O SURGIMENTO DA ESCOLA DE PENSAMENTO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO E SEUS FUNDAMENTOS

Lívia Lopes Barakat, José Edson Lara, Marlusa Gosling

Resumo


O objetivo deste ensaio é discutir o surgimento do Marketing de Relacionamento (MR) como escola de pensamento do marketing, após a década de 70. Primeiramente, será realizada uma revisão das principais escolas de marketing, conforme Sheth, Gardner e Garrett (1988). Considerando as influências de algumas dessas escolas sobre o Marketing de Relacionamento, será feito um resgate de seu surgimento, com a revisão de seus principais precursores e classificando-o nos critérios de interativo/não-interativo e econômico/não-econômico. Por fim, o artigo pretende responder às seguintes perguntas: O MR pode ser considerado hoje como escola proeminente no pensamento de marketing? É possível chegar a uma teoria geral para o MR? A objetividade nas pesquisas de MR é desejável/possível? A análise desses questionamentos será feita com base na discussão de correntes filosóficas do conhecimento científico (Comte, Durkhein, Popper, Nagel, Kant, Weber), que constituem fundamento epistemológico para o desenvolvimento de pesquisas da área.

Palavras-chave


Marketing, Marketing de Relacionamento, Escolas de Pensamento de Marketing, Objetividade nas Ciências Sociais, Teoria de Marketing.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/pretexto.v12i3.669

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Pretexto
ISSN 1984-6983 (Online)
ISSN 1517-672x (Impressa)
Classificação Qualis CAPES - B2 - Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo