Vale a pena ser psicólogo autônomo?

Vale a pena ser psicólogo autônomo

Será que vale a pena ser psicólogo autônomo? Será que é viável financeiramente? Confira o nosso artigo de hoje e descubra!

Nos dias de hoje, muitas pessoas têm ficado com medo de se arriscar e seguir carreira como profissionais autônomas. Seja pela alta tributação, pela insegurança ou por não considerar esta hipótese, muitos profissionais têm preferido trilhar um caminho mais seguro e previsível.

Bônus: veja como escolher uma universidade que tenha a ver com você

Entretanto, existem muitos benefícios em se arriscar nesse tipo de empreitada, principalmente em casos específicos, como o do psicólogo autônomo. Enquanto muitos deles escolhem engajar equipes de grandes corporações ou seguir carreira no meio acadêmico, muitos preferem atender no consultório.

O curso de psicologia

Com duração média de 5 anos, o curso de psicologia estuda o comportamento e os processos mentais humanos. Muito dedicado à pesquisa, ele tem como objetivo entender e explicar como funcionam os comportamentos, os pensamentos e as emoções.

A profissão também pode ganhar um viés prático, trabalhando com recrutamento e com seleção, tratando distúrbios mentais, fazendo aconselhamento vocacional e de carreira. Na faculdade de psicologia, você encontra uma formação profissional para decidir qual área seguir.

Aliada ao conhecimento, vem a possibilidade de atuação. Um bom caminho para decidir se gostaria de completar a sua graduação é conhecer as áreas de atuação e a rotina de um psicólogo.

 

Início da trajetória

Depois de graduado, iniciar a carreira como um profissional autônomo pode não ser um caminho tão simples. Não ter um vínculo empregatício significa assumir os riscos e, para conquistar o mercado, é preciso entregar uma prestação de serviço de alto nível.

Antes do primeiro passo, é importante fazer o registro de profissional autônomo na prefeitura do município onde pretende atuar. Nesse caso, a prestação de serviço acontece como pessoa física e você pode emitir recibo próprio de profissional autônomo, o RPA, ou ainda nota fiscal tributada caso a prefeitura autorize.

O começo pode ser difícil, envolvendo um processo de disseminação do próprio serviço, atendendo aos primeiros pacientes, fidelizando cada um deles e, assim, montando uma carteira para conseguir obter rendimentos maiores. Pode não parecer tão atrativo em um primeiro momento, mas pode ser um ótimo trabalho com o tempo.

Flexibilidade nos horários

Talvez, a flexibilidade para atender aos pacientes seja um dos maiores benefícios do profissional autônomo. Ele tem a vantagem de montar a agenda de acordo com os compromissos pessoais e com a rotina que deseja ter. É fundamental que o psicólogo tenha muita disciplina e bom senso nesse momento, priorizando os melhores horários para os pacientes (principalmente no início) e muita objetividade para organizar a vida de maneira prática e funcional.

Rendimentos Mensais

O profissional pode atuar em diversos setores, exercendo funções em campos distintos. Como o leque de atuação é amplo, o salário também pode variar bastante. A Federação Nacional dos Psicólogos (FENASPI) trabalha em parceria com os Conselhos Regionais de Psicologia e tem um valor base como referência para uma série de atividades. Eles servem como guia, mas o profissional tem total liberdade de definir o valor que cobrará por seus serviços.

Dedicação

Com muita dedicação e sendo um bom profissional, é possível conquistar o mercado e ter ótimos rendimentos como um psicólogo autônomo. Os desafios são muitos, mas também existem os benefícios e a flexibilidade dessa escolha.

Você pensa em seguir nesta empreitada? Conte para a gente nos comentários do post!

f