20/12/2012

Tecnologia em favor do produtor rural

Alunos de Ciência da Computação da FUMEC criam sistema integrado voltado à gestão do agronegócio

À primeira vista, a fórmula parece simples: ter uma boa ideia, que proponha um modelo de negócio inovador, tendo à frente pessoas com capacidade empreendedora e que, uma vez apresentada àquele investidor com interesse e capital para investir na proposta, a possibilidade de transformá-la em um negócio de sucesso já estaria garantida. A exemplo das comunidades de novas empresas com base tecnológica que tiveram sua origem no Vale do Silício (Estados Unidos), as startups já estão se difundindo também por aqui, apresentando potencial de mercado e atraindo a atenção de investidores brasileiros, inclusive em Minas Gerais.

Um bom exemplo desse modelo de negócio, ainda em fase de desenvolvimento, mas já apresentando condições de ser bem-sucedido é o projeto Agroinformática, criado por Lucas Moura Belo e Bruno Cézar Diniz, alunos do 8º e 5º períodos de Ciência da Computação da Universidade FUMEC. Mais do que difundir o conceito em voga, a intenção da dupla é contribuir para o aprimoramento da gestão de propriedades rurais, levando soluções tecnológicas ao pequeno e médio produtor. “Por meio de um sistema integrado e inovador, e de fácil utilização por usuários de diferentes níveis de conhecimento, queremos auxiliar os proprietários e trabalhadores rurais a gerenciar melhor sua propriedade, além de possibilitar aumentar, por meio da tecnologia, a produção e a renda do agronegócio”, afirma Lucas.

Ciente da importância do setor para a economia de Minas e, por outro lado, das limitações que o pequeno e médio produtor ainda enfrentam para levar adiante a sua produção, Lucas explica que a idéia surgiu da necessidade de desenvolver um sistema de gestão para otimizar a produção agropecuária de uma propriedade da família, conduzida pelo pai, que é produtor rural e comerciante em Estrela do Indaiá / MG. “O meu pai sentia falta de melhorar a gestão do negócio, de recursos que o ajudassem a aprimorar os processos e o controle da produção”. Foi quando, ao ingressar na universidade e dar início ao curso de Ciência da Computação, ele teve a oportunidade de discutir a ideia com seu colega Bruno, e juntos, puderam vislumbrar algo mais promissor. “Quando conheci o Lucas e ele me apresentou o programa, percebemos que essa ferramenta poderia ser comercializada para outros produtores. A partir daí, decidimos dar início a um estudo mais criterioso sobre o assunto e, vindo a ter também um retorno favorável do nosso professor Jaime Andrade Pinto, acabamos criando o projeto”, conta Bruno.

Classificado por meio de edital para integrar o Programa de Aceleração de Startups da Incubadora da Fumsoft - Fundação Mineira de Software, o projeto Agroinformática está temporariamente instalado no espaço físico da Fundação, onde permanecerá até meados do próximo ano. E é neste ambiente propício e altamente potencializador de negócios, que os jovens empreendedores vêm recebendo toda a assessoria voltada à maturação da empresa, bem como ao desenvolvimento e comercialização de seu produto. “Durante um período de oito meses, estabelecido por contrato, iremos receber todos os conhecimentos necessários para empreender o negócio, o que envolverá consultorias, assessorias e serviços voltados ao desenvolvimento da empresa”, detalha Lucas. Entusiasmados, eles já prevêem boas perspectivas para o projeto, embora sem querer revelar ainda muitos detalhes. “Já estamos recebendo visitas e está em andamento uma discussão sobre uma provável proposta de parceria”, adiantam.

A Fumsoft é uma instituição científica e tecnológica, sem fins lucrativos, que atua na indução do desenvolvimento da cadeia produtiva de Tecnologia da Informação (TI) em Minas Gerais. Entre os programas que desenvolve, voltados às áreas de empreendedorismo, qualidade, internacionalização e inovação, está o de aceleração de startups, cujo objetivo é prestar suporte à consolidação de empresas nascentes da área de TI, auxiliando-as a vencer os desafios da gestão e comercialização de seus produtos, e facilitando dessa forma o seu estabelecimento no mercado.

agro.jpg

Bruno Diniz e Lucas Belo: alunos de Ciência da Computação da FUMEC, à frente de startup voltada ao agronegócio

 

Créditos: Adélia Pinheiro



Publicado em Ciência da Computação, FACE, Graduação, Pesquisa



< Voltar para notícias - Versão para Impressão