PENSAMENTO DESCOLONIAL E FEMINISMO NEGRO NA AMÉRICA LATINA

Fernanda da Silva Lima, Mariana Alexandre Colombo

Resumo


O colonialismo dos países latino-americanos deixou marcas e influenciou a cultura e a história das populações colonizadas. Nesse sentido, o eurocentrismo foi imposto às colônias da América Latina, por terem epistemologias diferentes, consideradas ‘inferiores e atrasadas’, perdurando até hoje sua influência pela colonialidade, ao qual ainda mantem suas estruturas de dominação. O problema de pesquisa consiste em questionar o modelo hegemônico do feminismo tradicional, reconhecendo que esta matriz teórica é insuficiente para garantir os direitos humanos de mulheres negras na América Latina. A hipótese de trabalho está assentada na concepção de que o discurso universal e hegemônico dos direitos humanos e das teorias feministas tradicionais é incapaz de proporcionar as mulheres negras da América Latina, uma realidade que as represente. O artigo tem por objetivo estudar o feminismo a partir da perspectiva do pensamento descolonial, como uma proposta epistemológica adequada no atendimento das demandas específicas das mulheres negras da América Latina. O método adotado foi o dedutivo, partindo de estudos científicos, reunindo evidências que a epistemologia descolonial pode desenvolver uma visão mais integradora e crítica ao feminismo na América Latina, viabilizando as necessidades peculiares das mulheres negras e apontando um horizonte de resistência, libertação e interculturalidade.

Palavras-chave


América Latina; Feminismo; Mulher Negra; Pensamento Descolonial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Meritum, revista de Direito da Universidade FUMEC
ISSN 1980-2072 (Impressa)
ISSN 2238-6939 (Online)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde.