VALORES RELATIVOS AO TRABALHO: TESTANDO A INVARIÂNCIA E AS DIFERENÇAS DE MÉDIA ENTRE OS GÊNEROS

Ani Caroline Grigion Potrich, Kelmara Mendes Vieira, Vania de Fátima Barros Estivalete, Taís de Andrade

Resumo


Este estudo tem como objetivos desenvolver um modelo de valores relativos ao trabalho, testar a invariância do modelo de mensuração e avaliar a existência de diferenças entre os gêneros. Para tal, realizou-se uma pesquisa quantitativa, de caráter descritivo do tipo survey. O instrumento preenchido por 958 discentes foi baseado na Escala Revisada de Valores Relativos ao Trabalho (EVT-R) de Porto e Pilati (2010) composta por seis fatores. Considerando o modelo proposto e através da modelagem de equações estruturais, encontrou-se que o modelo de mensuração é variante entre os gêneros. Ao estimar as diferenças de média, constatou-se que os indivíduos do gênero feminino demonstram maior importância aos fatores Autodeterminação e Estimulação, Universalismo e Benevolência, Realização e Poder do que aqueles do gênero masculino, sendo o fator Poder o que apresentou a maior diferença significativa entre os grupos. Tais resultados sugerem a relevância de se considerar os valores como variáveis promissoras para a compreensão de perspectivas subjetivas em relação ao comportamento dos indivíduos nas organizações, podendo contribuir para o seu planejamento.


Palavras-chave


Valores Relativos ao Trabalho; Modelagem de Equações Estruturais; Invariância; Diferenças; Gênero

Texto completo:

Sem título PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2015V14N4ART2647

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2