo de caso realizado em uma instituição de ensino superior na cidade de Belo Horizonte. E como objetivos tem-se: conceituar as práticas de Governança Corporativa; identificar as práticas de GC nas IES; analisar os fatores de desempenho dos cursos superiores de graduação; analisar as práticas de Gestão do Conhecimento nas IES; e analisar os impactos das práticas de GC no negócio das IES através de um estudo de caso. Para elaboração deste estudo será utilizada a metodologia de estudo de caso, de caráter descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa quanto ao nível de qualidade dos cursos instituídos pela universidade, e quantitativa ao que se refere aos números que mensuram este nível de qualidade. Serão analisados seis cursos de graduação, Administração, Ciências Contábeis, Comunicação Social, Direito, Pedagogia e Psicologia, oferecidos pela Instituição. Os resultados serão tabulados e apresentados através de gráficos, tabelas, quadros abordando o tema proposto, a fim de se conseguir atender aos objetivos aqui descritos

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A.; ROSSETI, J. P. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. São Paulo: Atlas, 2004.

BERGAMINI JUNIOR, Sebastião. Controles Internos como um Instrumento de Governança Corporativa. REVISTA DO BNDES, RIO DE JANEIRO, v. 12, n. 24, p. 149-188, dez. 2005

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Decreto no 6.317, de 20 de dezembro de 2007. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 dez. 2007, Seção 1. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012

BRASIL. Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008. Dispõe sobre o censo anual da educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 abr. 2008. Seção 1. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012.

BRASIL. Lei n° 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2001, Seção 1. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Seção 1. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007. Institui o e-MEC, sistema eletrônico de fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação da educação superior no sistema federal de educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 dez. 2007. Seção 1. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007. Institui o e-MEC, sistema eletrônico de fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação, avaliação e supervisão da educação superior no sistema federal de educação, e o Cadastro e-MEC de Instituições e Cursos Superiores e consolida disposições sobre indicadores de qualidade, banco de avaliadores (Basis) e o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e outras disposições. Republicada por ter saído, no DOU nº 239, de 13-12-2007, Seção 1, págs. 39 a 43, com incorreção no original. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 29 dez. 2010. Seção 1. Disponível em:

BRASIL. Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Manual do ENADE 2012. Brasília-DF, maio de 2012. Disponível em: Acesso em 05 ago 2012

BRASIL. Projeto de Lei nº 8.035/2010. Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2010-2020 e dá outras providências. (Projeto em tramitação no Congresso Nacional). Organização: Márcia Abreu e Marcos Cordiolli. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011. Disponível em: . Acesso em: 3 jun 2012

CAJUEIRO, Joyce L G ; SICSU, A. B. ; RIBEIRO, Ana Regina Bezerra . Elementos Preliminares para a Construção de Modelos: A Contribuição da Gestão do Conhecimento para Instituições de Ensino Superior. Revista Gestão Industrial, v. 5, p. 219-234, 2009.

CARLSSON, R. H., Ownership and Value Creation: Strategic Corporate Governance in the New Economy, John Wiley e Sons, EUA, 2001, pág. 29.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação da Educação Superior. São Paulo: Cortez, 2003.

DIAS, Carmen Lúcia; HORIGUELA, Maria de Lourdes Morales; MARCHELLI, Paulo Sergio. Políticas para avaliação da qualidade do ensino superior no Brasil: um balanço crítico. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.32, n.3, p. 435-464, set./dez. 2006.

FAMA, E., JENSEN, M., Separation of ownership and control, Journal of Law and Economics, Jun, 1983.

FURRIER, Márcio Tadeu; SERRALVO, Francisco Antonio. A produção de conhecimento em administração entre as demandas de mercado e a realidade social. eGesta, v. 4, n. 3, jul.- set./2008, p. 30-55

HOUAISS, Antonio, VILLAR, Mauro de Salles, FRACO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. 2922p.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa. 4.ed. / Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. São Paulo, SP: IBGC, 2009.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Disponível em . Acesso em: 01 maio 2012

IFC – International Finance Corporation. Guia Prático de Governança Corporativa: Experiências do Círculo de Companhias da América Latina. Corporação Financeira Internacional (IFC), à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Estados Unidos da América: 2009.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior: 2010 – resumo técnico. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2012. 85 p.; tab. ISBN: 978-85-7863-018-8

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Anuário Estatístico do Brasil, v.70, Rio de Janeiro, 2010

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LEITE, Fernando Cesar Lima,. Gestão do conhecimento científico no contexto acadêmico: proposta de um modelo conceitual. Brasília, 2006. 240p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade de Brasília.

MATTEDI, Leonardo Giuberti,. Como a governança corporativa pode ajudar no fortalecimento do mercado de capitais brasileiro. Dissertação (Mestrado). Pós-graduação e pesquisa em administração e economia. IBMEC, Faculdade de Economia e Finanças, Rio de Janeiro, 2006.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdução à Administração. 5 ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 2000.

MEC, Ministério da Educação e Cultura. Índice Geral de Cursos – IGC. 2012 Disponível em: Acesso em: 01 jun 2012.

MELLO, Sérgio C. Benício de; DUTRA, Hérrisson Fábio de Oliveira; OLIVEIRA, Patrícia Andréa da Silva. Avaliando a qualidade de serviço educacional numa IES: o impacto da qualidade percebida na apreciação do aluno de graduação. O&S, v.8, n.21, p. 125-137, Maio/Agosto, 2001.

MENEGHEL, S. M.; ROBL., F.; SILVA, T. T. F. A relação entre avaliação e regulação na Educação Superior: elementos para o debate. Educar, Curitiba, n. 28, p. 89-106, 2006. Editora UFPR.

MORESI, E. A. D. Gestão da informação e do conhecimento. In: TARAPANOFF, K. Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001

OLIVEIRA, Luiz Claudio Vieira de; CORRÊA, Osvaldo Manoel. Normas para redação de trabalhos acadêmicos, dissertações e teses. 2 ed. rev. Belo Horizonte: Universidade FUMEC, 2008.

ROSA, Alexandre Reis; AQUINO ALVES, Mario. Pode o conhecimento em gestão e organização falar português? RAE - Revista de Administração de Empresas, vol. 51, núm. 3, maio-junho, 2011, pp. 255-264

SANTOS, Alexandre Pompeu dos. Governança corporativa e desempenho em instituições privadas de ensino superior de Minas Gerais. 2007. 181f. Dissertação (Mestrado) Universidade FUMEC, Faculdade de Ciências Empresariais, 2007.

SANTOS, M. R. C.; SILVA, C. E.. Universidades corporativas como vantagem competitiva na era do conhecimento. Revista Brasileira de Administração Científica, Aquidabã, v.2, n.1, p.31‐52, 2011. SEGENREICH, Stella Cecilia Duarte; CASTANHEIRA, Antonio Mauricio. Expansão, privatização e diferenciação da educação superior no Brasil pós - LDBEN/96: evidências e tendências. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro, v. 17, n. 62, mar. 2009. Disponível em . acessos em 02 ago. 2012.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 21ª ed., São Paulo: Cortez, 2001.

SILVEIRA, Alexandre Di Miceli da. Governança corporativa e estrutura de propriedade : determinantes e relação com o desempenho das empresas no Brasil. São Paulo, 2004. 250 f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, 2004

SILVEIRA, Alexandre Di Miceli da. Governança corporativa, desempenho e valor da empresa no brasil. Dissertação (Mestrado), 2002. Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Administração. 2002

SROUR, Gabriel. Práticas diferenciadas de Governança Corporativa:. Hum Estudo Sobre a Conduta e o desempenho das Firmas Brasileiras Rev. Bras. Econ. , Rio de Janeiro, v 59, n. 4, dezembro 2005. Disponível em: . Acesso em 29 de abril de 2012.

TARAPANOFF, K. M. A. (org). Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Projetos, Dissertações e Teses em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento
ISSN 2358-5501 (Online)