PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÕES MOTIVADA EM GRUPOS: RELAÇÃO ENTRE REFLEXIVIDADE/CRIATIVIDADE

Carlos Antônio Sobrinho, Ibsen Mateus Bittencourt, Paulo Henrique Desiderio, Renato Neder, José Carlos Marques

Resumo


Neste trabalho, adota-se a perspectiva dos grupos como processadores de informações (HINSZ et al., 1997). Procurando preencher a lacuna deixa por Hinsz et al. (1997), De Dreu, Nijstad e van Knippenberg (2008) desenvolveram o modelo Motivated Information Processing in Groups (MIP-G). A proposição central do modelo MIP-G é que o processamento sistemático das informações em um grupo é afetado por dois tipos diferentes de motivação: a motivação epistêmica e a motivação social. Em consonância com a base teórica do MIP-G, um dos fatores motivacionais foi operacionalizado levando-se em conta a sua influência no processamento de informações dos membros do grupo, por conseguinte, a reflexividade representou a motivação epistêmica nessa pesquisa. Assim sendo, o objetivo desse artigo foi comparar o efeito dos níveis de reflexividade na criatividade em grupos de pesquisa e desenvolvimento. Para a análise dos dados e teste das hipóteses, utilizou-se a Modelagem em Equações Estruturais por mínimos quadrados parciais e também o teste de comparação de médias com o suporte do software Statistical Package for the Social Sciences. Consistente com a ideia de que a reflexividade promove o processamento sistemático de informação, os resultados mostraram que em grupos com baixa reflexividade, os escores de criatividade foram menores.


Palavras-chave


Processamento de Informações Motivada em Grupos; Motivação epistêmica; Reflexividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2018V17N1ART5242

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2