Perfil do curso

O Terapeuta Ocupacional, embora tenha como foco de sua atuação a reabilitação, tem hoje como desafio produzir conhecimento para a promoção e prevenção da saúde, acompanhando, assim, tendência das políticas de saúde e de organização dos serviços. O profissional deve ser capaz de assumir posição crítica e reflexiva diante dos processos de saúde/doença, criação/alienação, o que demarca uma concepção humanista, e não meramente tecnicista, e que garanta a dignidade humana nas diversas situações de adoecimento ou alienação.

Estrutura Curricular

Conteúdo

O currículo prevê a integração do ensino com os serviços de saúde, a valorização da pesquisa individual e coletiva, os estágios e a participação em atividades extramuros. No estágio supervisionado, o aluno desenvolve habilidades, competências e atitudes adequadas às práticas de Terapia Ocupacional. A partir da intervenção orientada no campo prático, cria-se a oportunidade para o aluno observar o impacto da ação desencadeada e que está sob sua responsabilidade. As atividades são oferecidas em instituições conveniadas nas áreas de Saúde Mental, Saúde da Criança e Deficiência Mental, Saúde Física, Funções Neurológicas, Gerontologia e de Saúde da Família.

Campos de atuação

Observa-se uma demanda pelo terapeuta ocupacional em todos os níveis de atenção à saúde, inclusive como equipe assessora das equipes do Programa de Saúde da Família. São identificadas três grandes áreas de atuação profissional: Saúde Mental, Pediatria e Reabilitação Física. Em relação à ampliação do mercado de trabalho, têm surgido novas demandas de atuação, como as áreas emergentes de Saúde do Trabalhador, de Gerontologia e de Terapia Ocupacional com enfoque na educação.

Atos Legais de Autorização e Reconhecimento
Reconhecido pelo Decreto Estadual de 13 de março de 2008.