ATITUDE DO CONSUMIDOR SOBRE MEDICAMENTOS: COGNITIVA OU AFETIVA?

Melby Karina Zuniga Huertas, André Torres Urdan

Resumo


Conhecer os componentes da atitude do consumidor sobre o produto ajuda pesquisadores
e gerentes a resolver diversos problemas de marketing. Modelos de planejamento de propaganda recomendam emparelhar os apelos (racionais ou emocionais) a atitude sobre o produto (predominantemente cognitiva ou predominantemente afetiva). No entanto, a
prática de propaganda discorda, as vezes, de tal recomendação. Esse pode ser o caso da propaganda de medicamentos mirando o consumidor que pouco utiliza apelos racionais, pois a atitude sobre medicamentos é aparentemente mais cognitiva. Mas, empiricamente, nada se sabe sobre essa atitude do consumidor brasileiro. O objetivo desta pesquisa foi avaliar os componentes da atitude do consumidor sobre medicamentos. No levantamento empreendido, confirmou-se a predominância do componente cognitivo. Mas, surpreendentemente, a atitude foi cognitivo-afetiva em pessoas com problemas de saúde. Tais resultados têm implicações na gestão da propaganda de medicamentos.

Palavras-chave


Atitude; Comportamento; Consumidor; Propaganda; Medicamentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2006V5N3ART77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2