Instituto Política Por.De.Para Mulheres: entre a comunicação e a representatividade das mulheres na política

Claudia Irene de Quadros, Luciana Panke, Karina Lançoni Bernardi, Silvia Maria da Silva Cunha

Resumo


Este estudo analisa a comunicação do coletivo feminista Instituto Política Por.De.Para Mulheres (Curitiba), que incentiva a inserção feminina na política. Em Curitiba, apenas oito mulheres foram eleitas em 2016 para a Câmara Municipal, o que representa 21% do total de vagas. Na Assembleia Legislativa do Paraná a situação é similar: a casa conta atualmente com quatro deputadas eleitas – cerca de 7% das 54 cadeiras. Essa baixa representatividade da mulher e as estratégias de comunicação são exploradas por meio de um referencial teórico que explica a política como um campo predominantemente masculino e evidencia os esforços para mudar esse cenário. Como procedimento metodológico, adotou-se a revisão bibliográfica, entrevista em profundidade com a idealizadora do coletivo e análise de conteúdo segundo Bardin (2011) das publicações realizadas pelo grupo nas redes sociais Facebook e Instagram em um período de 30 dias, que antecederam o “III Encontro de Pesquisas Por.De.Sobre Mulheres”, realizado em junho de 2019 pelo Instituto. Para tensionar as informações obtidas na análise dos conteúdos postados, foi feita uma entrevista estruturada, via e-mail, com a diretora de comunicação do Instituto. Foi observado que o coletivo tem uma comunicação descentralizada e horizontal, que consegue alcançar engajamentos positivos com o público-alvo.


Palavras-chave


Comunicação Política; Mulheres na Política; Representatividade Feminina; Coletivo Feminista.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, S. Pesquisa mostra que Instagram é a rede social mais usada nos Estados Unidos, B9, 18 maio de 2019. Disponível em https://bit.ly/2YVMQHf. Acesso em 27/09/2019.

ATHAYDES,A.S; MONSALVE. A. M. S. Latin American Communication Monitor: mapeamento das tendências do mercado de comunicação estratégica e relações públicas na América Latina. São Paulo: USP, Organicom, número 30, 2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BIROLI, F. Gênero e Desigualdades – Limites da Democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BOURDIEU, P. A Dominação Masculina. Trad. Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007

BRABO, T. S. A. M. Gênero e Poder Local. São Paulo: Humanitas, 2008.

CALEFFI, R. Perguntas sobre o Instituto Política Por.De.Para Mulheres. [Mensagem pessoal]. Mensagem recebida por: karinabernardi@hotmail.com. 03 julho 2019.

ESCOSTEGUY, A. C. Mídia e Questões de Gênero no Brasil: pesquisa, categorias e feminismos. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Comunicação, Gêneros e Sexualidades do XXVIII Encontro Anual da Compós, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre - RS. Junho 2019.

FRASER, N. Rethinking the Public Sphere: a contribution to the critique of actually existing democracy. In: Craig Calhoum. Habermas and the public sphere. London, 1992.

Inter-Parliamentary Union. Women in Politics: 2019. Disponível em: https://bit.ly/2nSDLS9. Acesso: 17/08/2019

PANKE, L. Campanhas Eleitorais para Mulheres: desafios e tendências. Curitiba: Editora UFPR, 2016.

PENA, Alberto. Las dimensiones de la estrategia. In: PÉREZ GONZÁLEZ, Rafael. Estrategias de comunicación. Madrid: Ariel, 2001, p. 139-165.

SALGADO, E. D.; GUIMARÃES, G.; MONTE-ALTO, E. V. Cotas de Gênero na política: entre a história, as urnas e o parlamento. Revista do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero & Direito (UFPB), v. 1, p. 156-182, 2015.

SALGADO, E. Atuação do Instituto Política Por.De.Para Mulheres. Entrevista concedida a esta pesquisa em 28 de maio de 2019. Informação Verbal.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE) – estatística do eleitorado. Disponível em: https://bit.ly/2nm9dVH.Acesso: 09/05/2019

VEIGA, L.; GONDIM, S. M. G. A utilização de Métodos Qualitativos na Ciência Política e no Marketing Político. Revista Opinião Pública, vol.7, nº01. Campinas, 2001

WEBER, Maria Helena . Imagem Pública. In. ALBINO,A.; RUBIM,C. Comunicação Política: conceitos e abordagens. Salvador; Edufba. 2004. p. 259- 307.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.

Revista Mediação
ISSN 2179-9571 (on-line)
ISSN 1676-2827 (impressa)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde.