Afinal, estão as empresas preparadas para a competência?

Zélia Miranda Kilimnik , Anderson Sant'anna

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar os resultados de três pesquisas conduzidas com o propósito de investigar até que ponto a demanda por profissionais dotados de competências cada vez mais abrangentes e sofisticadas encontra-se acompanhada pela modernidade de políticas e práticas organizacionais que as sustentem. Utilizando como referencial teórico a abordagem de avaliação da modernidade organizacional (EBOLI, 1996) e a revisão das abordagens anglo-americana e francesa da competência, o estudo compreende a apresentação e análise comparativa de achados de três levantamentos empíricos de dados: um abrangendo 654 pós-graduandos em administração; outro envolvendo 220 pós-graduandos e egressos de programas de pós-graduação lato sensu na área de telecomunicações e um terceiro compreendendo 129 graduandos em administração. Após tratamento dos dados, por meio de técnicas estatísticas multivariadas e descritivas, constatou-se como principal resultado que a demanda por competências cada vez mais abrangentes e sofisticadas não tem sido acompanhada, em mesmo nível, pela modernidade de políticas e práticas de gestão, sugerindo a necessidade de ambientes organizacionais mais aderentes aos novos perfis profissionais requeridos.

Palavras-chave


Competências; perfis profissional; recursos humanos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2005V4N1ART43

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2