A EVOLUÇÃO DA AMBIDESTRIA INTERNACIONAL NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS (PMES).

Graziela Breitenbauch de Moura, Dinorá Eliete Floriani

Resumo


O trabalho apresenta a relação do grau de internacionalização (GRI), da ambidestria internacional e do desempenho organizacional em pequenas e médias empresas (PMEs) exportadoras brasileiras. Ressalta a importância da ambidestria internacional nas capacidades das empresas. Por meio de uma survey em 138 PMEs brasileiras a pesquisa verificou as relações dos três construtos no campo dos negócios internacionais. Esta pesquisa utilizou a técnica do Modelo de Equações Estruturais para a análise, com o método do PLS-SEM (Partial Least Squares Structural Equation Modeling), também chamada de path modeling. Nos resultados apontam que o maior GRI desenvolve a ambidestria internacional e que melhora o desempenho da PME. Também revelou que o GRI tem efeito positivo com o desempenho organizacional da PME. Sugerem-se futuros estudos em grandes empresas e em multinacionais para verificar o desenvolvimento da perspectiva da ambidestria internacional e sua influência.


Palavras-chave


Ambidestria Internacional; Grau de Internacionalização; Desempenho Organizacional; Capacidade; Pequena e Média Empresa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2017V16N4ART4553

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2