Política educacional: a questão racial e as desigualdades sociais no brasil

José Eustáquio de Brito

Resumo


Tomando como ponto de partida a formulação apresentada no documento referência da Conferência Nacional de Educação 2010 sobre a relação entre a política educacional e o quadro de desigualdades presente no País, propõe-se uma análise crítica sobre os limites do diagnóstico proposto no documento para subsidiar a construção de alternativas no campo da política educacional, confrontando esse diagnóstico a referências que incorporam outras dimensões de interpretação da questão social, com ênfase na dinâmica do mercado de trabalho. São discutidas as várias formas de manifestação da questão social em nosso país, acentuando a radicalização do quadro historicamente precário de inserção produtiva a que se encontra submetida à população negra com base na reestruturação capitalista do final do século. Em seguida, valendo-se parcialmente do modelo de constituição de “capital social gerado pelo Estado”, proposto por Martin Carnoy, apresenta-se uma reflexão de modo a complementar os componentes desse modelo com a reflexão sobre a necessidade de reconhecimento da legitimidade dos movimentos sociais como sujeitos políticos, apontando alguns desafios para a consolidação de uma política educacional comprometida com o enfrentamento do quadro de desigualdades refletido.

Palavras-chave


Desigualdade social. Relações étnico-raciais. Política educacional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Paidéia

Revisão: Profª Silvia Fiuza
Projeto Gráfico e Capa: D'Lourenço Studio Gráfico
Diagramação: Tecnologia da Informação - Universidade FUMEC
Normalização: Biblioteca Universitária - Universidade FUMEC

ISSN 1676-9627 (Impressa)
ISSN 2316-9605 (On-line)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde.