INTELIGÊNCIA COMPETITIVA E DISTÂNCIA PSÍQUICA NO SETOR MOVELEIRO

Ana Cristina Fachinelli, Juliana Raquel de Souza Luchesi, Kelly Menezes Crespi, Rosimeri machado

Resumo


Uma das decisões críticas com que se defronta uma empresa que deseja internacionalizar-se se refere à em que país ingressar. De acordo com uma das correntes dominantes na literatura de internacionalização, as empresas escolhem inicialmente aqueles mercados que os gestores consideram mais próximos do mercado doméstico e apenas em etapa posterior adentraria mercados percebidos como distintos. Assim sendo, propõem-se o estudo apresentar os conceitos de Internacionalização, Distância Psíquica e Inteligência Competitiva, a fim de identificar se existe relação entre os mesmos. Para tal, foram pesquisadas 80 empresas do setor moveleiro do Rio Grande do Sul que já foram previamente classificadas em outro estudo por níveis de Inteligência Estratégica. Selecionamos as 40 empresas que tiveram os maiores níveis e as 40 empresas que tiveram os menores níveis. O objetivo é identificar se as empresas analisadas com maior e menor nível de inteligência competitiva realizam exportações e se os primeiros destinos de exportação foram para destinos próximos ou mais distantes. Os resultados indicam que existe uma relação fraca entre inteligência competitiva e exportações e entre inteligência competitiva e distância psíquica baseado nas empresas que foram analisadas neste estudo.

Palavras-chave


Internacionalização, distância psiquica,inteligência competitiva,setor moveleiro

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-6975FACES2013V12N3ART1229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração FACES Journal
ISSN 1984-6975 (online)
Classificação Qualis-CAPES - B2