Perspectivas educacionais: em busca de igualdade

Andréia Lisboa de Sousa

Resumo


A história da criação, do desenvolvimento e da consolidação do Ministério da Educação mostra que desde seu surgimento, na década de 1930, sob o nome de Ministério da Educação e Saúde Pública (MES), a instituição se configurou em torno da reprodução de um pensamento, de uma visão e de uma prática científica excludente. Objetiva-se com este artigo apresentar alguns aspectos sobre o tratamento da temática étnico-racial na política educacional nacional do Ministério da Educação (MEC), incluindo a educação escolar quilombola, perpassando momentos históricos e estratégicos, além de enfatizar o protagonismo do movimento negro na luta antirracista em prol da afirmação de direitos. Ao final, conclui-se que o MEC ainda não consolidou uma política educacional transformadora a ponto de inserir a temática étnico-racial de gênero como conteúdo curricular permanente na educação básica, entretanto tem criado programas, projetos e ações com curta abrangência nesse sentido.

Palavras-chave


Políticas educacionais. Educação e desigualdades. Currículo e relações étnico-raciais. Educação escolar quilombola.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Paidéia

Revisão: Profª Silvia Fiuza
Projeto Gráfico e Capa: D'Lourenço Studio Gráfico
Diagramação: Tecnologia da Informação - Universidade FUMEC
Normalização: Biblioteca Universitária - Universidade FUMEC

ISSN 1676-9627 (Impressa)
ISSN 2316-9605 (On-line)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde.