CAPITAL DE GIRO E DESEMPENHO DE EMPRESAS AGROINDUSTRIAIS

Fabiana Ferreira da Silva, Edemar Ferrarezi Junior, David Ferreira Lopes Santos, Sérgio Silva Braga Júnior

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar a influência da gestão do capital de giro no desempenho econômico e financeiro das empresas do agronegócio brasileiro, a partir das variáveis do Modelo de Fleuriet e dos indicadores de rentabilidade. De natureza descritiva e tendo como universo da pesquisa as empresas listadas na bolsa de valores de São Paulo [B3], no período de 2011 a 2017, do segmento econômico do agronegócio. As principais constatações do Modelo de Fleuriet foram de que a necessidade de capital de giro é positiva para mais de 92% das empresas, mesmo comportamento apresentado pela maioria das empresas brasileiras, onde 55% delas, apresentam uma estrutura de financiamento do capital de giro inadequada. Além disso, somente 33% apresentam liquidez e rentabilidade positiva, o que reforça a importância da estratégia de financiamento do capital de giro adequada às características do negócio e a extensão seu ciclo financeiro.


Palavras-chave


Resultado Financeiro, Capital de Giro, Agronegócio, Modelo de Fleuriet, Liquidez

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/1984-6975FACES2019V18N3ART7115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Administração FACES Journal

Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2