A TRANSIÇÃO PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA: O SIGNIFICADO DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

Fabiula Meneguete Vides da Silva

Resumo


Busca-se, neste trabalho, compreender o significado das relações interpessoais estabelecidas no processo de transição do contribuidor individual (professor) para gestor (reitor ou pró-reitor) em universidades. A abordagem fenomenológico-hermenêutica de van Manen (1990) foi utilizada, a fi m de retomar os principais temas desta experiência. Seis ex-gestores universitários emprestaram suas experiências vivenciadas em universidades pertencentes à Associação Catarinense das Fundações Educacionais (ACAFE), por meio das entrevistas em três tempos, preconizadas por Seidman (1998), realizadas entre maio de 2009 e março de 2010. Recorrendo às entrevistas transcritas, foi possível resgatar três grandes temas centrais, que representam os relacionamentos interpessoais que os professores entrevistados viveram como reitores e pró-reitores: as relações profi ssionais, o relacionamento com os alunos e as relações familiares, sentindo apoio e cobrança. Os dados revelados, por meio das experiências dos ex-gestores, embora estejam circunscritos a um universo restrito, revelam temas úteis para a compreensão das relações interpessoais vivenciadas durante a transição de professores para gestores universitários, trazendo, assim, contribuições para pensarmos em políticas de recursos humanos.

Palavras-chave


Relações interpessoais. Professor universitário. Transição. Fenomenologia. Gestão universitária.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2012V11N4ART1452

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2