GOVERNANÇA E PARTICIPAÇÃO NO CONTEXTO DAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO

Joaquim Rubens Fontes Filho, Elvira Cruvinel Ferreira Ventura, Mauro José de Oliveira

Resumo


Este artigo explora os referenciais da teoria da agência e teoria do stewardship, caracterizados por diferentes premissas sobre a natureza humana e motivação dos gestores, com o objetivo de investigar a contribuição dessas teorias na formulação de modelos de governança para cooperativas de crédito. Ao atuarem em bases colaborativas em um ambiente competitivo, as cooperativas de crédito exibem tanto particularidades quanto possibilidades não exploradas nos modelos tradicionais de governança corporativa, por trazerem considerações valorativas que sustentam seu modelo de negócio. A partir de uma revisão do referencial teórico da governança corporativa, da análise da atuação das cooperativas de crédito no país, e de entrevistas em profundidade com gestores de organizações desse segmento, esta análise exploratória indicou que uma associação das duas teorias pode vir a proporcionar melhor efetividade para tratar as questões de governança das cooperativas de crédito, trazendo novas possibilidades também a organizações atuando em contextos semelhantes.

Palavras-chave


Governança corporativa, Governança organizacional, Cooperativas de crédito, Teoria da agência, Teoria do stewardship

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2008V7N3ART123

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2