A GOVERNANÇA CORPORATIVA COMO ELEMENTO MEDIADOR NA EMPRESA FAMILIAR

Janete Lara de Oliveira, Elismar Álvares, Alexandre Santos Pinheiro, Thiago Duarte Pimentel

Resumo


Este trabalho busca identifi car e analisar as implicações da estrutura de governança, implementada em uma empresa familiar, sobre a dinâmica, evolução e papel dos membros familiares, assim como suas implicações sobre a infl uência da família na gestão dos negócios. A perspectiva teórica adotada baseia-se nos pressupostos de Tagiuri e Davis (1985), de que o desenvolvimento da empresa familiar está diretamente relacionado às interrelações estabelecidas entre os eixos da família, da propriedade e da gestão. Esse trabalho parte da premissa de que os mecanismos de governança são instrumentos que otimizam a inter-relação das três dimensões e, portanto, poderiam ser incorporados ao modelo de três círculos (DAVIS, 2003) utilizado nesta pesquisa. Foi realizado um estudo de caso numa empresa de grande porte, do setor de autopeças, fundada há 57 anos e que já se encontra na terceira geração de sucessores. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e tratados por meio da análise temática de conteúdo. As análises permitem concluir que a complexidade inerente à dimensão família pode ser minimizada tanto por processos formais de sucessão quanto pela estruturação de mecanismos de governança. Adicionalmente, embora de forma ainda incipiente, o estudo permitiu agregar a variável governança, ao modelo de Tagiuri e Davis (1985), como um elemento que facilita o processo de profi ssionalização e de implementação de políticas de sucessão em empresas familiares, no Brasil.

Palavras-chave


Governança. Empresa familiar. Sucessão. Profi ssionalização e longevidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2011V10N3ART637

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2