EGRESSOS DO SISTEMA PRISIONAL E A GESTÃO DE PESSOAS EM ORGANIZAÇÕES ALAGOANAS

Juliana Estevão dos Santos, Milka Alves Correia Barbosa, Fernanda Roda Cassundé, José Rodolfo Tenório de Lima

Resumo


O trabalho analisou as práticas de gestão de pessoas voltadas à inclusão de egressos do sistema prisional no mercado de trabalho de Maceió, capital do Estado de Alagoas. Trata-se de uma pesquisa natureza qualitativa com organizações que mantém contrato de trabalho com mão de obra egressa do sistema prisional alagoano. Quanto aos procedimentos de coleta de dados, adotou-se a análise documental e a entrevista semiestruturada e participaram da pesquisa gestores de três organizações públicas e uma empresa privada que viabilizam contrato de trabalho para alocar a prestação de serviço de egressos do sistema prisional do estado de Alagoas. A análise dos dados evidenciou que as organizações que trabalham com egressos prisionais não possuem política de gestão de pessoas para este público. Ademais, verificou-se que os egressos do sistema prisional alagoano enfrentam uma confluência de fatores de difícil superação para alcançar algum tipo de adaptação ao ambiente organizacional, quais sejam, o estigma que pesa sobre eles, o baixo nível de escolaridade e a precarização do trabalho.


Palavras-chave


Egresso prisional, gestão de pessoas, mercado de trabalho, estigma, discriminação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2019V18N2ART6138

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2