SEMIOSE DE UM PARADOXO COMUNICATIVO

Mauricius Martins Farina

Resumo


Este ensaio perscruta uma noção de real e de ficção em que ambos surgem como representação, num processo de semiose considerada um paradoxo comunicativo. O jornalismo contemporâneo é também uma mercadoria, um sistema complexo de comunicação, seu produto é a realidade construída com argumentos estereotipados por interesses editoriais pautados por interesses políticos e comerciais, simulacro de um conteúdo que não reflete, mas cria a necessidade no receptor. Também a realidade construída pelas imagens contemporâneas não é comunicação no sentido designativo, mas expressão de um simulacro que, como tal, ao negar a fantasia, recalca a realidade como uma ficção, operando num sistema de códigos numéricos que surgem como imagem num espaço visual transduzido da sua indexalidade para a virtualidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.

Revista Mediação
ISSN 2179-9571 (on-line)
ISSN 1676-2827 (impressa)
Universidade FUMEC
Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde.