Perfil do curso

Para a formação do profissional, são consideradas as ciências sociais, biológicas e psicológicas; o estudo e compreensão dos processos e as relações intra e interpessoais; a análise e aplicação de conhecimentos em busca de melhores condições de existência. Assim, orientado pelos estudos das ciências humanas e dos processos sócio-históricos, o graduando é levado a desenvolver a investigação e a crítica das concepções de ser humano, enfocando a valorização e a aplicação dos princípios éticos para além dos conteúdos a serem transmitidos.

Desenvolvendo uma formação sólida e pluralista, o curso assegura ao aluno o convívio - e não o sincretismo - com a pluralidade de saberes e práticas que caracterizam as diversas teorias e sistemas da Psicologia na episteme contemporânea.

Estrutura Curricular

Conteúdo

Os estágios curriculares se dividem em estágios básicos e específicos. Os estágios básicos buscam estabelecer uma interseção com os diversos campos da prática profissional para assegurar que a formação seja a mais abrangente possível. O objetivo é apresentar as diversas modalidades de inserção profissional e evitar que o aluno realize uma escolha antecipada de uma especialidade. Os estágios específicos são práticas profissionalizantes, supervisionadas, que visam possibilitar ao aluno a experiência e a intervenção nas constantes demandas sociais. Constitui-se fator de fomento à crítica e à transformação da relação teoria-prática. Os estudantes ainda têm à disposição laboratórios de Neuroanatomia, de Análise Experimental do Comportamento, de Exames e Avaliação Psicológica - LEAP e de Desenvolvimento Humano.

Campos de atuação

O egresso está apto a atuar em diferentes setores da sociedade: Psicoterapia (individual, grupo, família, casal); Psicologia Hospitalar; Psicologia Social e Comunitária; Políticas Sociais; Avaliação Psicológica; intervenções em Saúde e Saúde Mental; na Educação; Psicopedagogia; Psicologia Jurídica; Psicologia Organizacional entre outros.

Atos Legais de Autorização e Reconhecimento
Reconhecimento renovado pelo Decreto N.º 43.571, de 4 de setembro de 2003.