O DISCURSO DO CONSUMO MORALISTA, NA REVISTA TURMA DA MÔNICA JOVEM

Flávia Meneguelli Ribeiro Setubal, Moema Martins Rebouças

Resumo


A proposta do artigo é contribuir no âmbito educacional e dos estudos do consumo, desenvolvendo uma análise crítica da revista em quadrinhos Turma da Mônica Jovem (TMJ), dentro dos pressupostos teóricos e metodológicos dos estudos da semiótica discursiva, tendo como pano de fundo a sociedade de consumo atual. O corpus é formado pela edição 58, intitulada “Conflito de Gerações”, com o objetivo de identificar como o discurso do consumo moralista é apropriado pela revista, bem como que estratégias enunciativas são utilizadas para inscrever o público infantojuvenil neste discurso. Os resultados apontam para um alerta ao consumo desordenado de informações na internet, reiterando uma característica marcante do público infantojuvenil de TMJ, uma vez que seu discurso figurativiza essa relação jovens x tecnologia, o tempo todo. Ainda, a categoria de consumo moralista tem foco no público masculino, colocando os meninos como personagens principais das tramas ou situações apresentadas.

http://dx.doi.org/10.21714/pretexto.v17i2.4085


Palavras-chave


Consumo Infantil; Consumo Moralista; Semiótica; Educação; Turma da Mônica Jovem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/pretexto.v17i2.4085

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Pretexto
ISSN 1984-6983 (Online)
ISSN 1517-672x (Impressa)
Classificação Qualis CAPES - B2 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo