10/11/2016

Direito e psicanálise põem o dedo nas feridas sociais

Seminário "Direito e Psicanálise” será realizado dias 10 e 11 de novembro, no Auditório Phoenix.

(texto enviado pela Comunicação FCH)

Dimensão. Construir uma forma de atuação conjunta, respeitando e preservando as diferenças de enfoque

As diferenças no olhar e na compreensão dos fatos jurídicos, que geralmente culminam em dificuldades no processo de lidar com os problemas das pessoas e, a rigor, da sociedade, é o desafio que vai pautar as palestras e os debates do “Seminário Direito e Psicanálise”, que será realizado nestas quinta (das 19h às 21h30) e sexta-feiras (das 8h30 às 18h), 10 e 11, no Auditório Phoenix. Promove o evento, destinado a professores e estudantes de direito e psicologia, magistrados, psicólogos, advogados e profissionais da área de saúde mental, os cursos de psicologia e direito da Universidade Fumec e o Instituto de Mediação Aplicada (IMA).

“Os desafios do direito na contemporaneidade” é o tema que abre o encontro, sob responsabilidade do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Luiz Philippe Vieira de Mello Filho. A sexta-feira será ocupada com cinco mesas-redondas, que debaterão os temas “A psicanálise e o direito: um convite à cidadania”, “A clínica da audiência”, “A psicanálise e o Direito de Família”, “Assédio moral” e “Sofrimento mental”, que antecede os debates e o encerramento às 18h.

Aos justificar sua importância, a professora-mestre do curso de direito da Fumec, Andrea de Campos Vasconcellos, sublinha que o seminário tem as virtudes acadêmica, epistemológica e operacional de apontar as patologias sociais e suas causas, bem como a presença do direito e da psicanálise como interfaces deste processo, “que atinge a todos nós”.



Publicado em Direito, FCH



< Voltar para notícias - Versão para Impressão