A CULTURA DO CONSUMISMO EXACERBADO NO PARADIGMA SOCIETÁRIO HODIERNO: UMA BREVE ANÁLISE DAS NECESSÁRIAS POSTURAS SUSTENTÁVEIS FRENTE À CRISE AMBIENTAL

Raquel Torres de Brito Silva

Resumo


Com a influência incontestável da globalização, sobretudo em observância dos fortes avanços societários hodiernos, especialmente no que tange as evoluções mercantis, analisa-se aqui sobre um consumo crescente e exacerbado impulsionado pelas indústrias. Todavia, nessa conjunta, busca-se aqui refletir sobre um consumismo, quando exacerbado, precursor das crescentes explorações dos recursos naturais, cada vez mais limitados, mormente o anseio prevalecente de corresponder aos desejos e as satisfações alienadas do ser humano. Tal consumo representa-se como uma das mazelas mais precursoras da então observada crise ambiental contemporânea, desrespeitando, com isso, o direito fundamental a um meio ambiente ecologicamente equilibrado. Com tal linha intelectiva, o artigo objetiva analisar algumas das possíveis medidas sustentáveis a serem gradativamente adotadas, pela sociedade, na esperança, embora ínfima, de uma ruptura desse paradigma ecologicamente caótico observado, bem como em prol de melhor refletirmos sobre nossas condutas e hábitos alienados frente ao meio ambiente no qual convivemos.


Palavras-chave


Meio Ambiente; Consumismo; Crise ambiental contemporânea.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.46560/meritum.v14i2.6993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Meritum, Revista de Direito da Universidade FUMEC
ISSN 1980-2072 (Impressa)
ISSN 2238-6939 (Online)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde (FCH).