Você sabe a diferença entre esses 13 tipos de engenharia?

tipos de engenharia

As engenharias aplicam métodos científicos utilizando os recursos naturais, administrativos e humanos para aperfeiçoar as ações que beneficiam a todos. Com isso, é um diferencial para qualquer organização, ter um engenheiro para otimizá-la. Contudo, não basta apenas escolher aleatoriamente qual faculdade estudar. Deve-se conhecer tudo sobre ela, como a avaliação do MEC, a infraestrutura para o curso e as possibilidades de conciliar o atual trabalho e os estudos.

Outra observação é escolher o ramo da engenharia: a Fumec tem 13 cursos na área, que formam profissionais de nome no mercado de trabalho. Mesmo com as opções, é preciso ficar de olho e escolher o tipo de engenharia que atende melhor ao seu perfil profissional.

Bônus: aprenda como escolher o curso de graduação certo para você!

Sabia que cada modalidade na engenharia possui um diferencial? Saiba tudo sobre a diferença entre esses 13 tipos de engenharia!

1. Engenharia Aeronáutica

Esse tipo de engenharia foi criada para desenvolver o setor de aviação no Brasil. Ela é responsável por criar e desenvolver projetos e otimizar processos produtivos relacionados às aeronaves e aos aeroportos.

O diferencial do engenheiro em aviação é relacionar a sua formação sólida em matemática, física, computação, análise estrutural (tanto para aviões, quanto para aeroportos), aeroelasticidade, aerodinâmica, propulsão, sistemas de aeronaves, homologação e manutenção. O profissional formado pode ser gestor de projetos ou manutenção de aeronaves, tomando decisões que melhoram o desempenho de todos os tipos de aviões e de todas as operações feitas nos aeroportos.

2. Engenharia Ambiental

Este setor está focado em melhorar a relação entre as indústrias e o meio-ambiente. Ele desenvolve projetos e melhora processos para reduzir a poluição gerada pelas indústrias.

Com isso, toda organização que utiliza das técnicas de engenharia ambiental se torna mais sustentável, suas operações são melhoradas e gasta-se menos com custos para não agredir o meio ambiente. As matérias específicas da Engenharia Ambiental são baseadas em processos (infraestrutura, controle e processos ambientais) e gestão (planejamento, licenciamento e fiscalização). O engenheiro formado nessa área atua em Sistemas de Gestão Ambiental (SGA); elabora Estudos de Impacto Ambiental (EIA) e Planos de Controle Ambiental (PCA); planeja e recupera áreas poluídas ou degradadas; gerencia projetos de saneamento básico; e aperfeiçoa sistemas de controle da poluição do solo, da água e da atmosfera.

3. Engenharia Bioenergética

A graduação permite conhecer e otimizar todos os equipamentos e todos os métodos que envolvem recursos bionergéticos. Seu objetivo é desenvolver tecnologias que otimizam a produção de energia reutilizando matéria-prima.

Sabia que pode-se gerar eletricidade utilizando bagaço da cana-de-açúcar ou dejetos de animais? O conteúdo dessa engenharia associa teoria e prática com laboratórios de Física, Química para ter, detalhadamente, conhecimentos sobre solos, meio-ambiente, elétrica (produção de eletricidade e circuitos elétricos), informática e, claro, recursos bioenergéticos. O recém-formado na área bioenergética desenvolve o uso de biocombustíveis e de bioenergias; analisa a viabilidade econômica de projetos, inspeciona equipamentos e sistemas que usam recursos renováveis e supervisiona como os equipamentos são operados para produzir melhor bionergia.

4. Engenharia Biomédica

A Engenharia Biomédica desenvolve tecnologias na área da saúde. É a área responsável por criar e por melhorar equipamentos e softwares para a área da Medicina, da Biomedicina e da Odontologia. O profissional desse setor, além do conhecimento básico em engenharia, tem como diferencial a habilidade de compreender e de atender às necessidades das pessoas, assegurando-as a qualidade, a humanização do atendimento e o trabalho em equipe. Desse modo, quando formado, o engenheiro biomédico é capaz de planejar, de administrar e de supervisionar qualquer equipamento que contribua para a saúde do homem.

5. Engenharia Civil

É a responsável por projetar, gerenciar e executar as etapas relacionadas à construção de casas, pontes e indústrias. É uma ciência que aperfeiçoa as técnicas utilizadas nas obras, garantindo qualidade e segurança.

As matérias específicas da Engenharia Civil vão de estudos técnicos da base de um empreendimento, parte elétrica, estudo de solos, meio-ambiente a gerenciamento de materiais. Essa multidisciplinaridade é justamente para que o profissional tenha a habilidade para aperfeiçoar qualquer área de construção. O engenheiro civil é capaz de exercer as seguintes funções: analisar a viabilidade econômica de projetos; inspecionar obras e projetos; emitir laudos técnicos; prestar consultoria e orientação técnica na construção civil.

6. Engenharia de Computação

Lida com aspectos gerencias e técnicos para desenvolver qualquer tipo de hardware ou seja, peças e equipamentos relacionados à Tecnologia da Informação (TI). Esse setor gerencia de forma eficaz os sistemas informatizados, usando as informações para tomadas de decisões que trazem benefícios às empresas.

O currículo da Engenharia de Computação traz, especificamente, matérias como linguagens de programação e circuitos lógicos, permitindo o profissional atuar no campo de construção, gerenciamento e monitoramento de hardwares e softwares.

7. Engenharia de Produção Civil

É uma área que integra mais melhorias na construção de qualquer obra. Permite melhorar e agilizar processos de construção, capacitando o profissional para atuar no gerenciamento, na organização e no controle de processos produtivos.

O diferencial do setor está em deixar as tarefas da construção mais dinâmicas, com melhor qualidade e com baixo custo. Além das disciplinas básicas de Engenharia, o curso oferece conhecimentos sobre o uso de recursos humanos e materiais, marketing, psicologia e outras disciplinas que otimizam o gerenciamento de obras.

8. Engenharia de Produção

É a área que integra questões técnicas das engenharias com as gerenciais. O objetivo da Engenharia de Produção é tornar um produto e/ ou serviço melhor. Isso é, tornar os processos das empresas mais rápidos, com baixos custos e melhorar a qualidade do que foi produzido. É uma área muito solicitada por qualquer organização.

A maioria dos problemas diários do mundo corporativo está relacionada aos processos gerenciais. Nesse contexto, o curso se destaca pelas matérias específicas relacionadas à administração, logística e processos produtivos.

O profissional egresso tem um campo extenso de atuação. Ele pode atuar em qualquer empresa que produza um produto ou um serviço, como a área de automóveis de varejo e de bancos.

9. Engenharia de Sistemas

O engenheiro de sistemas atua na melhoria de sistemas de computação. Ele pode analisar, projetar, gerenciar e inspencionar qualquer software da empresa.

O objetivo da Engenharia de Sistemas é fornecer avançadas tecnologias de informação e gestão eficaz dos sistemas informatizados. O profissional tem como adotar estratégias baseadas em informações para tomar decisões fundamentais para que a organização se alavanque e se torne destaque no mercado em que atua. Além disso, ele pode trabalhar em todos os aspectos da tecnologia da informação relacionados ao desenvolvimento das empresas.

10. Engenharia de Telecomunicações

É a área da engenharia que planeja, projeta, opera e faz a manutenção de sistemas eletrônicos e de telecomunicações, como: telefonia móvel e fixa, transmissão de dados, redes sem fio, rádio, tv e transmissão de dados. As disciplinas usam uma infraestrutura completa de laboratórios de Física/Eletrotécnica, Química, Informática, Medidas Elétricas e Eletrônica Digital, Materiais, Circuitos Elétricos e Eletrônica Analógica, Microondas e Rádio Frequência e de Redes de Telecomunicações.

O engenheiro de Telecomunicações é capaz de: gerenciar sistemas de comunicações e transmissão de voz, dados e imagens; emitir laudos técnicos e estudos de modelagem e de viabilidade técnica; e supervisionar as condições dos equipamentos de telecomunicaçãoes.

11. Engenharia Elétrica

Esse ramo da engenharia lida com as aplicações de eletricidade, eletromagnetismo e eletrônica nas geradoras, distribuidoras e na indústria. Além das matérias básicas das engenharias, os conteúdos específicos do curso especializa o profissional a trabalhar com qualquer setor que envolva a parte elétrica, com o intuito de otimizar a produção, o armazenamento e a distribuição de energia.

12. Engenharia Mecânica

Esse curso integra todos os princípios da engenharia, Física e estudos sobre os materiais para projetar, analisar, fabricar e operar todos os sistemas mecânicos de máquinas e ferramentas. As disciplinas específicas são: análise estrutural, projeto e construção de máquinas, propulsão, sistemas diversos de geração de energia e manutenção. O engenheiro mecânico atua no planejamento e no gerenciamento de máquinas no setor de automóveis, ferrovias, geradores eólicos e empresas relacionadas à área mecânica.

13. Engenharia Química

A Engenharia Química atua em melhorias das plantas industriais, ou seja, nos processos para a fabricação de produtos finais. Ela projeta, constrói e supervisiona as etapas para transformar matéria-prima em produto final.
O diferencial da gradução é combinar os conhecimentos da química, física, biologia, computação e matemática para atuar em qualquer setor das indústrias. O campo de atuação do engenheiro químico está em: planejar e coordenar processos industriais; identificar e resolver todos os problemas técnicos da indústria química e inspecionar o desempenho de sistemas de fábrica.

Ficou clara a diferença entre esses 13 tipos de engenharia? Saiba mais sobre cada curso de engenharia pela Fumec, assinando a nossa newsletter e conheça as graduações da nossa instituição acessando a nossa página!

New Call-to-action