ROTATIVIDADE: ANÁLISE DE DUAS DÉCADAS DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA

Juliana Seidl, Jairo Eduardo Borges-Andrade, Elaine Rabelo Neiva

Resumo


A rotatividade de pessoal é um processo multicausal e natural, porém, em altas taxas, pode ocasionar prejuízos para a sustentabilidade financeira e para a memória organizacional. Objetivou-se analisar a produção científica empírica brasileira sobre rotatividade de pessoal nas organizações de 1996 a 2015. Foram consultados 17 periódicos com tradição nas áreas organizacional e do trabalho; e, em seguida, ampliou-se a busca. Foram selecionados artigos empíricos que apresentassem pelo menos um dos descritores no título e/ou nas palavras-chave: rotatividade, intenção de saída, desligamento e/ou turnover. Vinte e cinco artigos foram identificados e analisados segundo aspectos bibliométricos, metodológicos, antecedentes, objetivos e principais resultados. Os estudos brasileiros sobre o tema são recentes, em sua maioria descritivos, publicados em revistas da administração, e buscam conhecer os fatores organizacionais e do trabalho que influenciam a rotatividade. Sugere-se investigar melhor os fatores pessoais e ambientais antecedentes, bem como os consequentes, por meio da adoção de métodos mais robustos e de testagem de modelos com base teórica sólida.


Palavras-chave


Rotatividade. Intenção de saída. Comportamento organizacional. Revisão da literatura. Produção brasileira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2019V18N2ART6090

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2