ACULTURAÇÃO E INSTITUCIONALIZAÇÃO EM AQUISIÇÃO INTERNACIONAL NO SETOR AUTOMOBILÍSTICO

Bruno de Oliveira Carvalho, Editinete André de Rocha Garcia, Fabiana Pinto de Almeira Bizarria, Leonice Holanda Alves de Melo, Sérgio Henrique Arruda Cavalcante Forte

Resumo


O estudo apresenta uma integração entre estágios de institucionalização propostos por Tolbert e Zucker (1998, 2010) e aculturação apresentado por Nahavandi e Malenkzadeh (1993). Analisou-se o fenômeno em uma empresa do ramo automotivo, recém-adquirida. Para tanto, foram realizadas entrevistas com catorze gestores da companhia que trabalharam no período de pré-aquisição. Com suporte em aspectos culturais e institucionais elaborou-se uma proposta no framework que foi utilizado como referência para análise dos dados. Verificam-se aspectos de culturas organizacionais distintas na empresa adquirida e adquirente. Na adquirida constatou-se um mix de percepção da própria cultura, evidenciando que não havia uma sedimentação da institucionalização. Nesse caso, o processo de institucionalização tende a mesclar as duas instituições ou reinstitucionalizar. Na adquirente, o modo de aculturação foi acentuado, indicando um elevado grau de multiculturalismo da adquirente.


Palavras-chave


Aculturação. Teoria Institucional. Fusão e Aquisição. Setor Automobilístico. Framework.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2014V13N4ART2597

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2