RESISTIVIDADE ELÉTRICA EM CONCRETO DE MISTURA PROLONGADA

Charles Ferreira de Oliveira, JOAQUIM MARTINS SOEIRO

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento da resistividade elétrica volumétrica e superficial em concreto endurecido proveniente de misturas prolongadas por até 8 horas, no qual foram utilizados três tipos distintos de cimentos CP II E 32, CP III 40 RS e CP V ARI. Pode-se concluir que o tipo de cimento influência nos resultados da resistividade elétrica do concreto e que quanto maior for o tempo de mistura, maior será a propensão de corrosão das armaduras protegidas pelo concreto de mistura prolongada.


Palavras-chave


Resistividade elétrica. Mistura prolongada. Concreto. Corrosão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES

diadorim sumarios

CONSTRUINDO

ISSN 2318-6127 (online)
ISSN 2175-7143 (impressa)
Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade FUMEC
Escola de Engenharia da UFMG
Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto