SIMPLIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA NOS CARTÓRIOS JUDICIAIS BRASILEIROS

LAÍS GUERRA JUVENTINO

Resumo


Este trabalho analisará a forma como atualmente os cartórios judiciais se organizam internamente, o tipo de gestão de pessoas utilizada e o método que os servidores públicos empregam para dar andamento aos procedimentos internos das secretariais judiciais. Pesquisas quantitativas já realizadas in loco serão a base de dados da pesquisa, de modo a propiciar o panorama da recente conjuntura. No que tange à fonte metodológica, será apresentado o modelo da simplificação administrativa sob a ótica da holocracia como proposta para sanar a morosidade e a falta de eficiência na prestação do serviço público, qual seja: a prestação jurisdicional. Partindo de tais pressupostos, conclui-se que a aplicação, nos cartórios judiciais brasileiros, da simplificação administrativa sob a égide do modelo de gestão de pessoas da holocracia causaria diversos reflexos positivos na prestação jurisdicional. A organização interna dos cartórios judiciais seria aprimorada, os servidores públicos trabalhariam de forma motivada e as funções de cada elemento da equipe seriam estabelecidas de forma harmônica, respeitando-se a estrutura organizacional em círculos, tal como propõe o modelo holocrático. Ademais, através do uso das premissas da simplificação administrativa – desburocratização, implementação de sistema único, modernização e eliminação de procedimentos repetitivos –, o atendimento à demanda judicial tornar-se-ia menor. Dessa forma, o acúmulo de trabalho poderia ser diluído, respeitando a divisão de funções feita de acordo com a afinidade de cada um. A melhoria da qualidade da prestação jurisdicional e a maior celeridade no curso dos processos judiciais são consectários lógicos, considerando o uso do modelo de gestão holocrático conjuntamente com a utilização das formas de desburocratização sugeridas pela simplificação administrativa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.