TEORIA DO PROSPECTO: EVIDÊNCIAS APLICADAS EM FINANÇAS COMPORTAMENTAIS

Thiago de Sousa Barros, Israel José dos Santos Felipe

Resumo


As Finanças Comportamentais tem sido uma via alternativa para a compreensão da realidade econômica e financeira através de um viés mais abrangente, contrapondo alguns paradigmas e preceitos das Finanças Tradicionais e seus respectivos modelos. Em face disso, este artigo analisa elementos fundamentais das finanças comportamentais e, para este efeito, utiliza a Teoria do Prospecto, pesquisa empírica desenvolvida por Kahneman e Tversky (1979), para investigar a manifestação dos efeitos certeza, reflexo e isolamento no processo de decisão por parte dos agentes e a influência do gênero nas questões relacionadas às perdas e exposição ao risco. Assim, através de uma pesquisa de campo, foram aplicados questionários numa amostra de 150 discentes do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Ouro Preto e os dados foram tratados através de estatística descritiva e um teste não paramétrico (Qui-Quadrado). Os resultados confirmam empiricamente a existência dos três efeitos preconizados na Teoria do Prospecto e as influências de vieses cognitivos ao longo do processo decisório por parte dos agentes, além de evidenciar diferenças importantes quando da separação por gêneros, já que as mulheres, em determinadas ocasiões de ganho, mostraram-se mais avessas ao risco que os homens.

Palavras-chave


Finanças Comportamentais; Teoria dos Prospectos; Risco

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2015V14N4ART2934

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2