ELABORAÇÃO DE UM SISTEMA MUNICIPAL DE APOIO AO MONITORAMENTO, GESTÃO E CONTROLE DA INFESTAÇÃO PELO VETOR AEDES AEGYPTI

Cristiano Geraldo Teixeira Silva

Resumo


Este trabalho tem por objetivo levantar as premissas necessárias à elaboração de uma ferramenta de software que apoie gestores de autarquias municipais de controle de zoonoses, no monitoramento e controle de focos do agente vetor Aedes aegypti. A proposta da ferramenta tem a finalidade de dar mais eficiência ao processo gestor de controle, desde o monitoramento, via agentes de campo, até a disponibilização das informações georeferenciadas em banco de dados. Entre os antecedentes a serem pesquisados estão: a linguagem de programação, a forma de se armazenar e recuperar as informações, o tipo de interface com os usuários, a forma de acesso ao sistema, a infraestrutura necessária para o funcionamento e, finalmente, a capacidade do sistema de atender à demanda dos usuários sem perda de desempenho. Espera-se que o correto e eficiente funcionamento da ferramenta proposta se traduza em redução de custos municipais e maior controle dos agentes de campo, através da comprovação das visitas por referenciamento satelital e GPS, assim como a eliminação de erros na etapa de digitação das planilhas de campo. Com isso, pode-se promover uma gestão mais assertiva dos profissionais da saúde. Em busca das melhores alternativas, apontadas pela revisão bibliográfica, foi possível balizar os requisitos para se iniciar o desenvolvimento do sistema, baseado em programação computacional para plataforma móvel.


Palavras-chave


Aedes aegypti, Análise de Sistemas, Sistemas de Informação

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, A. P. M. V. et al. Manual Técnico Padronização das ações para controle vetorial da dengue desenvolvidas no município de Belo Horizonte. Belo Horizonte: PBH, 2009, 56 p.

FRAGA, L. dos S.; MONTEIRO, S. Agente é um passador de informação: práticas educativas de agentes de combate a endemias no serviço de controle de Zoonoses em Belo Horizonte, MG. Saúde Soc. São Paulo, v.23, n.3, p.993-1006, 2014.

FREITAS, R. M. Avaliação de aspectos da capacidade vetorial de fêmeas de Aedes aegypti (Diptera: Culicidae) no Rio de Janeiro. Projeto de Doutorado apresentada à Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro. 2010. 249 f.

LIU, X.; HONGJI, Y. Software reuse in the emerging cloud computing era. Hershey: Information Science, 2012. p. 204-227.

LUCHESI, A.L.B. Sigdengue web - Sistema de Informação Georreferenciada via web para o Acompanhamento e Gestão de Ações sobre Dengue em Cascavel – PR. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

MANSUR, C. O mosquito dita as regras. Estado de Minas. Belo Horizonte, 21 fev. 2016. Gerais, p. 13.

MARTELLI, C. M. T. et al. Economic Impact of Dengue: Multicenter Study across Four Brazilian Regions. Disponível em: . Acesso em: 07 mar. 2016.

NEVES, D. P. et al. Parasitologia Humana. 12. ed. São Paulo: Atheneu, 2011. cap. 43, p. 387–401.

NSOESIE, E. O. et al. New digital technologies for the surveillance of infectious diseases at mass gathering events. Clinical Microbiology and Infection. Vol 21, p. 134-140. fev. 2015.

OLIVEIRA, F.L.B. Índices de Infestação Predial do Aedes aegypti por ciclo em Santa Cruz, Rio Grande do Norte, Brasil – 2007 a 2013. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Vol.07, N°. 01, Ano 2016. p. 260-69.

REMIGIO, M. Guerra ao Mosquito: Inimigo há três décadas. O Globo. Rio de Janeiro, 21 fev. 2016. País, p. 3.

ROGELIN, S. B. Avaliação do programa de controle e monitoramento do dengue do município de Concórdia-SC. Monografia de Especialização em Gestão Ambiental em Municípios apresentada à Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Paraná. 2014. 49 f.

SILVA, I. B. da; MALLMANN, D. G.; VASCONCELOS, E. M. R. de. Estratégias de combate à dengue através da educação em saúde: uma revisão integrativa. Saúde (Santa Maria), Santa Maria, Vol. 41, n. 2, p.27-34, 2015.

WHO. State of the Art in the Prevention and Control of Dengue in the Americas. World Health Organization. Meeting Report. Washington-DC, 2014. p. 28.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.