COMPOSTO PARA RESTAURANTES: ATENDENDO CONSUMIDORES COM DEFICIÊNCIA VISUAL

Marina Dias de Faria, Jorge Ferreira da Silva

Resumo


As pessoas com deficiência (PcD) enfrentam diversas dificuldades para exercerem quase todos os papéis sociais, especificamente no que diz respeito ao papel de consumidores. Raramente, essas pessoas têm suas necessidades atendidas. No Brasil, tal mercado está representado por 24 milhões de PcD, das quais 48% têm deficiência visual. Na presente pesquisa, definiu-se como objetivo identificar os mais importantes atributos do serviço e seus níveis correspondentes, relativos à experiência de consumo por pessoas com deficiência visual em restaurantes da cidade do Rio de Janeiro, em ocasiões de lazer. Para atingir esse objetivo, foram realizados três grupos de foco com a participação de 21 PcD. Os resultados apontaram oito atributos, cada qual apresentando três ou dois níveis como mais importantes para a experiência de consumo de deficientes visuais em restaurantes: “cardápio”; “atendimento”; “ambiência”; “formato da mesa”; “acesso ao garçom”; “nível de ocupação”; “local”; e “comida”. A partir desse resultado, percebe-se que os restaurantes não estão preparados para receber pessoas com deficiência visual.

Palavras-chave


Restaurante. Lazer. Pessoas com deficiência visual. Inclusão social. Grupo de foco.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/1984-6975FACES2011V10N1ART524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Administração FACES Journal

Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2