TRABALHO E QUALIDADE DE VIDA EM USINAS DE TRIAGEM E COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS URBANOS

Gisele Vidal Vimieiro, Luciano Zille Pereira, Liséte Celina Lange

Resumo


Com implantação popularizada no Brasil nos anos 90, as Usinas de Triagem e Compostagem – UTC têm sido consideradas uma opção para a destinação adequada dos resíduos sólidos urbanos, especialmente em municípios de pequeno porte. No entanto, o fator humano tem sido negligenciado, já que essas unidades não privilegiam os indivíduos que nela trabalham, lidando diretamente com os resíduos. O objetivo do presente trabalho é realizar uma análise crítica da realidade do trabalho nas UTC, partindo do referencial teórico sobre trabalho e QVT. Consideraram-se ainda as constatações observadas na literatura e na prática de acompanhamento dessas unidades em Minas Gerais. Percebe-se que nas UTC há o rompimento com as propriedades que o trabalho deve apresentar para corresponder às motivações intrínsecas e extrínsecas dos trabalhadores, contribuindo negativamente para a melhoria da QVT. Além disso, a situação de exposição dos trabalhadores ao ambiente insalubre e o descontentamento com a função são elementos que contribuem para o funcionamento ineficiente das UTC.

Palavras-chave


Trabalho, Qualidade de vida, Usinas de triagem e compostagem, Resíduos sólidos urbanos, Minas Gerais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2009V8N2ART149

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2