PROPENSÃO DOS CONSUMIDORES AO USO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS

Luis Hernan Contreras Pinochet, Priscila Melo de Albuquerque Mota, Evandro Luiz Lopes

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a propensão do consumidor ao uso de serviços de pagamentos em dispositivos móveis a partir dos construtos: confiança, facilidade de uso percebida, utilidade percebida, inovação pessoal e autoeficácia. O modelo adaptado a este estudo foi proposto por Duane, O’ Reilly, e Andreev (2014). A pesquisa utilizou abordagem quantitativa com o apoio da técnica de coleta de dados do tipo survey em corte transversal único, obteve-se os dados oriundos de 365 respondentes que foram analisados por meio da técnica de Modelagem de Equações Estruturais – MEE. Os resultados obtidos demonstraram que todas as hipóteses foram validadas no modelo. O construto autoeficácia, que apesar de influenciar a propensão ao uso de pagamento em dispositivos móveis, apresentou menor carga, dado que a maior parte dos participantes,  por pertencerem a grupos de jovens usuários, caracterizam-se por viverem numa “nowconomy”, isto é, a busca pelo imediatismo, reduzindo assim, o tempo de utilização das novas tecnologias.

Palavras-chave


serviço de pagamento; dispositivos móveis; disrupção; tecnologia; consumidor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2017V16N3ART4090

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2