Cooperação e Poder na Qualidade do Relacionamento das Cooperativas de Crédito

Denise Maria Martins, Ana Cristina de Faria, Milton Carlos Farina

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o nível de influência da cooperação e do poder na qualidade do relacionamento entre cooperativas de crédito singulares e centrais. A pesquisa quantitativa e descritiva, foi desenvolvida em cooperativas de crédito vinculadas ao Banco Central do Brasil – BACEN e a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB. Os dados foram tratados por meio da Modelagem de Equações Estruturais (MEE), com aplicação do método de estimação dos mínimos quadrados parciais (PLS-PM). Os resultados obtidos nos coeficientes de determinação (R2) das variáveis latentes endógenas, confirmaram os pressupostos dos modelos teóricos de Morgan e Hunt (1994) e Hutchinson e Singh (2012). Constatou-se significância estatística nas relações entre poder e cooperação influenciando a Qualidade do Relacionamento entre cooperativas de crédito singulares com suas centrais, bem como o quanto os constructos cooperação e poder evidenciam aspectos relevantes para a qualidade dos relacionamentos entre as cooperativas de créditos singulares e suas centrais. 


Palavras-chave


Cooperação. Cooperativas. Poder. Qualidade do Relacionamento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2016V15N2ART3092

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2